Informe Rural

Rio Rural facilita acesso de produtores a outros programas do estado

  • PDF

Em Macuco, o produtor Amarildo Dias destaca incentivo de técnicos da Emater-Rio

Um dos benefícios do Programa Rio Rural é facilitar o acesso dos produtores a outras políticas públicas estaduais que contribuem para o fortalecimento da atividade agrícola no campo. Além de fortalecer a economia rural com adoção de práticas sustentáveis, a assistência rural também estimula o protagonismo dos agricultores familiares na busca pela melhoria de sua qualidade de vida.

Em Macuco, o produtor Amarildo Alves Dias é um bom exemplo desta integração do Rio Rural com os demais programas da agricultura fluminense. Beneficiário do programa na Microbacia Ribeirão Dourado há um pouco mais de dois anos, o produtor ampliou a adoção de práticas sustentáveis em suas terras, na Fazenda Benfica, que divide com o sogro, e aproveitou as informações obtidas com a assistência dos técnicos da Emater-Rio para participar também do Rio Genética, programa que apoio os criadores na melhoria da qualidade do rebanho.

– Com o Rio Genética, consegui adquirir mais dez vacas para a minha propriedade e, assim, aumentar minha produção de leite, que hoje está em 800 litros por dia. Toda a produção é destinada à Cooperativa de Macuco e à CCA Laticínios, fábrica de leite em pó aqui, de Macuco. Tenho que elogiar o trabalho dos técnicos da Emater-Rio, que nos incentivam sempre a adotar métodos sustentáveis. Eles também nos orientam em relação a outros benefícios que podemos ter com outros programas do estado. Qualquer incentivo para o produtor neste país é sempre bem-vindo – declarou.

Foi também por meio da assistência técnica do Rio Rural que Amarildo Dias teve conhecimento do programa de fornecimento de plantas do Inea (Instituto Estadual do Ambiente). Assim, conseguiu 1,6 mil mudas frutíferas e de espécies da Mata Atlântica, que, agora, serão plantadas na faixa marginal do Rio Ribeirão Dourado, que corta suas terras. “Já começamos o cercamento da faixa marginal e vamos iniciar o plantio das mudas na próxima semana. Nós nos orgulhamos de estar também preservando o meio ambiente. Temos aqui uma Reserva Legal e fomos os primeiros a obter o Cadastro Ambiental Rural (CAR) no estado do Rio”, comemorou o produtor.

A integração dos programas é uma das diretrizes da Secretaria Estadual de Agricultura, segundo o secretário da pasta, Christino Áureo. “Uma de nossas preocupações é que as políticas públicas sejam complementares, o que permite otimização de investimentos e resultados. Nossos programas devem somar forças com ações dos setores público e privado, tendo sempre como base as demandas das comunidades rurais”, afirmou.


Água mineral de Trajano de Moraes realiza projeto comunitário

  • PDF

A empresa Água Mineral Trajano de Moraes iniciou um projeto comunitário, o ‘Programa Agricultura Familiar’, em parceria com moradores locais, que vêm chamando a atenção regional. Segundo seus idealizadores, o objetivo é aplicar a recuperação ambiental no bairro Floricultura, gerar trabalho e renda, além de incentivar o programa que já existe desenvolvido no Governo Municipal, que atende a melhoria na merenda escolar.

Segundo o empresário Ronaldo de Castro e sua equipe, o que chama a atenção é a participação de 12 moradores de Trajano de Moraes, que, em uma grande área de terra,  já cuidam das plantações de milho, inhame, abóbora, alface, couve, banana, jabuticaba, batata doce, aipim e diversas outras qualidades de produtos. Ele ainda alerta que esses alimentos colhidos são orgânicos, ou seja, sem nenhum agrotóxico e que os colhidos já abastecem os mercados locais e também a Região dos Lagos.

– Com o projeto que está caminhando positivamente, os trabalhadores, que são parceiros, estão muitos animados devido à melhora da qualidade de vida e geração de renda. A  nossa ideia é que, num futuro próximo, esse projeto seja levado para o interior do município, onde em Sodrelândia, por exemplo, a empresa possui uma propriedade de 25 alqueires de terra fértil – disse Ronaldo, proprietário da Água Mineral trajanense.

Vale dizer que se algum produtor rural se interessar pela ideia do projeto comunitário basta se dirigir-se à Água Mineral pessoalmente ou telefonar para o número (22) 2564-2528 e conversar com os trabalhadores que diariamente estão no local colhendo legumes e verduras fresquinhas e  livre de produtos que fazem muito mal à saúde humana.

Técnicos do Senai Nova Friburgo farão irrigação automatizada no Viveiro Educandário da Elas Ecomodas

  • PDF

No dia 12 de julho, os técnicos do Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) estiveram visitando o Viveiro Educandário Elas Preservando, que está sendo implantado pela Elas Ecomodas e seus parceiros dentro do parque municipal de nova Friburgo, no bairro de Cascatinha. O objetivo deste viveiro é que sirva como espaço educacional para escolas públicas e privadas de Nova Friburgo com o intuito de difundir o conceito da preservação ambiental entre seus alunos e, com isso, colaborar com o surgimento de uma geração mais consciente.

Na ocasião, os técnicos do Senai Rômulo Costa (automação industrial),  Márcio José da Silva (técnico em educação) e Leandro Oliveira (mecânica) avaliaram algumas demandas da respectiva iniciativa da Elas Ecomodas dentro do espaço público municipal, que conta com apoio da Secretaria de Turismo e incentivo do vereador Gustavo Barroso, visto que tal projeto foi selecionado pelo programa #MandeproSenai, onde estudantes e educadores do Senai estão realizando estudos atendendo à solicitação de Alex e Adriana Santos, da Elas Ecomodas. A visita de hoje no viveiro tratou da parte de irrigação das mudas, que será automatizada.

Os alunos e técnicos do Senai também estão estudando formas para se fazer o reaproveitamento de materiais para fazer coletores de cones de linhas vazios das confecções que serão implantados em pontos estratégicos pela cidade de Nova Friburgo, como também a construção de uma máquina que irá facilitar o enchimento dos cones de linhas com a terra de planta. Vale citar que o respectivo projeto tem por finalidade reaproveitar cones de linhas para cultivar árvores e que, para isso, a Elas Ecomodas conta com um laudo técnico de aprovação emitido pelo Instituto Politécnico da Uerj. Todas as árvores do projeto são doadas para preservação de nascentes e matas ciliares.

Também serão reutilizados pneus, que servirão como base onde as mudas serão cultivadas. Inclusive, vale lembrar, 30 pneus serão recolhidos em breve pela concessionária Águas de Nova Friburgo, do Grupo Águas do Brasil, de dentro do Rio Bengalas, para que sejam reutilizados no respectivo projeto da Elas Ecomodas. Vale frisar que estes pneus serão devidamente higienizados pela concessionária antes de levar para o Viveiro Educandário.

Cidade da Região Serrana é a segunda maior produtora do país

  • PDF

Nova Friburgo, conhecida como a capital da moda íntima, é também a segunda maior produtora de flores de corte do país, perdendo somente para Holambra, em São Paulo, e a maior do estado. São 220 floricultores, que produzem cerca de nove milhões de maços (dúzias) de flores por ano.

A produção se concentra na localidade de Vargem Alta, onde também funcionam as sedes do Instituto Bélgica (Ibelga) e do Colégio Municipal Ceffa Flores. A região reserva aos amantes da floricultura um passeio: o Circuito das Flores, com visitas guiadas às estufas de flores.

O tour, idealizado para ampliar a divulgação sobre o cultivo de flores e alavancar ainda mais a produção local, acontece aos sábados, com agendamento prévio. Durante o circuito, os turistas conhecem o processo de produção e ainda podem comprar rosas, gérberas, lírios, astromélias, crisântemos e margaridas.

– Estar dentro de uma estufa é, com certeza, uma experiência rara e única – disse Guilherme da Silveira, organizador do circuito.

Após as chuvas de 2011, 89 produtores de flores de Vargem Alta foram atendidos pelo Rio Rural Emergencial, da Secretaria de Agricultura. Logo, puderam reconstruir suas unidades de produção e receberam assistência para a adoção de novas tecnologias. Em toda a Região Serrana, o projeto investiu mais de R$ 800 mil, permitindo às comunidades rurais superar os efeitos da chuva. Os produtores contam com o suporte do Florescer, que atua no desenvolvimento da cadeia produtiva de flores, plantas ornamentais e medicinais, oferecendo facilidades de financiamento.

Em Nova Friburgo, o Florescer já financiou nove projetos, no valor de R$ 366 mil.

Estação de monitoramento é instalada em Nova Friburgo

  • PDF

O Comitê de Bacia Hidrográfica do Rio Dois Rios (CBH-R2R) informa que ocorreram semana passada as atividades de instalação das estações de monitoramento de água doadas pela empresa alemã Seba hydrometrie, através da parceria estabelecida entre este colegiado e o projeto Intecral.

No último dia 4 de julho, o técnico da empresa, Peter Eichinger, chegou em Nova Friburgo e realizou na Suprid/Inea (Superintendência Regional de Dois Rios do Instituto Estadual do Ambiente) uma pequena oficina na qual Peter Eichinger explicou as características básicas do funcionamento das estações. Os equipamentos doados possuem capacidade de medir nove parâmetros de qualidade física e química da água.

No dia 5 de julho, Peter Eichinger realizou a calibragem de uma estação e, em seguida, o equipamento foi instalado na captação de águas do Rio Grande de Cima/Nova Friburgo (parceria com a Águas de Nova Friburgo). Esta instalação será muito importante, pois proporcionará um monitoramento muito mais intenso da qualidade da água do rio.

Essas estações permitirão um avanço no monitoramento da bacia hidrográfica do Rio Dois Rios, pois haverá um salto de uma frequência de registro de dados de duas a três vezes por ano, para uma frequência muito maior, pois os equipamentos estão programados para registrar as medições a cada hora.

O CBH-R2R vem trabalhando no aperfeiçoamento do monitoramento da bacia há algum tempo. O tema faz parte constante das pautas de suas reuniões, e, no último mês de junho, o colegiado realizou o primeiro encontro técnico sobre monitoramento e manejo de bacias hidrográficas. 

A ação de instalação das estações só vem coroar o trabalho de mais de dois anos realizado pelo CBH-R2R em parceria com o Projeto Intecral e outros parceiros, como a Águas de Nova Friburgo.


Centro-Norte Fluminense cresce nas exportações de moda íntima, garante Firjan

  • PDF

Polo que é responsável por 24% do número de trabalhadores do estado do Rio no segmento realiza a mais importante feira brasileira do setor

A indústria da moda no Centro-Norte Fluminense está na contramão da crise que atinge a economia brasileira. Segundo levantamento do Sistema Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro), a região, que tem Nova Friburgo como cidade polo, exportou 32% mais moda íntima em 2015 em comparação com 2014, saindo de US$ 762 mil para US$ 1 milhão.

O Centro-Norte Fluminense aumentou sua participação nas exportações de moda íntima do estado, saindo de 42% para 63%. Isso significa que a região respondeu pela maior parte do desempenho exportador de moda íntima do Rio de Janeiro, segundo levantamento da Firjan Internacional com base nas estatísticas da Secretária de Comércio Exterior, do Ministério do Desenvolvimento.

Dentro da cadeia da moda, o estado possui 26.667 estabelecimentos formais, que empregam 195.797 trabalhadores com carteira assinada. A Região Centro-Norte compõe 11% do total de estabelecimentos da cadeia da moda do Rio e 10% do total de trabalhadores com carteira assinada do estado.

O elo industrial de confecção emprega 52,5 mil trabalhadores formais. Neste segmento, a Região Centro-Norte Fluminense corresponde a 24% do número de trabalhadores do estado do Rio de Janeiro. Os dados foram compilados da última Relação Anual de Informações Sociais (Rais) disponível.

Os números reafirmam o polo como Capital da Moda Íntima e reiteram a importância da Fevest, mais importante feira brasileira do setor de moda íntima, praia, fitness e matéria-prima, realizada pelo Sindvest (Sindicato das Indústrias do Vestuário de Nova Friburgo e Região), com promoção do Sistema Firjan e do Sebrae. O evento, que, este ano, chegou à 26ª edição, é a mais importante rodada de negócios de Nova Friburgo, o maior polo fabricante de moda íntima em todo o Brasil.

– A parceria com a Fevest é motivo de muito orgulho, e reforça nosso compromisso de apoiar a cadeia da moda. O setor é o segundo maior empregador da indústria fluminense. Está presente em praticamente todas as regiões do estado, e tem Nova Friburgo como um de seus destaques – afirma o presidente do Sistema Firjan, Eduardo Eugênio Gouvêa Vieira.

Para o presidente do sindicato realizador da feira, Marcelo Porto, foi importante para o setor aprender com o passado e inovar. “Desde 2008, quando tivemos a última forte adversidade econômica, o polo começou a repensar os conceitos e trabalhar em design e sofisticação. É aí que a parceria com o Sistema Firjan tem sido fundamental em pesquisa e formação de mão de obra. Hoje, temos um produto com muito mais valor agregado e que atende aos padrões internacionais”, explica o presidente do Sindvest.

Ainda de acordo com a análise da Firjan Internacional, houve incremento em todos os produtos exportados, com destaque para soutiens.

Vale ressaltar a valorização do produto exportado, pois o preço médio da Região Centro-Norte Fluminense saiu de US$ 72/kg para US$ 118/kg, avançando 64%. 

Isso demonstra que os produtos da região agregaram bastante valor e se distanciaram do restante do estado. A média de preços para o mercado exportador em todo o estado é de US$ 33/Kg. A maior valorização esteve com os produtos de soutiens, cintas e espartilhos (151%).

IFF promove ‘Um Abraço na Educação’ no Parque Raul Veiga

  • PDF

A Unidade de Formação de Cordeiro do Instituto Federal Fluminense (IFF) promoveu ‘Um Abraço na Educação’, no domingo, 3 de julho, no Parque de Exposições Raul Veiga. O evento reuniu a população de Cordeiro para um abraço ao Colégio Ítalo Mileno Lopes.

O evento começou cedo, com um café da manhã oferecido aos participantes. Em seguida, foram realizados campeonatos de vôlei e de futebol, no campo em frente à sede do IFF, recreação para as crianças, aferição de pressão arterial e demonstração de atividades práticas nos laboratórios de mecânica do instituto.

Após as atividades de lazer e esporte, todos se uniram e, de mãos dadas, formaram um imenso cordão que abraçou o prédio do Colégio Ítalo Mileno Lopes.

A escola está desativada há alguns anos e o instituto precisa do espaço para ampliar a oferta de cursos técnicos e superiores, gratuitos e de qualidade, enquanto o Governo do Estado quer utilizá-lo para a implantação de um batalhão da Polícia Militar.

A Escola Técnica de Cordeiro foi inaugurada no final de 2015 e oferece cursos profissionalizantes na área de metalmecânica. No último concurso para o curso técnico em mecânica foram realizadas 300 inscrições e a procura tem aumentado a cada concurso.

260 famílias recebem casas em Friburgo

  • PDF

Foram entregues, pelos governos federal, estadual e municipal, 260 chaves das unidades do condomínio VIII do Terra Nova, em Nova Friburgo. Os apartamentos, que foram construídos pelo programa ‘Minha Casa, Minha Vida’, foram sorteados e vistoriados em março e, desde então, os moradores aguardavam ansiosos pela entrega. Com o objetivo de acelerar o processo dos contratos que foram assinados dia 9 de junho e, consequentemente, a entrega das chaves, a Secretaria de Assistência Social, Direitos Humanos e Trabalho vinha realizando constantes reuniões com representantes do condomínio Terra Nova e da Caixa Econômica Federal.

Apesar da Prefeitura não ser a responsável pela construção ou entrega dos apartamentos, o secretário de Assistência Social, Gilberto Souza Filho, e o prefeito, Rogério Cabral, estiveram todo o tempo à frente do processo de agilização da entrega das unidades. Na entrega das chaves, o prefeito falou da importância de Nova Friburgo ser um dos únicos municípios que conseguiu entregar quase todos os apartamentos. “As pessoas perderam suas casas, parentes e amigos e, além disso, estavam dependendo do aluguel social. Após perderem o aluguel, necessitavam urgentemente da sua moradia. Apesar de toda a crise, fizemos esse contato, essa intervenção junto à Caixa e ao Governo do Estado. Hoje, entregamos essas unidades, fazendo com que essas famílias saiam dessa dificuldade e tenham dignidade”, disse.

O conjunto habitacional contempla, ao todo, nove condomínios: oito já foram entregues e o condomínio 9, que contempla 220 apartamentos, deve ser entregue também nos próximos meses, apesar de não ter data prevista. Para a entrega, a Caixa Econômica Federal precisa analisar e aprovar toda a documentação das famílias entregues, pelo Estado, à instituição, finalizando o programa de recolocação de vítimas. De 2.180 imóveis previstos, 1.960 já foram inaugurados.


Pgina 6 de 18

Área exclusiva - Login

Notícias completas e versão digital exclusivas para assinantes

Informativo JR

Cadastre-se e fique bem informado