Informe Rural

Projeto de pesquisa pretende expandir fruticultura na Região Serrana

  • PDF

Aumentar o abastecimento de frutas no mercado consumidor fluminense, ampliar resultados de pesquisas sobre fruteiras para Região Serrana, reduzir a utilização de agrotóxicos e elevar a renda dos agricultores familiares são objetivos de um novo projeto de pesquisa da Pesagro-Rio, desenvolvido em parceria com a Emater-Rio, a Faperj (Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro) e com apoio dos programas Frutificar e Rio Rural, ambos da Secretaria Estadual de Agricultura.

A perspectiva do atual projeto é introduzir cerca de 20 novas espécies de fruteiras em oito municípios da serra fluminense e em Cachoeiras de Macacu, que, agora, pertence à Região Metropolitana.

Levantamento do Centro Estadual de Pesquisa em Desenvolvimento Rural Sustentável da Pesagro-Rio aponta que o estado do Rio de Janeiro importa, anualmente, mais de R$ 1 bilhão em frutas de outros estados brasileiros, inclusive do exterior. Para incrementar essa cadeia produtiva, serão adquiridas quase 10 mil mudas de 260 variedades, beneficiando 93 produtores até o final de 2016.

Paralelamente, também haverá incentivo ao cultivo de frutas orgânicas e de base agroecológica. “A ideia é implantar diferentes coleções de fruteiras, tendo acompanhamento agronômico desde o plantio até a colheita. Serão promovidas, também, excursões e dias de campo em viveiros e nas áreas que receberem a pesquisa, sempre com a participação dos técnicos, dos agricultores envolvidos e de outros colaboradores”, explicou o engenheiro agrônomo Martinho Belo, gerente estadual de Fruticultura da Emater-Rio.

Além da comercialização convencional e orgânica, a Pesagro-Rio identificou a possibilidade de escoamento através dos mercados corporativos e institucionais, como o PAA (Programa de Aquisição de Alimentos) e o PNAE (Programa Nacional de Alimentação Escolar), que priorizam a compra diretamente dos agricultores. As primeiras mudas foram recentemente compradas no estado de São Paulo e parte já começou a ser distribuída nos municípios de Cachoeiras de Macacu, Nova Friburgo e Sumidouro.


Desmatamento zero e aumento da cobertura vegetal da Mata Atlântica até 2018

Desmatamento zero e aumento da cobertura vegetal da Mata Atlântica até 2018. Esse foi o tema central do inédito encontro de troca de experiências, realizado pela Fundação SOS Mata Atlântica, entre representantes de 17 estados brasileiros que pertencem a esse bioma. Em reunião realizada semana passada, no Palácio Guanabara, na Zona Sul do Rio de Janeiro, o secretário estadual do Ambiente, deputado estadual André Corrêa, e o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, receberam os demais secretários de Meio Ambiente para debater iniciativas bem sucedidas de preservação e restauração florestal desse importante ativo ambiental e econômico brasileiro.

Dados de monitoramento do Atlas da Mata Atlântica indicam que, apesar do Brasil ter tido alta de 9% na devastação do bioma (entre 2011 e 2013), o estado do Rio é vanguarda na conservação, com desmatamento próximo a zero.

– O desafio agora é ampliar a cobertura, que é um desafio difícil. Estamos pensando em criar um fundo de restauração florestal –, disse Corrêa.

Para isso, André Corrêa revelou que já trabalha na formulação de uma nova modelagem de licenciamento, que prevê que a obrigação de plantar se torne uma obrigação financeira. “Esse novo mecanismo irá permitir que se faça uma plantação em maior escala e não mais fragmentada. Essa modelagem já existe para conservação de parques, mas, agora, estamos trabalhando num modelo para restauração”, informa.

Mais tarde, após o encontro, os secretários participaram do evento ‘Viva a Mata - Encontro Nacional pela Mata Atlântica’, no Teatro Tom Jobim, no Jardim Botânico, parte do calendário de eventos da SOS Mata Atlântica. A ministra do Meio Ambiente, Isabella Texeira, abriu a solenidade convidando os municípios e estados para trabalhar juntos no Cadastro Ambiental Rural (CAR), um levantamento inédito, que permitirá a restauração florestal em propriedades rurais.

O presidente da Fundação SOS Mata Atlântica, Pedro Luiz Passos, ressaltou os avanços alcançados na preservação de áreas verdes do estado do Rio, graças a importantes iniciativas desenvolvidas pelo Secretaria de Estado do Ambiente (SEA). Dentre elas estão: o pagamento por serviços ambientais (PSA) a produtores rurais, o Cadastro Ambiental Rural, o ICMS Ecológico, os planos municipais da Mata Atlântica, a implantação de Upams (Unidades de Policiamento Ambiental) e a contratação de guardas-parques.

A diretora executiva da fundação, Márcia Hirota, acrescentou que o encontro é uma grande oportunidade para se olhar para o futuro, traçar uma agenda estratégica e criar uma nova história para a Mata Atlântica ao estimular o diálogo entre a sociedade civil, o poder público e a comunidade científica. “O Viva Mata vem permitir uma plataforma para troca de experiências com a criação de metas factíveis e com a participação do movimento ambientalista, de forma que se alcance resultados cada vez mais concretos na conservação”, disse.

Em 14 de maio, a diretora apresentou, no seminário ‘A Mata Atlântica é aqui’, o novo mapa desse importante bioma, realizado em parceria com o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), que não somente subsidiará todo esforço de proteção de áreas verdes, mas, também, promoverá a restauração florestal em áreas estratégicas para conservação.

Na ocasião, também foram abordados temas como a poluição na Baía de Guanabara e a importância das áreas naturais para a saúde e qualidade de vida nas cidades. No dia 15 de maio, o debate foi sobre os desafios da implantação do Novo Código Florestal.


Semana do Meio Ambiente é comemorada no Tribunal de Justiça

O presidente do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ), Jonas Lopes de Carvalho Júnior, integrou a mesa de honra na solenidade de lançamento da Semana do Meio Ambiente, na manhã de segunda-feira passada, 1º de junho, no auditório da Corregedoria-Geral do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJ/RJ).

Com a presença da ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, a cerimônia foi conduzida pelo presidente do TJ-RJ, desembargador Luiz Fernando Ribeiro de Carvalho, que, ao anunciar a presença do presidente do TCE-RJ, a ele se referiu como “um amigo do Tribunal de Justiça, dentro das atribuições que cabem às duas instituições, com quem temos mantido um relacionamento estreito e respeitoso”.

Durante o evento, foi assinado um protocolo de intenções entre o Tribunal de Justiça e o Ministério do Meio Ambiente, com o objetivo de melhorar a integração entre as instituições e promover trabalhos de cooperação e assessoramento técnico em gestão ambiental.

Além disso, foi inaugurada a sala da Rede Rio de Sustentabilidade, da qual o TCE-RJ fará parte. O espaço informatizado funcionará como “a sede virtual da rede para a troca de informações e discussões entre todos os órgãos públicos do estado que a integrarão, sejam municipais, estaduais ou federais, sobre medidas sustentáveis que possam ser utilizadas no poder público”, explicou o presidente da Comissão de Políticas Institucionais para Promoção da Sustentabilidade do TJ/RJ, desembargador Jessé Torres.

Também integraram a mesa o presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), desembargador Edson Aguiar; a corregedora-geral da Justiça, desembargadora Maria Augusta Vaz; o subprocurador-geral de Justiça de Planejamento Institucional, Eduardo Gussem, e o deputado estadual Carlos Minc (PT/RJ), ex-ministro do Meio Ambiente.

Light/Cemig voltará a negociar terras para hidrelétrica no Rio Paraíba

  • PDF

A assessoria de imprensa da Light informou que o Consócio Light e Cemig entrará em contato com os ocupantes das área de terras próximo ao Rio Paraíba do Sul para retomar as negociações. É que o Consórcio Light Serviços de Energia e a Companhia de Energia de Minas Gerais (Cemig) venceram o leilão para construir a Usina Hidrelétrica Itaocara.

O consórcio ofertou lance para a venda de energia no valor de R$ 154,99/MWh (data base: abril de 2015), e foi o vencedor do leilão, realizado no último dia 30 de abril.

Segundo os representantes da Light, a obra tem previsão de iniciar no primeiro semestre de 2016. Quanto às licenças ambientais, o consórcio possui a Licença Ambiental de Instalação, desde 29 de julho de 2013, que é válida por cinco anos, concedida pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

Este mesmo consórcio tinha solicitado a rescisão do contrato de concessão da UHE Itaocara diante da impossibilidade de manutenção do equilíbrio econômico-financeiro, em 2014.

Isto ocorreu em função do indeferimento, pelo Ministério de Minas e Energia, do requerimento para alteração do prazo de vigência,  de forma que a contagem do prazo de 35 anos da concessão tivesse início a partir da data da obtenção da Licença Prévia – configurando, assim, a perda de 12 anos no prazo da concessão e comprometendo o tempo de receita necessário para o retorno do investimento.


Prefeito agradece a vereador e secretário pela dragagem dos rios de Duas Barras

Reconhecendo o trabalho e determinação do vereador Antônio José, junto ao secretário estadual do Ambiente, André Corrêa, que garantiu a conquista da dragagem dos rios Negro, Baú e Rezende, que cortam o Centro da histórica cidade de Duas Barras, o prefeito Alex Rodrigues (PMDB) fez questão de agradecer a iniciativa do vereador, que, segundo ele, chega em boa hora, visto a grande importância da necessidade da realização deste serviço.

– A iniciativa do vereador é uma importante demonstração de que ele se preocupa com o bem-estar da população e, por isso, vem trabalhando diariamente, através de várias iniciativas, pela melhoria da qualidade de vida do povo que o elegeu. Um exemplo disso foram as recentes conquistas que garantiram a implantação de uma academia de ginástica ao ar livre e a quadra poliesportiva de Holofote, em parceria com o Estado – destacou Alex Rodrigues.

O vereador Antônio José fez questão de destacar e agradeceu ao deputado e atual secretário estadual do Ambiente, André Corrêa, que cumpriu o compromisso assumido durante a campanha eleitoral, de realizar a limpeza dos principais rios de Duas Barras. “Minha gratidão também ao chefe de gabinete do deputado, o bibarrense José Antônio Machado, pelo seu total apoio à iniciativa, que garantiu a realização deste serviço, que, se fosse pago ao particular, geraria um gasto para o município na ordem de R$ 200 mil a R$ 250 mil. Com a limpeza dos rios Negro, Baú e Rezende, que estavam necessitando de dragagem urgente, os moradores poderão sentir os benefícios imediatos em seu dia a dia”, reforçou.

O técnico Audir Wanderley, encarregado de acompanhar a dragagem dos rios, destacou que Duas Barras está sendo atendida através do programa ‘Limpa Rio’ do Inea. Segundo ele, o serviço, que deverá se estender por um prazo de três meses, se não houver nenhum contratempo e o clima ajudar, irá garantir a desobstrução do leito dos rios, limpeza das margens e recolhimento dos detritos.

Juntamente com o secretário de Meio Ambiente, Marciel da Silva, que acompanhou os trabalhos de dragagem dos rios, o secretário de Obras, Fábio Mattos, fez questão de agradecer, em nome do Governo Municipal, a iniciativa do vereador Antônio José, que não mediu esforços para garantir, junto ao deputado e secretário André Corrêa, a dragagem dos rios de Duas Barras, que, segundo ele, chega em boa hora.

O secretário de Obras confirmou, ainda, que, com a atual crise financeira que o país atravessa e vem afetando diretamente o município, a realização deste serviço com recursos da municipalidade seria praticamente impossível. Ele reforçou, também, que a dragagem não terá custo para o município, que terá apenas a responsabilidade de acompanhar e facilitar a realização do serviço.


Rio Genética 2015 será em junho, em Macuco

No último dia 19 de maio, o prefeito de Macuco, Félix Lengruber (PMDB), recebeu outra excelente notícia para o município, desta vez voltada aos produtores rurais, em especial aos pecuaristas leiteiros.

Acompanhados pelo diretor do Macuco Rural Park, Amarildo Alves, dois representantes da Secretaria de Estado de Agricultura e Pecuária visitaram o prefeito em seu gabinete, quando lhe repassaram a informação oficial sobre a realização da 30ª Feira de Animais Rio Genética.

Os objetivos do programa são promover o melhoramento genético dos rebanhos da pecuária bovina; aumentar a produtividade e, consequentemente, a renda dos pequenos e médios produtores rurais; viabilizar novas fontes de geração de trabalho; e melhorar a qualidade de vida da população do campo.

Roney Louvain e Luiz Altamiro Nogueira, coordenadores Operacional e Técnico do Programa Rio Genética, confirmaram que o evento será realizado no dia 13 de junho, um sábado, a partir das 9 horas, no Parque de Exposições Edgar Lutterbach, com a oferta de, aproximadamente, 200 animais, entre vacas e novilhas da raça girolanda.

Durante a reunião na Prefeitura de Macuco, Félix Lengruber conversou, pelo celular, com Alberto Mofati, subsecretário estadual de Agricultura.

No bate-papo, Alberto Mofati relatou que existem grandes possibilidades da presença do governador Luiz Fernando Pezão no evento, por se tratar de um trabalho importante e pelo fato de o líder estadual manter ótimo relacionamento com o prefeito de Macuco.

– Novamente, teremos um evento grandioso para fortalecer nossos pecuaristas. Estou grato ao governador Luiz Fernando Pezão e demais organizadores pela confiança – declarou o prefeito Félix Lengruber.


Prêmio Alimentação Escolar Saudável visa premiar prefeituras

Produtores rurais fluminenses terão mais uma oportunidade para aumentar sua renda com a comercialização de seus produtos. Durante o Green Rio 2015, no Rio de Janeiro, foi lançado o prêmio Alimentação Escolar Saudável. O evento, uma iniciativa da ONG Planeta Orgânico, conta com apoio da Secretaria Estadual de Agricultura.

O secretário estadual de Agricultura, Christino Áureo, a diretora da ONG, Maria Beatriz Martins Costa, apresentou o projeto, realizado em parceira com o Sebrae/RJ (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Estado do Rio de Janeiro). Segundo ela, a premiação visa estimular as prefeituras a utilizarem produtos locais mais saudáveis na merenda escolar da rede municipal.

As prefeituras interessadas poderão se inscrever em estande montado na Green Rio ou nas unidades do Sebrae/RJ, em seu município. Indicadores como o aumento do uso de frutas e legumes,  diminuição da utilização de produtos industrializados e, principalmente, aumento da compra de alimentos oriundos de estabelecimentos locais serão quesitos utilizados na avaliação.

– Para abordar o tema, convidamos o pesquisador dinamarquês  Bent Milkkensen, da Universidade Aalborg, que falará no evento sobre como as compras locais desafiam as cadeias globais de alimento – adiantou a diretora.

Na avaliação do secretário estadual de Agricultura, Christino Áureo, a iniciativa é mais uma forma de estimular administrações municipais para a valorização da produção agropecuária local.

– Já contamos com o Programa Nacional de Alimentação Escolar, uma parceria entre o ministério do Desenvolvimento Agrário e as secretarias estaduais de Agricultura e de Educação, que visa garantir que 30% do total dos recursos repassados  pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) sejam utilizados na aquisição de alimentos da agricultura familiar. Em conjunto, essas ações promoverão uma prática importante tanto para a saúde da população quanto para o aquecimento da economia dos municípios – afirmou.

As prefeituras de Três Rios, Trajano de Moraes, Itaperuna e Paraíba do Sul já garantiram a participação no projeto.

Outros temas para a promoção de práticas sustentáveis também serão tratados durante a Green Rio 2015, cuja principal abordagem será bioeconomia e biodiversidade. Para Maria Beatriz, o estado já se destaca na implantação de políticas públicas sustentáveis. O Rio Rural, da Secretaria Estadual de Agricultura, segundo ela, já está praticando a bioeconomia.


Encontro inédito discute preservação da Mata Atlântica

Desmatamento zero e aumento da cobertura vegetal da Mata Atlântica até 2018. Esse foi o tema central do inédito encontro de troca de experiências, realizado pela Fundação SOS Mata Atlântica, entre representantes de 17 estados brasileiros que pertencem a esse bioma.

Em reunião realizada semana passada, no Palácio Guanabara, o secretário estadual do Ambiente, deputado estadual André Corrêa, e o governador Luiz Fernando Pezão, receberam os demais secretários para debater iniciativas bem sucedidas de preservação e restauração florestal desse ativo ambiental e econômico brasileiro.

Dados de monitoramento do Atlas da Mata Atlântica indicam que, apesar do Brasil ter tido alta de 9% na devastação do bioma (entre 2011 e 2013), o estado do Rio de Janeiro é vanguarda na conservação, com desmatamento próximo a zero. “O desafio, agora, é ampliar a cobertura, que é um desafio difícil. Estamos pensando em criar um fundo de restauração florestal”, disse Corrêa. Para isso, o secretário revelou que trabalha na formulação de uma nova modelagem de licenciamento que prevê que a obrigação de plantar se torne uma obrigação financeira. “Esse novo mecanismo irá permitir que se faça uma plantação em maior escala e não mais fragmentada. Essa modelagem já existe para a conservação de parques, mas, agora, estamos trabalhando num modelo para restauração”, completou.

Mais tarde, após o encontro, os secretários participaram do evento ‘Viva a Mata - Encontro Nacional pela Mata Atlântica’, realizado no Teatro Tom Jobim, no Jardim Botânico, parte do calendário de eventos da SOS Mata Atlântica.

A ministra do Meio Ambiente, Isabella Teixeira, abriu a solenidade convidando municípios e estados a trabalhar juntos no Cadastro Ambiental Rural (CAR), um levantamento inédito, que permitirá a restauração florestal em propriedades rurais. O prazo para os proprietários rurais se cadastrarem se encerraria neste mês, mas foi prorrogado para mais um ano.

O presidente da Fundação SOS Mata Atlântica, Pedro Luiz Passos, ressaltou os avanços na preservação de áreas verdes do estado, graças a iniciativas desenvolvidas pelo Secretaria de Estado do Ambiente (SEA). Dentre elas estão: o pagamento por serviços ambientais (PSA) a produtores rurais; o Cadastro Ambiental Rural (CAR); o ICMS Ecológico, os Planos Municipais da Mata Atlântica; a implantação de Upams (Unidades de Policiamento Ambiental); e a contratação de guardas-parques.

A diretora executiva da fundação, Márcia Hirota, acrescentou que o encontro é uma grande oportunidade para se olhar para o futuro, traçar uma agenda estratégica e criar uma nova história para a Mata Atlântica ao estimular o diálogo entre sociedade civil, poder público e a comunidade científica. “O Viva Mata vem permitir uma plataforma para troca de experiências com a criação de metas factíveis e com a participação do movimento ambientalista, de forma que se alcance resultados mais concretos na conservação”.

Agricultura alerta para prazo de vacinação contra a febre aftosa

  • PDF

Faltando menos de 15 dias para o encerramento do prazo de vacinação do rebanho bovídeo fluminense contra a febre aftosa, técnicos da Secretaria Estadual e Agricultura e de suas empresas vinculadas – Emater-Rio e Pesagro-Rio – estão mobilizados para que a imunização do plantel, em torno de 2,2 milhões de cabeças, alcance índice vacinal de 95%.

– O Rio de Janeiro está há 18 anos sem o registro da doença. É um marco que deve ser comemorado, mas principalmente tratado com responsabilidade. Toda vez que um assunto sai do radar das preocupações, é aí que acontece o problema – alertou o secretário estadual de Agricultura, Christino Áureo.

Ainda segundo ele, a aftosa não afeta diretamente os humanos, porém causa prejuízos financeiros incalculáveis. Países com ocorrência da doença são obrigados a sacrificar seus rebanhos, prejudicando a economia local.

O pecuarista tem até o dia 31 de maio para realizar a imunização de todos os bovinos e bubalinos, independente da idade. Após a vacinação é obrigatória a apresentação da Declaração de Vacinação em um dos Núcleos de Defesa Agropecuária ou postos municipais no estado.

O lançamento do documento também poderá ser feito pelo próprio produtor, através da internet, diretamente no Sistema de Integração Agropecuária (Siapec), na página da Secretaria Estadual de Agricultura – www.agricultura.rj.gov.br – implementado pelo serviço de Defesa Agropecuária.

– A vacinação e sua declaração evitam penalidades que podem impedir a comercialização de animais, leite e derivados da propriedade. Vacinar contra a aftosa é dever e, principalmente, direito de exercer a atividade de maneira saudável, fazendo com que meio ambiente, produção e qualidade de vida do produtor rural estejam associadas – concluiu o secretário estadual Christino Áureo.


Vereador de Bom Jardim consegue, com o Estado, dragagem do Rio Grande

O vereador Adail Marques de Oliveira, ao assumir seu mandato em janeiro de 2013, fez, como uma de suas primeiras indicações, a de nº 038, que foi aprovada, por unanimidade, pela Casa Legislativa em 15 de abril de 2013, pedindo a dragagem do Rio Grande nas localidades de São Miguel, Jardim Ornellas, Babaquara e Bom Destino.

Em abril de 2013, o vereador Adail Marques de Oliveira fez a indicação na Câmara Municipal ao prefeito Paulo Barros, solicitando providências para autorizar a secretaria competente às medidas para a realização da dragagem do Rio Grande, nas localidades de São Miguel, bairros Maravilha e Babaquara, no primeiro distrito de Bom Jardim, como medida preventiva e corretiva de enchentes.

Adail Marques está comemorando a realização dos serviços pelo Governo do Estado. “Venho agradecer ao deputado estadual André Corrêa, atual secretário estadual de Meio Ambiente, e ao governador do estado do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, pela dragagem do Rio, iniciada no último dia 6 de maio”, comemora o vereador bonjardinense.


‘Uma Hora pelo Rio Paraíba do Sul’ no dia 3 de junho

A Secretaria de Meio Ambiente de Cordeiro vai promover uma ação integrada de mobilização social com a Associação Pró-Gestão das Águas da Bacia Hidrográfica do Rio Paraíba do Sul (Agevap) e com o Ceivap (Comitê de Integração da Bacia do Rio Paraíba do Sul), denominada ‘Uma Hora pelo Rio Paraíba do Sul’, com o objetivo de conscientizar a população de toda bacia do rio sobre a importância do uso adequado da água e os benefícios que pequenas mudanças de hábitos podem trazer para a economia dos recursos hídricos.

O secretário Paulo Araújo explica que a participação dos cordeirenses é fundamental, já que Cordeiro está entre os 184 municípios da Bacia Hidrográfica do Rio Paraíba do Sul. 

Para que a ação alcance êxito é importante que todas as residências, empresas e instituições de todos os gêneros interrompam a utilização de água, em qualquer atividade, pelo período de uma hora, entre 16h e 17h, no dia 3 de junho (quarta-feira), data em que será comemorada a Semana do Meio Ambiente.

Paulo Araújo aproveita para solicitar que a população evite desperdícios, reutilizando água para lavagem de veículos, pisos e calçadas, bem como para regar as plantas. “A água é um bem finito e devemos preservá-lo. E, no dia 3 de junho, vamos fechar as nossas torneiras de 16h às 17h”, convoca o secretário.

Cordeiro está localizado na Região Hidrográfica VI do Rio Dois Rios e o Poder Executivo Municipal tem uma cadeira na plenária do Comitê de sua Bacia Hidrográfica, sendo representado pelo secretário de Meio Ambiente, Paulo Araújo, que é o vice-presidente da atual diretoria, que administra a entidade no biênio 2015/2016.

Vale citar que a ocupação da área urbana de Cordeiro deu-se, em grande parte, ao longo do Rio Macuco, que atravessa toda a cidade até desaguar no Rio Negro.

O Rio Negro e o Rio Grande, por sua vez, formam o Dois Rios, importante afluente do Rio Paraíba do Sul.


Vacinação contra raiva animal começa na zona rural de Cordeiro

A Secretaria de Saúde de Cordeiro, através do Departamento de Vigilância em Saúde, vai dar início à campanha de vacinação contra a raiva animal na próxima segunda-feira, 25 de maio, nas localidades rurais de Fazenda da Alegria, Santa Clara, Parimá e Alto da Torre. De acordo com a diretora do departamento, Lucília Castro Azevedo, a primeira etapa da vacinação atenderá à zona rural em razão do período de estiagem, que facilita o acesso dos profissionais da saúde.

Nos dias 26 e 27, a vacinação estará disponível nas localidades de Pena, Chácara da Pena, Bonanza e Corumbá. Nos dias 28 e 29, serão vacinados os animais de Bonsucesso, Alto do Dourado e Douradinho. Encerrando a etapa, no dia 1º de junho, a equipe da Vigilância em Saúde estará nas localidades Galho de Palmito e Chinelo Perdido. No último dia, também será feito o atendimento para as vacinas pendentes.

No que se refere à vacinação na zona urbana, a Secretaria de Saúde informa que, assim que as datas estiverem definidas, a população será comunicada, para que os proprietários possam vacinar seus animais de estimação e ajudar a manter a raiva erradicada no município.

Podem ser vacinados cães e gatos com idade igual ou superior a 90 dias de vida. Os animais que forem vacinados contra raiva pela primeira vez podem receber a dose de reforço entre 21 a 30 dias após a primeira. Não há restrições para animais idosos, cadelas e gatas gestantes receberem a vacina.


Município do Rio Grande do Sul bate recorde brasileiro na produção rural

A cidade de Tupandi (RS) conquista, este ano, o recorde junto ao RankBrasil de maior valor adicionado por quilômetro quadrado na produção rural, atingindo o índice de R$ 2.408.159 em 2013. Este número é basicamente a diferença entre as vendas e as compras, ou seja, é o valor que uma propriedade rural ou um município agrega a um determinado produto ou serviço.

Segundo o prefeito Hélio Inácio Muller, este indicador é considerado para o repasse do ICMS. “Cerca de 3,5% do ICMS arrecadado em todo o estado do Rio Grande do Sul é distribuído aos municípios de acordo com o índice da produtividade primária, no qual Tupandi está em primeiro lugar há muitos anos”, destaca Muller. 

Entre os setores responsáveis pelo recorde estão a produção de frangos e suínos nos regimes de integração e também o leite, gado de corte e frutas cítricas. Dados da Secretaria Municipal da Agricultura mostram que são produzidos, anualmente, na cidade, 35 milhões de aves de corte, mais de quatro milhões de dúzias de ovos e cinco milhões de litros de leite, e estão alojados cerca de 60 mil suínos e dois mil bovinos de corte.

Para manter os números, o prefeito acredita na necessidade de estimular os investimentos, mantendo e ampliando cada vez mais os incentivos concedidos através do município. Ele atribui o título brasileiro ao empenho da população, em especial dos produtores e trabalhadores do setor rural.

– Uma cidade com pouco mais de quatro mil habitantes ser reconhecida nacionalmente como a mais produtiva do Brasil é, certamente, motivo de orgulho para todos – afirma.

Conforme Hélio Muller, os resultados deixam claro que, com trabalho e investimento, é possível gerar renda e melhorar consideravelmente as condições de vida da população.

CRESCIMENTO ECONÔMICO: O alto índice na produção rural evidencia a elevação da economia. “Observou-se, em Tupandi e vizinhança, um aumento na renda das pessoas”, conta o prefeito da cidade. Segundo ele, o município se emancipou em 1988 e, antes disso, era uma localidade com poucas perspectivas, com os mais novos migrando para as regiões metropolitanas.

– O desenvolvimento do setor primário provocou o movimento inverso, fazendo com que muitos retornassem à cidade natal e os jovens permanecessem aqui – comenta.

De acordo com Hélio Muller, o crescimento econômico é comprovado pelos números. “De 2004 a 2012, o PIB per capita mais do que triplicou, passando de R$ 15 mil para mais de R$ 51 mil. Isso levou Tupandi da 74ª colocação à sétima posição no estado”, conta. 

INCENTIVO: O município tem área total de 60 quilômetros quadrados e, aproximadamente, 4,3 mil habitantes. “Tupandi é uma localidade pequena, mas suas propriedades rurais são altamente produtivas, utilizando, principalmente, mão de obra familiar, diz o prefeito. “A população tem vocação rural e empreendedora”, completa. 

Conforme ele, a Prefeitura continua incentivando a agropecuária. “Quem decide investir, recebe benefícios desde a terraplanagem até um auxílio em dinheiro por metro quadrado construído. Também existe uma bonificação de acordo com o que é produzido em cada propriedade rural”, comenta o prefeito. 

Sobre o recorde, Hélio Muller ainda fala da importância de destacar o trabalho e a dedicação dos produtores, “os quais tiveram coragem de realizar investimentos e tomar financiamentos para elevarem o nível de produtividade”.


Oito trechos da RJ-116 recebem obras de contenção de encostas

Oito trechos da Rodovia RJ-116 estão  recebendo obras de contenção de encostas, para oferecer mais segurança aos motoristas. Na Serra dos Três Picos, entre Cachoeiras de Macacu e Nova Friburgo, as obras acontecem nos quilômetros 60,7; 68,8 e 70,9, todas no trecho de subida da RJ-116. No último sábado (16), enquanto operários trabalhavam na contenção do quilômetro 60,7, uma das pedras se soltou, caindo na rodovia. Ninguém se feriu.

– Por se tratar de uma rodovia construída em meados do século passado, num trecho de serra e muito sinuoso, é necessário um programa permanente de contenção de encostas, como o que é realizado pela concessionária Rota 116. Desde que assumimos a sua manutenção, realizamos diversas obras desse tipo, o que reflete em mais segurança para os motoristas – afirma David Barbosa, superintendente geral da concessionária.

David lembra que a catástrofe de 2011 causou uma série de abalos nas encostas da RJ-116, o que vem sendo corrigido ao longo dos anos. Em Furnas, por exemplo, próximo à praça de pedágio, estamos fazendo a contenção de outros três pontos, localizados nos quilômetros 83,8; 88; 88,1 e 89,3, todas no sentido Norte da rodovia. “Já concluímos a contenção nos mesmos pontos,  mas no sentido inverso, na lateral do Rio Bengalas, um dos pontos mais críticos da tragédia de 2011”, atesta. Em Bom Jardim, as obras de acontecem no quilômetro 92,6.

Todos os serviços têm previsão de estarem concluídos no segundo semestre. “A conclusão das obras dependem muito das condições climáticas e de surpresas que possam ocorrer ao longo do serviço, o que é natural. No trecho do quilômetro 60,9, onde ocorreu o incidente do último sábado, mantemos a nossa programação de concluí-la no mês de julho”, afirma Antônio Rogério Pereira, gerente de engenharia da Rota 116.

Produção das agroindústrias do estado terá acesso a mercado nacional

  • PDF

O Rio de Janeiro vai iniciar imediatamente o processo de inserção das agroindústrias fluminenses em todos os mercados regionais do Brasil. A informação foi passada pelo secretário estadual de Agricultura, Christino Áureo, durante o lançamento do Plano de Defesa Agropecuária 2015/2020 (PDA), pela ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Kátia Abreu, em solenidade com a presença da presidente Dilma Rousseff, em Brasília.

Na ocasião, a presidente também assinou o decreto que regulamenta o Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Sisbi/POA), que descentraliza os serviços de inspeção federal e amplia a industrialização de produtos da agricultura familiar. “Com esta ferramenta, será possível retomar a presença, em âmbito nacional, das agroindústrias do estado nas áreas de proteínas animal (carnes, laticínios, etc.)”, explicou o secretário Christino Áureo.

De acordo com a ministra Kátia Abreu, com o decreto, 2.560, agroindústrias passam a receber emancipação, pois já estão no sistema. A adesão dos estados será automática no momento do protocolo dos documentos e na apresentação da lista de empresas ao Ministério da Agricultura.

– Todos os estabelecimentos que já passaram por inspeção estadual serão incluídos no sistema automaticamente, sem necessidade de uma nova autorização pelo Mapa – acrescentou a ministra.

O Plano de Defesa Agropecuária lançado pela presidente define estratégias e ações para evitar e combater pragas nas lavouras e doenças nos rebanhos brasileiros, promovendo o desenvolvimento sustentável do agronegócio e garantindo a preservação da vida e saúde das pessoas e animais, segurança alimentar e o acesso a mercados.

O documento introduz um novo modelo de gestão eficiente, capaz de fortalecer uma ação conjunta em nível federal, estadual e municipal.

O plano vai atualizar diversas normas sanitárias à realidade do agronegócio do país, além de adaptar procedimentos e capacitar ainda mais os técnicos a tomarem decisões na área sanitária com base em conhecimento científico e análise de risco.

Em seu discurso, a presidente Dilma Rousseff enfatizou o passo histórico dado com o Plano de Defesa Agropecuária, que implementa um sistema de defesa inteligente, eficiente e transparente no país inteiro.

– Ele vai funcionar como elemento fundamental para que o Brasil possa expandir sua produção sem exigências excessivas de selos, carimbos e comprovações. Simplificar não significa deixar de fiscalizar. É, sim, uma forma inteligente, baseada no princípio da confiança que temos nos produtores – frisou.


Ingrid Rangel é eleita Garota Gravatá na Festa do Caqui

A comunidade de Gravatá, situada no quarto distrito de Trajano de Moraes, comemorou, nos dias 1º, 2 e 3 de maio, mais uma edição da tradicional Festa do Caqui, onde reuniu produtores, políticos e muitos visitantes. 

Este ano, foi escolhido o melhor prato confeccionado à base da fruta e também eleita a rainha da festa. Além do animado torneio de futebol que agradou quem passou pela localidade, que é tida como a terceira região mais produtiva em caqui do estado.

Todo o processo festivo teve início na sexta-feira, 1º de maio, quando, à noite, os responsáveis deram por abertas as comemorações e a cantora de forró Márcia Lima se apresentou, animando o público presente  na noite fria e chuvosa.

Já no sábado, dia 2, o dia iniciou com muito sol, o que animou a todos e, durante o dia, aconteceram disputas de futebol. À noite, exatamente às 20 horas, aconteceu o concurso do melhor prato à base de caqui, tendo como vencedora a produtora Ediléia Gonçalves da Silva, que apresentando um saboroso bolo gelado, levando o maior número de pontos. Na segunda colocação ficou Jaqueline Ouverney e, em terceiro, Welita Soares, com mousse de caqui. Todas as primeiras três colocadas receberam premiações e os jurados foram: Fábio Rodrigues, Eliseu Schuindt e Roberto Lage Júnior.

Já para o concurso da Garota Caqui, que foi realizado no domingo, devido à falta de energia elétrica no sábado à noite, cinco lindas candidatas se apresentaram, vencendo a jovem Ingrid Klen Rangel, que é da comunidade de Ponte Nova.

Como premiação, ela levou para casa um grande estojo de maquiagem e ainda o compromisso de ter que representar o município em desfiles e eventos sociais. Ficando na segunda colocação Marilene Tardin e, em terceiro, Rafaela Viana.

Vale completar que a tradicional Festa do Caqui foi realizada pela Prefeitura de Trajano de Moraes, através das secretarias de Assistência Social, Turismo, Educação, Agricultura, Meio Ambiente, Obras, além do apoio da Emater-Rio e Programa Rio Rural.


Prefeitos de Macuco e Sumidouro querem reativar associação de municípios

Dois governantes, dois municípios do interior fluminense, muitos problemas em comum e algumas ideias para solucioná-los. Esse poderia perfeitamente ser o roteiro do encontro realizado na manhã do último dia 5 de maio, quando o prefeito de Macuco, Félix Lengruber, recebeu, em seu gabinete, o colega de Sumidouro, Juarez Corguinha.

Durante duas horas, os dois conversaram sobre temas de uma administração municipal, como saúde, educação, saneamento básico, segurança e, como não poderia deixar de ser, as constantes quedas nas arrecadações, que têm tirado o sono dos administradores. No entanto, um ponto do bate-papo informal também vem ao encontro dos anseios de outros prefeitos e municípios: a união de forças.

Ao falarem das dificuldades para manter ações como internações hospitalares e cirurgias, conclusão de obras de saneamento básico e infraestrutura, aporte financeiro aos segmentos educacionais, além de buscar recursos para outras áreas, Lengruber e Corguinha chegaram à conclusão de que é preciso aumentar a união de forças, que já existe, como nos casos do Consórcio de Desenvolvimento Regional, presidido pelo próprio Félix Lengruber, e o Consórcio Intermunicipal da Região Serrana (Cis-Serra), presidido pelo atual prefeito de Bom Jardim, Paulo Barros, que os prefeitos desejam reativar e fortalecer.

Do encontro entre Félix Lengruber e Juarez Corguinha surgiu, então, a ideia de também reativar a Associação de Municípios da Região, cuja atuação era bastante útil, oferecendo suporte generalizado aos municípios e suas respectivas administrações, mas que já há algum tempo não funciona mais. 

– Como é de grande relevância a Associação Estadual de Municípios do Rio de Janeiro (Aemerj), cujo presidente é o prefeito de Sapucaia, Anderson Zanon, e que muito contribui conosco, talvez fosse uma ferramenta a mais de apoio à reativação dessa associação mais próxima da gente”, entende Félix Lengruber.

Juarez Corguinha fez coro, dizendo que a representatividade aumenta quando os municípios se unem. “Ficamos mais fortalecidos para buscar apoio nas áreas de meio ambiente, turismo, cultura, desenvolvimento social, esporte, educação e todas as outras que possam alavancar o desenvolvimento”, disse.

– Buscamos soluções para problemas comuns à região, o que nos faz crer que, juntos, podemos obter resultados positivos e rápidos. Noto que os prefeitos carecem dessa união para que a representatividade seja mais robusta – declarou o prefeito de Macuco, Félix Lengruber.


Voluntários da Holcim ministram debate sobre ética com estudantes de Cantagalo e região

Na última semana, a cimenteira Holcim, por meio das ações de voluntariado contínuo do Instituto Holcim, promoveu debates com estudantes de três escolas públicas de Cantagalo, Macuco e Cordeiro. O tema das discussões foi a importância da ética nas condutas sociais e profissionais, que é a base do programa ‘Vamos Falar de Ética’, da Associação Educativa Junior Achievement.

O objetivo do programa é fazer com que os alunos aprendam a importância da ética em nossa sociedade, desenvolvam o senso crítico sobre as consequências das atitudes individuais perante a coletividade, conheçam o custo da falta de ética para o nosso País e reflitam sobre o futuro profissional e as obrigações com a ética em suas vidas.

Com duração de cinco horas e dividido em cinco módulos, o ‘Vamos Falar de Ética’ foi ministrado por 12 funcionários voluntários da Holcim. 

Eles receberam treinamento prévio e contribuíram estimulando o debate e reflexões sobre os benefícios de uma conduta correta para cerca de 110 estudantes do ensino médio nas escolas Colégio Estadual Antônio Pecly, em Cordeiro, Colégio Estadual José Carlos Boaretto, em Macuco, e Ciep 277 - João Nicoláo Filho (Janjão), em Cantagalo.

– É muito gratificante ter a oportunidade de passar para as outras pessoas um conteúdo que diz respeito não só a si mesmo, mas a todos. O programa ‘Vamos Falar de Ética’ não influenciou somente os alunos, mas nós, voluntários. Nos fez refletir sobre nossa conduta, sobre o peso das nossas decisões para a sociedade – conta Lucas Wermelinger, estagiário do Controle de Qualidade de Cantagalo.

– Trabalhar o tema “ética” com nossos jovens foi sensacional. A participação deles superou minhas expectativas e, com certeza, fizemos a diferença para esses eles – diz Marcelle Faria, assistente da gerência do Instituto Holcim.

Além da importância do tema discutido, a própria experiência do voluntariado também estimulou os funcionários.

– O trabalho voluntário é uma ação de cidadania e solidariedade, que traz realização pessoal para quem o faz. Ser voluntário é dedicar espontaneamente parte do seu tempo para trabalhar em prol do bem social e comunitário. Tenho muito orgulho de fazer parte deste projeto da Holcim. Aprendemos muito com a capacitação que nos é dada e muito mais quando não guardamos este conhecimento e temos a oportunidade de colocar em prática um pouco daquilo que sabemos. É uma troca uma experiência extraordinária, descobrimos talentos, habilidades e vontade de ajudar o próximo e a comunidade, assumindo assim uma postura responsável por uma sociedade menos desigual – afirma Laura da Piedade Guimarães, assistente de expedição da unidade de Cantagalo.

Maio é mês de vacinar o rebanho contra a febre aftosa

  • PDF

Desde o último dia 1° de maio, o produtor rural tem um compromisso com a sanidade do rebanho bovino do estado. A data marca o início da primeira etapa da Campanha de Vacinação Contra a Febre Aftosa, que acontece até o dia 31. Diferentemente da imunização realizada em novembro do ano passado, agora todos os bovinos deverão ser vacinados, independentemente da idade.

A expectativa é de que mais de 2,2 milhões de cabeças sejam imunizadas, alcançando 100% de índice vacinal. O estado do Rio de Janeiro está há 18 anos sem registro de febre aftosa em seu rebanho.

O superintendente de Defesa Agropecuária da Secretaria Estadual de Agricultura, Paulo Henrique Moraes, orienta os produtores a adquirir a vacina nas lojas agropecuárias autorizadas e imunizar seus animais durante o prazo de duração da campanha, lembrando que os bubalinos (búfalos) também deverão ser vacinados.

– Os criadores devem estar atentos aos prazos para a imunização e declaração da vacinação junto à defesa agropecuária, pois só assim evitarão a multa e a interdição de suas propriedades – afirmou Moraes.

Para o secretário estadual de Agricultura, Christino Áureo, é fundamental o envolvimento de toda a cadeia produtiva nas etapas de vacinação.

Hoje, os controles da defesa agropecuária estadual vão desde a distribuição, o estoque e a revenda de vacinas, pelas lojas licenciadas, até a vacinação assistida em propriedades consideradas de maior risco sanitário. Portanto, é fácil identificar e aplicar as penalidades previstas na legislação para os criadores que deixarem de vacinar seus rebanhos.

Após a vacinação é obrigatória a apresentação da Declaração de Vacinação em um dos Núcleos de Defesa Agropecuária ou postos municipais no estado. O lançamento do documento também poderá ser feito, pelo próprio produtor, através da internet, diretamente no Sistema de Integração Agropecuária (Siapec), na página da Secretaria Estadual de Agricultura – www.agricultura.rj.gov.br –, implementado pelo serviço de Defesa Agropecuária.


Iphan assina Termo de Ajustamento de Conduta com Prefeitura e MPF

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) assinou, no último dia 29 de abril, o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com a Prefeitura de Nova Friburgo e o Ministério Público Federal (MPF) para regularizar a execução do serviço de corte raso e poda de árvores integrantes do ‘Conjunto Arquitetônico e Paisagístico da Praça Getúlio Vargas’, no Centro da cidade.

A Prefeitura já havia assinado o termo em março. No TAC, a Prefeitura de Nova Friburgo se obrigou a executar o serviço de corte raso e poda emergencial no ‘Conjunto Arquitetônico e Paisagístico da Praça Getúlio Vargas’ exclusivamente em relação a árvores que oferecem risco comprovado e não tolerável à incolumidade de pessoas e bens atestado por prévia análise técnica subscrita por profissional devidamente qualificado (engenheiro florestal, agrônomo ou botânico). Estudos técnicos (Relatório Técnico Unesa/PRM-NF 2014/2015) e avaliações arbóreas feitas por especialistas (Projeto Executivo Iphan/Technische 2014) apontam para a necessidade de corte.

Esclarece a Prefeitura de Nova Friburgo que, através dos links http://novafriburgo.rj.gov.br/secretarias/secretaria-de-gabinete/ ou http://pmnf.rj.gov.br/secretarias/secretaria-de-gabinete, é possível ter acesso ao TAC, aos relatórios técnicos da Unesa (Universidade Estácio de Sá) e Iphan, que deram fundamento aos trabalhos realizados, bem como do inventário dos troncos das árvores cortadas.

Informa, ainda, que, entre os dias 20 ou 21 de maio, haverá uma audiência pública na Câmara Municipal, com a participação das partes envolvidas, bem como da empresa que realizou o projeto de revitalização da Praça Getúlio Vargas, para apresentação do projeto à população.

Está à disposição da população, ainda, um aplicativo chamado ‘Portal do Patrimônio’, que pode ser baixado na versão Android pelo Google Play. Nesse aplicativo, toda a população pode identificar os pontos tombados pela União, Estado e Município na cidade e em outras cidades do país.


Rio Rural Emergencial já beneficiou mais de mil produtores no estado do Rio

É com esperança renovada que o agricultor Aluísio Carlos de Souza Gomes observa o volume de água que vem sendo armazenada no açude que abastece sua propriedade, na Microbacia São Lourenço, em Natividade, no Noroeste do estado. No último ano, por conta da forte estiagem, perdeu 100% da lavoura de milho e 50% do tomate, aipim, pimentão e abobrinha cultivados.

Ele é um dos 1.015 produtores das regiões Norte, Noroeste e parte da Serrana  que já foram beneficiados com a limpeza e desassoreamento de açudes e poços bebedouros, uma das ações do Rio Rural Emergencial, da Secretaria Estadual de Agricultura, para combate aos efeitos da estiagem no estado.

A limpeza e o desassoreamento, executados com máquinas do programa Estradas da Produção, revitalizaram o açude, que também fornece água para outras quatro famílias de agricultores.

Em Natividade, choveu apenas 650 milímetros nos últimos sete meses, quando o volume esperado para o período era de 1,4 mil milímetros.

Satisfeito com o apoio do Estado em um momento difícil para aqueles que vivem da atividade rural, o produtor de leite Paulo Sérgio Garcia Moraes, da Microbacia Bela Vista São Sebastião, no mesmo município, é outro beneficiado com a limpeza de açude. Por conta da escassez de chuvas, perdeu a capineira (plantação de capim) que alimentava o gado, provocando queda na produção.

A priorização dos beneficiários do Rio Rural Emergencial a partir dos Cogems (Conselhos Gestores das Microbacias) é para Jaqueline Ferreira da Silveira, produtora e membro do Cogem, da Microbacia Bela Vista São Sebastião, a forma mais democrática de atendimento.


Prefeitura de Nova Friburgo comemora parceria de sete anos com a Embrapa

A Prefeitura de Nova Friburgo, através da Secretaria Municipal de Agricultura, realizou, em 17 de abril, no Salão Azul da sede do Executivo, uma reunião do Conrural (Conselho dos Dirigentes das Organizações de Agricultores Familiares de Nova Friburgo), onde se comemorou a parceria de sete anos entre a Prefeitura e a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária).

A Embrapa é uma instituição pública de pesquisa vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil, que tem como objetivo o desenvolvimento de tecnologias, conhecimentos e informações técnico-científicas voltadas para a agricultura e a pecuária brasileiras.

Para a pesquisadora do núcleo local, Adriana Aquino, o município é um grande privilegiado por manter a parceria com uma unidade da empresa. “São 42 centros de pesquisa espalhados pelo Brasil, e Nova Friburgo é um deles. Nossa proposta é aproximar cada vez mais os pesquisadores dos três centros de pesquisa que existem no estado, uma vez que a realidade da agricultura mais dinâmica é a da Região Serrana”, enfatizou Adriana.

O núcleo na cidade conta com dois pesquisadores, que também são articuladores de outras unidades quando se trata de questões específicas. Além disso, a empresa mantém parceria com a Emater (Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Rio de Janeiro), o Rio Rural (Programa de Desenvolvimento Rural Sustentável em Microbacias Hidrográficas) e a Secretaria Municipal de Agricultura.

O foco do trabalho na região é o solo em local de montanha, e o manejo dessa cobertura de forma que os agricultores tirem melhor proveito da conservação desse solo, preservando os recursos naturais e a beleza cênica evidente que existe no município de Nova Friburgo.


Agricultura e Obras serão parceiras na implantação de Política de Mobilidade

Os secretários estaduais de Agricultura, Christino Áureo, e de Obras, José Iran Peixoto Júnior, se reuniram semana passada para detalhar o convênio a ser assassinado entre as duas pastas visando implantação da Política Estadual de Mobilidade Rural. A proposta, que envolve os programas Estradas da Produção e Asfalto na Roça, da Secretaria de Agricultura, serão executados pelos órgãos parceiros, através de suas vinculadas: Emater-Rio (Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Rio de Janeiro) e DER (Departamento de Estradas de Rodagem).

– Iremos compartilhar máquinas, equipe técnica, insumos e principalmente conhecimento, com o objetivo de levar mais qualidade de vida à população do campo. Investir na mobilidade rural é fundamental para as atividades agropecuária, agroindustrial, turística, mineral e de confecções instaladas em diversos municípios do interior. Queremos contribuir, ainda, para melhorar o acesso da população aos sistemas de saúde e educação – afirmou o secretário de Agricultura.

O programa Estradas da Produção já recuperou mais de 10 mil quilômetros de estradas rurais em todo o estado e, através da parceria com a Secretaria de Obras, será possível avançar com a pavimentação asfáltica das principais estradas do interior.

Para José Iran Peixoto, a sinergia irá unir a capacidade das duas pastas e promover avanços, especialmente, a implantação do programa Asfalto na Roça. “Daremos um upgrade na mobilidade de toda a área rural, recuperando a trafegabilidade dos 17 mil quilômetros de estradas vicinais do estado”, explicou.

Hoje, a malha viária estadual está dividida em cinco categorias: estradas com pavimentação asfáltica em toda a sua extensão; aquelas com pontos críticos asfaltados; as com revestimento primário, com bica corrida; as sem revestimento primário e, por último, as que estão sem manutenção.

Segundo Christino Áureo, o Estradas da Produção continuará executando a manutenção das estradas rurais, enquanto o programa Asfalto na Roça irá converter parte dessa malha em estradas pavimentadas.

– Vamos fazer uma verdadeira revolução na infraestrutura de estradas rurais do nosso estado. O governador Luiz Fernando Pezão determinou que déssemos prioridade a esses programas, importante para o desenvolvimento do interior – finalizou.

Alunos de Cantagalo participam de palestra do Projeto Despertar

  • PDF

Pelo quinto ano consecutivo, o Projeto Despertar, uma parceria entre a Lafarge, controladora da fábrica de cimento Mauá, e as prefeituras de Cantagalo, Cordeiro e Macuco, municípios da área de entorno da indústria, quer despertar os jovens para suas vocações pessoal e profissional, levando em consideração as oportunidades atuais do mercado de trabalho na própria região. Haverá, pelo menos, um encontro mensal em cada um dos três municípios participantes, até o final do ano.

Este ano, a primeira edição do Despertar foi realizada na manhã do dia 17 de abril, no salão da Escola Municipal Lameira de Andrade, em Cantagalo, com uma palestra motivacional com o tema ‘Agronegócios’, ministrada por Joel Naegele, compreendendo laticínios, associativismo e cooperativismo, além de reflorestamento.

O objetivo foi aproveitar a extensa experiência do palestrante nessas áreas. Naegele é, atualmente, vice-presidente da Sociedade Nacional de Agricultura (SNA),  articulista do Jornal da Região, ex-presidente da Associação Comercial de Cantagalo, e  membro do comitê formado pela Lafarge, com cinco membros de cada um dos três municípios envolvidos, para a execução do Projeto Despertar.

Este ano, Cantagalo participa com cerca de 200 estudantes do ensino médio de três colégios: Ciep 277 – João Nicoláo Filho (Janjão), Colégio Estadual Maria Zulmira Torres e Colégio Euclides da Cunha, este da rede particular de ensino. A rede municipal não participa por atender apenas ao fundamental.

Saulo Gouvea aproveitou para conversar com os estudantes sobre a importância do projeto e disse que só com conhecimento, através dos vários processos educacionais, é que se pode realmente vislumbrar um futuro promissor. “Somente com investimento em educação e conhecimento é que poderemos transformar este país grande num grande país”, destacou o prefeito. 

O novo gerente da Lafarge em Cantagalo, Juliano Menezes, que está na unidade há apenas três meses, usou sua avó para falar com os alunos sobre a importância do estudo. “Minha avó sempre me dizia, com toda a sua simplicidade, que a única coisa que ninguém poderia tirar de mim era o conhecimento que eu conquistasse. Então, quanto mais vocês aprenderem, melhor para vocês mesmos”, discursou. Juliano Menezes, que estava acompanhado do gerente de Controle e Performance da indústria de cimento, Manoel Ramos, um dos idealizadores do projeto, também afirmou que, chegando à região, conheceu e se encantou pela proposta do Despertar.

Outra que incentivou os estudantes ao aprendizado foi a secretária de Educação, Fernanda Torres. Ela também disse que a secretaria está pronta para dar todo o suporte necessário a projetos como o Despertar. Ela ainda chamou a atenção dos alunos para a importância não só do tema da palestra, que é mensal, mas para o projeto como um todo. 

Para Fernanda Torres, esses estudantes estarão, em breve, se deparando com uma nova realidade. “Estão próximos de se perguntarem o que fazer. Esse projeto, pelo menos, traz perspectivas, novos horizontes, vislumbra alternativas, opções”, destacou. Segundo ela, a importância do projeto está no direcionamento dos adolescentes para alternativas, a maioria apontada em áreas técnicas e que poderiam ser absorvidas na própria região.


Juarez de Souza é o novo presidente da Associação Comercial, Industrial e Agropecuária de Cantagalo

O jovem empresário Juarez de Souza Lopes Júnior é o novo presidente da Associação Comercial, Industrial e Agropecuária de Cantagalo (Aciacan). Sua eleição ocorreu sem nenhum contratempo e se deu em chapa única, no dia 16 de abril, quando foi realizada a assembleia geral para a prestação de contas da diretoria que encerrou o mandato, na sede da entidade, no Centro da cidade.

A nova diretoria da Aciacan, do biênio 2015-2017, terá como presidente Juarez de Souza Lopes Júnior. Ainda compõem a chapa Jorge Luiz Nóbrega Richa, o Coquinha (vice-presidente); Reginaldo Leite Gonçalves (diretor Comercial); Leonardo Alves de Souza (diretor Industrial);   Rogério Fialho Silveira Luz (diretor Agropecuário); Elias Antônio Ramos Barbas (tesoureiro); e Vladimir Pereira de Araújo (secretário), este último presidente da gestão anterior.

Os membros titulares do Conselho Fiscal da Aciacan agora serão Paulo César  Coelho Flores; Carlos Alberto da Silva Araújo e Paulo Renato Filho. Já os suplentes são Conchita Zanon, José Flávio Pereira Júnior e Ozimar Félix Ferreira.

O novo presidente da Associação Comercial de Cantagalo, Juarez Souza, é sócio-proprietário das empresas Vollú & Souza Confecções e Restaurante Rancho, em Cantagalo. A Aciacan foi fundada em 1931 e tem mais de 200 associados.


Governo do Estado amplia a produção de frutas voltadas ao consumo direto

O programa Frutificar, criado pelo Governo do Estado para fomentar o aumento da produção de frutas no Rio de Janeiro, vem colhendo bons frutos. Nos últimos anos, o projeto ampliou o leque das frutas incentivadas e avançou para diversas regiões do Rio de Janeiro. Até a 16ª edição do concurso Comida di Buteco, que reúne 45 estabelecimentos, tem este ano o produto como tema.

– A produção incentivada pelo Frutificar se destaca pela qualidade, produtividade elevada e alto padrão comercial. A maior parte é o que chamamos de frutas de mesa, voltadas para consumo direto e não para processamento pela indústria – disse o secretário de Agricultura e Pecuária, Christino Áureo.

O Frutificar permite o acesso a novas variedades do produto e o aporte de modernas tecnologias por meio de linha de crédito específica para o financiamento de projetos de fruticultura irrigada. Até então, foram investidos R$ 40 milhões em financiamentos para a atividade, beneficiando 987 produtores, com a implantação de três mil hectares de frutas em todo o estado.

Fruta com maior volume de produção e área plantada no estado, o abacaxi se destaca, principalmente, no município de São Francisco do Itabapoana, no Norte Fluminense. São seis mil hectares de lavouras. Em segundo lugar, vem laranja e limão, produzidos nas regiões das Baixadas Litorâneas e Noroeste.

Veterano no Comida di Buteco, David Bispo, proprietário do Bar do David, no Chapéu-Mangueira, no Leme, usou o abacaxi para criar o prato desta edição. O Estrela de David reúne costela de porco com geleia da fruta, pimenta e hortelã. 

– Escolhi o abacaxi por ser uma fruta bem brasileira, que encontramos o ano todo e muito prática de usar na culinária, já que combina com tudo. Além disso, pensei na Estrela de David, usando como decoração do prato a coroa da fruta, que todo mundo descarta – explicou David. 

Três bares participantes este ano estão instalados em comunidades pacificadas.


Estado vai pavimentar estradas na zona rural

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Agricultura e do DER-RJ (Departamento de Estradas de Rodagem), vai asfaltar pontos críticos de estradas vicinais em áreas rurais para facilitar o escoamento da produção agrícola.

Chamada de Asfalto na Roça, a iniciativa tem o objetivo de pavimentar áreas de declives ou de grande trafegabilidade onde os serviços de manutenção têm que ser constantes.

A ação, que ainda está sendo elaborada pela Secretaria de Agricultura e o DER, pretende usar tecnologias de baixo custo e reduzido impacto ambiental, como o asfalto borracha, entre outras alternativas.

– O programa Estradas da Produção já recuperou mais de 10 mil quilômetros de estradas rurais, mas existem pontos que precisam de investimento. Faremos uma grande economia para os cofres estaduais se colocarmos pavimentação asfáltica nesses locais, além de oferecer  infraestrutura mais satisfatória para a produção – disse o secretário estadual de Agricultura, Christino Áureo.

Segundo o presidente do DER-RJ, Ângelo Monteiro, o programa Asfalto na Roça favorecerá o trabalho do produtor rural em localidades de difícil acesso.

– Com o apoio da Secretaria Estadual de Agricultura, poderemos otimizar projetos de recuperação das vias mais importantes para o escoamento dos produtos agrícolas – explicou Ângelo Monteiro.


Cordeiro realiza I Festa do Produtor Rural

Nesta sexta-feira, 1º de maio, feriado do Dia do Trabalhador, a Associação de Micro e Pequenos Produtores Rurais de Cordeiro (Aprucor) realiza, no Parque de Exposições Raul Veiga, a I Festa do Produtor Rural de Cordeiro, que conta com apoio da Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Agricultura.

O evento começa com uma concentração para cavalgada, às 12 horas. Depois do percurso da cavalgada, cavaleiros e amazonas retornarão ao parque de exposições para a segunda parte da festa, programada para as 15 horas. Serão dois shows, o primeiro com o grupo Raça Mineira, que é prata da casa, e o encerramento com a banda Forrozão Parada Louca, de Santo Antônio de Pádua.

O presidente da Aprucor, Juarez Gonçalves, destaca o apoio recebido por parte do poder público, bem como dos empresários e comerciantes que apostaram no encontro voltado à valorização do homem do campo.

Ficou a cargo da diretoria da entidade a organização da festa e, segundo o presidente, os shows acontecem no palanque principal do Parque Raul Veiga. A festa também é aberta ao público em geral.


Alunas de curso técnico de Macuco visitam Queijaria Escola

Questão bem definida pela administração do prefeito Félix Lengruber em Macuco, o aumento na oferta de cursos profissionalizantes promete se converter em geração de emprego e renda para os munícipes futuramente. Uma demonstração disso é o curso preparador de doces e conservas, iniciativa da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos.

Realizado pelo Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial), em parceria com o Sindicato Rural de Trajano de Moraes, sob coordenação da própria Secretaria de Desenvolvimento Social de Macuco, num trabalho idealizado pelo Pronatec (Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego), o curso dará suporte profissional às participantes, que têm demonstrado grande interesse no aprendizado.

Para mostrar, na prática, lições aprendidas nas aulas, foi organizada uma visita à Queijaria Escola Suíça, em Nova Friburgo. As cursistas foram acompanhadas por Jucilea Brito, representante da administração local e responsável pelo Pronatec em Macuco, e pelos professores Kurt Kaufmann e Elaine Monteiro.

Durante a visita, que não ficou restrita à queijaria, pois as estudantes também visitaram o Horto do Japonês e a Estufa Oliveira, muitas novidades foram apresentadas às atentas alunas do curso de Macuco, aproveitando explanação da técnica da empresa, que detalhou os processos de produção e fabricação de queijos e chocolate, desde a captação da matéria-prima até a chegada do produto final ao consumidor.

Nas visitas seguintes, as alunas foram contempladas com novos aprendizados. Elas observaram trabalhos realizados no horto e nas estufas, onde conheceram inúmeras técnicas, tipos de flores e mudas, entre elas cebola ornamental, antúlio, bromélia, orquídea, samambaias, jiboias, flor de maio, quaresmeira, cerejeira flor, sibipiruna, couve-flor, alface, alho poro, brócolis, couve-barcelona, mostarda, almeirão e repolho.

Após conheceram o Museu do Colonizador, as estudantes retornaram a Macuco com ânimo renovado, reconhecendo na iniciativa da administração local uma forte aliada. “Elas ficaram empolgadas com tudo que viram e constataram estar diante da oportunidade de conquistar uma profissão bastante promissora”, relata Jucilea Brito.

Cooperativa de Macuco inaugura nova fábrica de manteiga

  • PDF

A diretoria da Cooperativa  Regional Agropecuária de Macuco, presidida por Sílvio Marini, inaugurou as novas instalações da fábrica de manteiga e do conjunto de geradores de energia, no dia 28 de março.

– Durante o ano de 2014, tivemos que promover gastos consideráveis para a instalação de conjunto de geradores de energia. Investiu-se também na instalação da nova fábrica de manteiga, em Macuco. Investimentos bastante oportunos, tendo em vista que corremos risco de racionamento de energia e elevação de tarifas em 2015 – afirmou Sílvio Marini.

Na unidade de Quissamã, também foi feita ampliação da estação de tratamento de esgotos e do reservatório de água.

Na solenidade de inauguração, foi descerrada uma placa que informava a diretoria da Cooperativa de Macuco, composta pelo presidente, Sílvio Marini, além de Marcos Tadeu Erthal (vice-presidente). O Conselho Administrativo é composto por Alcineu Daflon Ferro, Carlos Roberto Siqueira, Francisco de Paula La Saigne d’Aboin Inglês, Ronaldo Soares Moreira e Thierry Homero Ribeiro Gomes.

Já o Conselho Fiscal é Adriano Martins Barros, Acymar Cypriano Pinto, Helcy de Moraes, Ivo Antônio Queiróz Filho, Joel Tavares de Queroz (in mermoriam) e Walter Erthal Tardin, responsáveis pela conquista da cooperativa.

O município de Macuco é o segundo maior processador de leite do estado do Rio de Janeiro. Há anos, funciona ali a Cooperativa Regional Agropecuária de Macuco. Após a queda da cultura de café, que, até então, era a principal atividade do município desde o século XVII, a produção leiteira começou a despontar.

Em 1933, os produtores de leite da região já vendiam para Niterói e Rio de Janeiro sua produção, transportada em latas quadradas de um metro de largura por meio metro de altura. 

O precursor foi o português Joaquim de Morais Cordeiro, proprietário da Fazenda Glória. Essa iniciativa influenciou os produtores de leite a organizarem a cooperativa. A manteiga Macuco, por exemplo, data de mais de 50 anos.


Estado entrega 19 pontes e 8 caminhões para zona rural em Friburgo

O governador Luiz Fernando Pezão e o prefeito Rogério Cabral (PSD) entregaram 19 pontes na zona rural de Nova Friburgo. As pontes atendem às comunidades do Barracão dos Mendes, Três Picos, Salinas, Rio Grande, Pilões, Prainha, Buraco do Sapo, Córrego Frio, Córrego Dantas, Santa Cruz, Três Cachoeiras, Amparo, Vargem Alta e outras. Em algumas comunidades foi necessária a reconstrução de mais de uma ponte para restabelecer o escoamento agrícola e industrial.

– O objetivo é valorizar o interior fluminense para que os municípios se desenvolvam cada vez mais, gerando renda e emprego. Com as pontes que já entregamos, ajudamos na produção no campo. Agora, falta inaugurar poucas passagens para concluir o trabalho feito pelo governo estadual na Região Serrana”, disse Pezão.

O prefeito Rogério Cabral acompanhou o governador numa vistoria in loco às pontes na zona rural. “Posso garantir que, hoje, a zona rural de Nova Friburgo está produzindo mais do que antes das chuvas de 2011, graças à parceria do município e o Estado. Essa parceria é muito importante para Nova Friburgo, porque fortalece nossa região e movimenta nossa economia, dando oportunidade de desenvolvimento para os pequenos produtores rurais”, afirmou.

O Estado também entregou, em Nova Friburgo, oito caminhões basculantes para a Emater, da Secretaria de Agricultura. Avaliados em R$ 1,5 milhão, os veículos vão reforçar as patrulhas do programa Estradas da Produção, que atuam em todo estado, na manutenção e recuperação de estradas vicinais para facilitar escoamento agrícola e deslocamento da população.

– A recuperação das pontes e os novos caminhões são muito importantes, porque essa é uma das regiões mais prósperas em agricultura familiar do Rio de Janeiro e até do Brasil. O investimento é um incentivo para fomentar a produção e gerar renda nos municípios serranos – explicou Christino Áureo.


Maior público do Arena Park no Encontro Nacional de Muladeiros

Um recorde de público. Foi o que aconteceu com a realização do III Encontro Nacional de Muladeiros, em Cantagalo, no último final de semana, no Arena Park.

Segundo os organizadores, nos três dias de evento, mais de  seis mil pessoas passaram pelo local. “No sábado, foi o dia mais lotado”, garante Jorge Nóbrega Richa, o Coquinha, afirmando que o público, nesse dia, chegou a três mil pessoas.

O evento foi idealizado, desde a primeira versão, pelo ex-prefeito Guga de Paula, que, este ano, contou com apoio dos amigos Coquinha, Cica Machado (prefeito de Cachoeiras de Macacu), João Muladeiro, Merion Machado e Betinho Vaca Brava. O objetivo do encontro é reunir, em três dias, os apaixonados por mulas.

Este ano, o evento contou com participação de criadores dos estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e Goiás.

Já o evento poierão, que conta com participação de várias raças de animais, superou todas as expectativas, contando com 136 animais participantes.

Segundo Marquinhos Rohen, um dos diretores e sócio-proprietário do Arena Park, que fica no trevo de Aldeia, entrocamento da RJ-160 com a RJ-152, já está prevista a realização de vários eventos ligados à área rural, como  leilões de cavalos, bovinos e vacas leiteiras. Estes eventos devem acontecer ainda este ano. Há, ainda, a previsão de eventos ligados às raças de cavalos pampa e mangalarga, também neste ano de 2015.

Os elogios à estrutura do Arena Park, que facilita a realização de vários eventos, já estão provocando a divulgação de um calendário de eventos para todo o ano.

Um detalhe interessante no III Encontro Nacional de Muladeiros é que não existiu a participação do poder público no patrocínio. Todos os investimentos financeiros foram patrocinados pelos organizadores e empresas parceiras.

– Em nome dos organizadores, queremos agradecer aos parceiros do evento, como as empresas patrocinadores e os organizadores, que também deram dinheiro para ajudar na realização evento, que foi coroado de sucesso – afirmou Coquinha, diretor do Arena Park.


Carmo inicia campanha de vacinação contra aftosa

Produtores rurais poderão ficar despreocupados com a saúde do rebanho. A Prefeitura de Carmo, através da Secretaria de Agricultura, dará início, no dia 1º de maio, à campanha de vacinação do rebanho bovino contra a febre aftosa em todo o município.

No ano de 2014, o município se esforçou e conseguiu alcançar marcas históricas. Na primeira fase, em maio de 2014, 30 mil cabeças de gado foram vacinadas, totalizando 100% do rebanho do município.

Já na segunda fase, em novembro de 2014, quando o rebanho alvo foi de 0 a 24 meses, todos os 11.779 bovinos foram imunizados. Isto gerou ao município de Carmo o primeiro lugar no estado na luta contra a febre aftosa.

Segundo o secretário de Agricultura, Armandinho Chaves, essa marca só foi atingida pelo empenho de vários setores. “Somente uma secretaria alinhada com os produtores rurais, juntamente com as entidades representativas públicas e privadas, tendo o desejo maior de promover a sinergia no setor agropecuário, é capaz de melhorar a vida na zona rural”, frisou Armando Chaves.


Inea doa 2,5 mil mudas ao projeto ‘Onda Verde’

A Secretaria de Meio Ambiente de Cordeiro, que iniciou o projeto de reflorestamento urbano denominado ‘Onda Verde’, acaba de receber um incentivo da Secretaria de Estado do Ambiente, através do Instituto Estadual do Ambiente (Inea).

O Serviço do Ambiente de Mudas atendeu à solicitação do secretário Paulo Araújo e doou 2,5 mil mudas de espécimes de pequeno porte para o plantio no município. As mudas foram ofertadas pelos hortos florestais estaduais de Cantagalo, Trajano de Moraes e Santa Maria Madalena.

Segundo o secretário, as mudas serão de grande valia para dar continuidade ao projeto ‘Onda Verde’, que foi recebido positivamente e teve uma grande adesão da população. Paulo Araújo só lamenta a resistência de algumas forças contrárias, que tentam desestruturar a execução do projeto, arrancando e quebrando mudas, principalmente as plantadas nos bairros Dois Vales e Lavrinhas.

A Secretaria de Meio Ambiente continua solicitando apoio da comunidade para ajudar na irrigação das mudas plantadas, impedir que elas sejam danificadas e denunciar ações negativas contra as plantas, através dos telefones (22) 2551-0145, 2551-0616, 2551-0593 - ramais 208 ou 209.


Nova Friburgo faz manifestação contra o governo Dilma

Moradores de Nova Friburgo se reuniram na Praça Dermeval Barbosa Moreira, no Centro da cidade, em protesto contra o governo da presidente Dilma Rousseff (PT). Segundo os organizadores do movimento, cerca de 50 pessoas participaram do ato. Já a Polícia Militar (PM) informou que foram 30 pessoas. A concentração começou por volta das 16h30min.

O grupo vestia verde e amarelo e segurava cartazes pedindo o impeachment da presidente e o fim da corrupção.

– Sou contra a corrupção. Não tem mais nada que choque. A inflação está subindo e, aos poucos, as pessoas vão aderir, conforme pesar no bolso – disse Maria Teresa Grey, psicanalista, de 64 anos, afirmando que é apartidária.

Durante todo o movimento – com menor adesão em relação ao de março de 2015, com 300 pessoas, segundo os manifestantes, e 200, de acordo com dados da PM –, o grupo tentou chamar a atenção de quem passava pela rua gritando palavras de ordem como “Vem pra rua!” e “Fora PT, leva a Dilma com você!”. A manifestação terminou por volta das 17h45min.

Floricultura movimenta R$ 634 milhões no estado em 2014

  • PDF

A floricultura, atividade que já coloca o estado do Rio de Janeiro entre os maiores polos produtores de flores e plantas ornamentais do país, dá sinais que ainda tem fôlego para crescer.

De acordo com a Secretaria Estadual de Agricultura, em 2014, o setor movimentou R$ 634 milhões, valor 10% superior ao do ano anterior. Esse crescimento vem acompanhado do aumento do número de produtores, expansão da área de cultivo, diversificação do número de espécies cultivadas e a profissionalização de mão de obra na agregação de valor e serviços, ampliando a demanda pelo produto.

Atualmente, em todo o estado, 1.074 produtores se dedicam  à produção de flores de clima temperado, tropicais e envasadas, além de plantas para paisagismo e jardinagem. Grande parte deste contingente, cerca de 50%, se concentra na Região Serrana, produzindo flores de clima temperado e envasadas, entre elas as orquídeas. Outros 38%, na Região Metropolitana, cultivam plantas ornamentais, flores e folhagens tropicais. Os demais estão pulverizados nas regiões Noroeste, Baixadas Litorâneas e Sul fluminense.

Segundo a coordenadora do Programa Florescer, da Secretaria Estadual de Agricultura, Nazaré Dias, o bom momento da floricultura no estado é atribuído, entre outros fatores, à presença de microclimas que favorecem o cultivo da maioria das espécies, gerando uma oferta diversificada.

– Nos últimos cinco anos, os produtos da floricultura fluminense aumentaram sua participação na oferta global do mercado estadual, de 18% para 80%. Para atingir este patamar, produtores, apoiados pelo Florescer, com assistência técnica da Emater-Rio (Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Rio de Janeiro), investiram em capacitação, inovação de estruturas de produção, acompanhamento de tendências do setor para melhorar o padrão de qualidade do produto e atender a um consumidor mais exigente – frisou a coordenadora do programa.

Nazaré acrescenta que a profissionalização do segmento permitiu que alguns produtores atendessem a demandas de outros estados, como São Paulo (Campinas) e Minas Gerais, com flores tropicais e plantas ornamentais.

A expansão da área cultivada e do número de produtores nos municípios de Itaboraí, Rio de Janeiro, Bom Jardim,  Nova Friburgo, Santo Antônio de Pádua e Bom Jesus do Itabapoana também contribuíram para a elevação da produção.

– A floricultura é um setor importante para a geração de empregos e o seu crescimento é fundamental para a economia do Estado – afirmou o secretário estadual de Agricultura, Christino Áureo, ao destacar que essa evolução é resultado do trabalho da equipe do Programa Florescer, com destaque para o da sua coordenadora, Nazaré Dias.

Segundo ele, essa política pública vem criando um ambiente de evolução tecnológica e comercial para o segmento, que conta com apoio do governador Luiz Fernando Pezão para continuidade dos incentivos à atividade. “Isso nos faz acreditar que o crescimento do setor novamente será bastante significativo no ano de 2015”, concluiu o secretário Christino Áureo.


Cooperativa de Duas Barras tem 207 cooperados e produção de 380.950 litros de leite por mês

Fundada em 4 de novembro de 1967, hoje com mais de 45 anos de funcionamento, a Cooperativa Agropecuária de Duas Barras, atualmente com 207 cooperados, recebe e beneficia 12.345 mil litros de leite por dia, o que garante uma produção mensal de 380.950 litros e a expressiva marca de 5.232.883 milhões de litros beneficiados anualmente, o que garantiu, em 2014, um faturamento bruto que ultrapassa a marca dos R$ 7,5 milhões, mais precisamente R$ 7.599.972,32 milhões.

Sob a presidência de Jorge Costa, foi dado início a um processo de conscientização do produtor, que acolheu a nova filosofia de trabalho, fortalecendo a produção de leite com mais qualidade e melhores preços. O trabalho realizado pela cooperativa junto aos seus cooperados, de melhoria da coleta e qualidade do leite, em razão do escoamento dos produtos, atende às normas do Ministério da Agricultura.

Visando essa melhoria, os cooperados foram orientados a manter os estábulos limpos, a não coletar leite de vacas recém-medicadas, em especial com antibióticos, e evitar adicionar água no leite, mantendo tanques e galões sempre secos após lavados, evitando impurezas.

Quanto à industrialização, hoje a Cooperativa de Duas Barras atinge a marca de 75% a 85% do leite recebido, o que garante a produção de queijo frescal, padrão, muçarela, manteiga, bebida láctea, requeijão, doce de leite, leite em saquinho. A comercialização é realizada nos mercados da Região Serrana, além de Itaboraí, Maricá, São Gonçalo, Região dos Lagos e Rio de Janeiro.

Com essas atitudes, foi possível modificar o perfil da comercialização, aumentado as vendas dos produtos desde janeiro de 2014, quando Jorge Costa assumiu a presidência da cooperativa, dando um choque de gestão na entidade. Com isso, foi possível deflagrar um processo de conscientização dos vendedores e incremento nas vendas com a introdução da marca própria. Isso possibilitou a fabricação de produtos próprios, levando a marca dos supermercados da região, tais como queijo, manteiga, requeijão e outros, produzidos pela Cooperativa de Duas Barras, o que estabeleceu importantes parcerias com grandes nomes da região, como Supermercado Cavalo Preto, Tio Dongo e Nonna Carmella. Em breve, outros mercados irão surgir, fortalecendo a parceria.

Essas conquistas só foram possíveis graças ao trabalho e união da diretoria da Cooperativa de Duas Barras, sob a presidência de Jorge de Souza Costa, tendo no comando da diretoria Financeira Geraldo Tavares e, na diretoria Administrativa, Roberto de Mello Araújo.

O trabalho recebeu apoio direto do Conselho de Administração, formado por Jorge de Souza Costa, Geraldo Gilberto Tavares, Roberto de Mello Araújo, Luiz Ribeiro, Aloísio Feiteira da Silveira e Paulo César Lopes Mora, e do Conselho Fiscal, formado por Antônio Carlos Rodrigues Turque, Roney Schuenck e Emanuel Vellozo de Morais. A Assessoria Jurídica ficou a cargo de Ângelo Giovanni Vianello.

Alguns desafios estão sendo gradativamente vencidos, como saldar dívidas fiscais com fornecedores, parcelamento e negociações de outras dívidas ainda pendentes, através de recursos gerados a partir do aumento da captação de leite, ampliação da produção e distribuição da nova linha de produtos, bem como o aumento na produção das marcas próprias.

A meta da cooperativa é continuar melhorando a remuneração aos produtores, com ganho real no litro de leite, fornecendo assistência técnica especializada, para que o produtor tenha condição de aumentar sua produção com qualidade. Outra iniciativa é conseguir linha de financiamento subsidiada para que os produtores comprem equipamentos ligados à produção de leite, como tanques de resfriamento de leite, ordenhas mecânicas, tratores, gerador de energia, arados mecânicos, entre outros.

Gerando, atualmente, 26 empregos diretos, sendo 13  trabalhando na usina, cinco no armazém, três no escritório, dois na coleta de leite e mais de mil indiretos, a cooperativa quer incentivar os funcionários e parceiros diretos na produção. Assim, instituiu o Diploma de Funcionário Eficiente para aquele que mais se destacar em suas atividades.

Na área da usina de processamento de leite, foram adquiridos novos tanques de resfriamento e pasteurização do leite, mais caminhões para a coleta do leite e caminhões frigoríficos para entrega dos produtos vendidos. No laticínio, com a aquisição de outras máquinas para a fabricação de novos produtos, tais como queijos prato, parmesão, ricota e empacotamento  do leite UHT e outros. A cooperativa está ampliando e fortalecendo a produção.

Finalmente, na área da logística, a cooperativa, que, na época das chuvas, enfrenta sérios problemas para ter acesso às fazendas e propriedades devido à precariedade das estradas vicinais, vem buscando apoio da Prefeitura para melhoria das estradas, garantindo o escoamento da produção leiteira.

Finalizando, fica a mensagem do presidente Jorge Costa para que o produtor rural cooperado compreenda que a cooperativa, como o próprio nome diz, é união, cooperação, ação em conjunto, com o mesmo fim e objetivos de melhor produção, comercialização e remuneração. 

– Neste sentido, a cooperativa não pertence a apenas um, ela é de todos. Vale lembrar que, hoje, a Cooperativa de Duas Barras tem um patrimônio imobilizado de quase R$ 5 milhões. E esse patrimônio é de todos os cooperados. Para isso, é preciso perceber e adotar a nossa filosofia de trabalho, que é de levar para todos os benefícios que forem alcançados com a participação de todos os cooperados, tais como: assistência técnica veterinária, agrônoma, orientação no pastejo rotacionado, silabem, plantio, coleta e silabem, melhor remuneração sobre o leite, entrega de insumos agropecuários, tanto da cadeia alimentar bovina quanto medicamentos veterinários e implementos agrícolas, como picadeiras, ordenhas mecânicas, materiais  de reposição e outros, com o intuito sempre de viabilizar a melhor assistência e o aumento de sua produção de leite – diz o presidente.

– A cooperativa é nossa e todos devem se preocupar e trabalhar por ela, principalmente, mantendo a fidelidade. Além de estarmos pagando um preço pelo leite melhor do que algumas cooperativas e laticínios, fornecemos benefícios equivalente a R$ 0,07, que, somados ao preço de leite, o eleva a um patamar superior aos demais. Portanto, não adianta migrar e abandonando a sua cooperativa só por uns centavos a mais. A nossa cooperativa atende ao cooperado de segunda a segunda, seja em dias de sábado, domingo ou feriados. Se faltar ração, um medicamento ou se o animal ficar doente, o animal não vai morrer, pois enviaremos um veterinário, a ração ou medicamento à sua fazenda no momento em que procurar um dos diretores ou funcionários da cooperativa em suas residências. Quem faz isso pelo seu cooperado? – questiona Jorge Costa.

O presidente  Jorge Costa, advogado, domiciliado na cidade do Rio de Janeiro e com fazenda em Duas Barras desde maio de 1991, com produção leiteira, tem, no seu curriculum, não só a advocacia como administração. Foi diretor da multinacional Polygram Discos Ltda., diretor da Dun & Bradstreet, presidente do Instituto Cultural Martinho da Vila e, atualmente, exerce a presidência da Socimpro (Sociedade Brasileira de Administração e Proteção da Propriedade Intelectual), a vice-presidência da Federación Iberolatinoamericana de Artistas Intérpretes y Ejecutantes, com sede em Madri, Espanha.

Jorge Costa também recebeu, da Câmara Municipal de Duas Barras, em 9 de maio de 2007, o título de cidadão bibarrense, e sempre colaborou na administração da cooperativa na época do presidente José Araújo, depois com Luiz Fernando Frointchuk e  com Luiz Gonzaga Pagnuzzi Araújo.


Governo beneficiará 18 mil famílias do interior com recursos em saneamento

Até o fim de 2016, o Rio de Janeiro será o estado brasileiro com a maior ação de saneamento rural implantada, beneficiando 18 mil famílias. A Secretaria de Agricultura e Pecuária, por meio do programa Rio Rural, está instalando, em uma primeira etapa, cinco mil unidades de fossas sépticas biodigestoras em microbacias de 24 municípios das regiões Norte, Noroeste e Serrana.  O investimento total no projeto será de R$ 31 milhões.

A tecnologia, desenvolvida pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e adotada pelo Estado, permite a destinação adequada dos dejetos, evitando a poluição da água e aumentando a qualidade de vida das populações que vivem no interior fluminense.

As fossas sépticas biogestoras realizam, ainda, o aproveitamento dos resíduos na adubação, melhorando a produção agrícola. A proposta alia sustentabilidade, preservação da natureza e o desenvolvimento no campo.

– Todos se beneficiam. Os produtores rurais e suas famílias, a comunidade, que sai fortalecida com a preservação do ambiente e o estímulo à produção, e a sociedade em geral, com a redução dos gastos com tratamento de doenças no futuro – afirmou o secretário de Agricultura, Christino Áureo.

No mês passado, 252 famílias de pequenos agricultores na Região Norte Fluminense foram beneficiadas com o saneamento rural. Na Microbacia Fazenda Tipity, no município de São Francisco do Itabapoana, foram entregues fossas sépticas para 193 famílias de agricultores. Já na Microbacia Rio Ururaí, em Campos dos Goytacazes, foram instalados kits de fossas sépticas para 59 famílias. Os investimentos totalizaram R$ 415 mil.

Com financiamento do Banco Mundial, o programa Rio Rural incentiva a adoção de práticas sustentáveis no campo.

Pgina 9 de 18

Área exclusiva - Login

Notícias completas e versão digital exclusivas para assinantes

Informativo JR

Cadastre-se e fique bem informado