Informe Rural

Produtores de Cantagalo devem imunizar quase 60 mil cabeças de gado contra a febre aftosa até o final deste mês

  • PDF

Os produtores de Cantagalo, município que tem o maior plantel bovino da Região Serrana, com cerca de 60 mil cabeças, deram início no último dia 1º de novembro à segunda etapa da Campanha de Vacinação contra a Febre Aftosa, doença viral altamente contagiosa que afeta animais biungulados, ou seja, animais que possuem dois “dedos”. Os mais afetados são bovinos de leite e de corte e os suínos.

De acordo com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Agropecuário, que dá suporte aos produtores durante o período dedicado à imunização dos animais, que vai até 30 de novembro, na primeira etapa do ano, realizada em maio, todos os animais, independentemente da idade, foram vacinados.

– Para esta segunda etapa, há a obrigatoriedade de vacinação apenas dos animais com idade até 24 meses – explica o secretário de Desenvolvimento Agropecuário do município, Rodrigo Vollú. Segundo ele, o estado do Rio de Janeiro, por conta dessas campanhas semestrais, está há 17 anos sem nenhum registro da doença. Conforme a Defesa Sanitária Estadual, os últimos casos registrados no estado do Rio de Janeiro foram em 1997, em Itaperuna, no Noroeste Fluminense, e em Magé, na Baixada Fluminense. Rodrigo Vollú também explica que as doses devem ser adquiridas pelos próprios criadores.

Cantagalo é considerado o maior produtor bovino da Região Serrana, o que dá ao município o título de responsável pela maior bacia leiteira da região. Os bons índices conseguidos nas campanhas são creditados ao resultado do trabalho das equipes da Defesa Agropecuária, da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Agropecuário, do Sindicato Rural e da Emater-Rio (Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Rio de Janeiro), aliado à conscientização dos criadores sobre a necessidade da imunização do gado.

A campanha tem como meta manter o rebanho sadio, apto a atender aos mercados nacional e internacional, com o fornecimento de material genético (sêmen, embriões, matrizes e reprodutores) e carne de qualidade. Durante as etapas, também são promovidas ações para a conscientização dos pecuaristas sobre a importância da imunização dos rebanhos.

Após vacinar o rebanho, o produtor deverá entregar a declaração de vacinação ao Núcleo Regional de Defesa Agropecuária. Para isso, é preciso apresentar a declaração de vacinação e a nota fiscal de aquisição das vacinas, comprovando a imunização de seus animais, o que terá que ser feito até o quinto dia útil após o encerramento da campanha – 7 de dezembro. O lançamento do documento poderá ser feito pelo próprio produtor através da internet, no Sistema de Integração Agropecuária (Siapec), no site da Secretaria Estadual de Agricultura – www.agricultura.rj.gov.br –, implementado pelo serviço de Defesa Agropecuária.

Quem não declarar a vacinação estará sujeito a receber auto de infração, ter a propriedade interditada, ser multado em até 20 mil Ufirs, além de arcar com o pagamento da taxa de duas Ufirs por animal não vacinado.

Aprovadas as contas de 2015 de Carmo, com ressalvas e determinações

  • PDF

Com ressalvas e determinações, o Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) aprovou, na sessão plenária do dia 8 de novembro, a prestação de contas do governo da Prefeitura de Carmo. A decisão dos conselheiros da Corte de Contas seguiu o voto da relatora do processo, conselheira Marianna Willeman. O responsável pelas contas do município é o prefeito César Ladeira. Caberá à Câmara Municipal a apreciação do parecer prévio para julgamento das contas. A previsão inicial de arrecadação era de R$ 81,264 milhões, mas essa estimativa não se concretizou. O ingresso de recursos atingiu o valor de R$ 62.975.896,98 no exercício de 2015, ou seja, 77,5% do estimado.

RCL – Indicador que apura os limites legais dos gastos do governo, inclusive com folha de pagamento, a Receita Corrente Líquida (RCL) é resultante das receitas tributárias, de contribuições patrimoniais, industriais, agropecuárias e de serviços, além de transferências correntes, entre outras entradas de recursos. 

Houve um aumento de 5,98% da RCL, em comparação com o final do exercício de 2015. No segundo semestre de 2015, a RCL alcançou a soma de R$ 57.908.944,30. Na segunda metade de 2014, os valores chegaram a R$ 54.642.712,80.

PESSOAL – Não ultrapassaram o limite máximo exigido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), que é de 54% da Receita Corrente Líquida. No primeiro semestre de 2015, os gastos com pessoal chegaram a R$ 27.635.207,80, o que representou 49,67% da RCL. No semestre seguinte, esses valores chegaram a R$ 27.720.760,80, equivalente a 47,87% da RCL.

EDUCAÇÃO – Para a manutenção e o desenvolvimento do ensino foram gastos R$ 10.262.198,30. Esse valor corresponde a 26,64% da receita proveniente de impostos e transferências, que, em 2015, chegaram a R$ 38.525.376,62. O resultado demonstrou que o município aplicou um pouco mais do que o percentual mínimo exigido pela Constituição Federal, que fixa em 25% do valor dos impostos que servem como base de cálculo.

FUNDEB – Na prestação de contas de governo, a Prefeitura de Carmo comprovou aplicação de R$ 5.616.313,68 no pagamento da remuneração dos profissionais do magistério, ou seja, 96,34% dos recursos do Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais de Educação (Fundeb), ficando acima do mínimo preconizado pelo artigo 22 da Lei Federal nº 11.497/07, que é de 60%.

SAÚDE – Foi destinado pela Prefeitura de Carmo o valor de R$ 9.590.703,95, o que equivale a 25,33% da base de cálculo das receitas para gastos com a saúde. Esse percentual ficou acima do mínimo de 15% previsto na Lei Complementar nº 141/12, que regulamenta a Constituição Federal.

Laboratório móvel contempla produtores

  • PDF

O Fertmóvel, um laboratório completo montado dentro de uma van e voltado a análises de fertilidade do solo, foi inaugurado no Instituto Bélgica (Ibelga), escola técnica agrícola de Nova Friburgo. 

Desenvolvido pela Embrapa Solos, o veículo tem como meta incentivar as análises de solos e facilitar o acesso dos produtores rurais a esse tipo de serviço, fundamental para a preservação do meio ambiente e a melhoria da produtividade na agricultura. “Até agora, o Rio de Janeiro contava apenas com dois laboratórios de solo, ambos em Campos dos Goytacazes. Por isso, muitos agricultores precisavam recorrer a laboratórios em Minas Gerais e no Espírito Santo para fazer as análises”, explicou a chefe de Transferência de Tecnologia da Embrapa Solos, Denise Werneck.

Nesse primeiro momento, o Fertmóvel ficará baseado no Ibelga e fará análises de áreas de toda a Serra. Um professor e três ex-alunas da instituição de ensino foram capacitados para as avaliações. Segundo Denise Werneck, assistência técnica para correções de práticas de manejo do solo, como calagem e adubação, será feita pelos extensionistas e agrônomos da Emater e da Secretaria municipal de Agricultura de Friburgo.

Cooperativas de Duas Barras, Carmo e Sumidouro podem se unir

  • PDF

As cidades de Duas Barras, Sumidouro e Carmo estão entre as maiores produtoras de leite da região. Juntas, têm uma participação de quase 30% na produção leiteira na região, segundo dados do Perfil da Pecuária Municipal de 2013, divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Para os próximos anos, a perspectiva é de um crescimento forte do segmento nos três municípios. Um dos fatores é a criação de uma central das cooperativas agropecuárias: a União das Cooperativas Agropecuárias (Unicoopagro).

A futura central será composta pelas cooperativas agropecuárias de Duas Barras, Sumidouro e Carmo. As primeiras conversas para a constituição da central foram iniciadas e estão sendo acompanhadas pelo Sistema OCB/Sescoop-RJ, através do analista de Monitoramento do Sescoop/RJ, Márcio Fernandes.

De acordo com Márcio Fernandes, o sistema está apoiando a iniciativa e acompanhará todo o processo de elaboração do estatuto e a constituição da Unicoopagro. Ainda segundo ele, a iniciativa visa potencializar o segmento na região. Para se ter uma ideia, somente a Cooperativa de Duas Barras capta junto aos produtores da região aproximadamente 20 mil litros de leite diariamente. 

– As cooperativas de Duas Barras e Carmo já comercializam seus produtos – Duas Barras e Relógio. Com a central, a ideia é que haja a comercialização dos produtos em uma marca única e, assim, potencializar o desenvolvimento das três cooperativas que compõem a futura central – afirmou Fernandes, acrescentando que está sendo planejada a venda de um produto a ser definido, como um teste, afim de verificar as potencialidades da marca.

A constituição da União das Cooperativas Agropecuárias será um dos frutos colhidos do Formacoop, que teve sua primeira turma formada em abril, e a segunda, iniciada no mês de julho. 

Os dirigentes das três cooperativas – a partir do que foi praticado em sala de aula, como: comportamento organizacional e as estratégias de negociação, administração, contabilidade, planejamento, gestão jurídica, tributária, econômica e financeira das cooperativas – viram a importância da união das forças para o desenvolvimento e começaram a pensar na central. 

Para o presidente do Sistema OCB/Sescoop-RJ, Marcos Diaz, a instituição trabalha diariamente para que as cooperativas agropecuárias retomem os tempos áureos de outrora. “Acreditamos no trabalho do homem do campo, que é capaz de introduzir e fortalecer os conceitos cooperativistas. Estamos no caminho certo através da constituição desta central para juntos voltarmos ao sucesso que um dia experimentamos no passado”, disse.

E pelo que se vislumbra, novos tempos – e a consequentemente retomada de forças – do cooperativismo agropecuário fluminense estão chegando. E o Sistema OCB/Sescoop-RJ dará total apoio para essa iniciativa.

Cooperativa de Macuco representa o Rio no Prêmio SomosCoop

  • PDF

O Sistema OCB (Organização das Cooperativas Brasileiras) divulgou em 28 de outubro os finalistas da décima edição do Prêmio SomosCoop. O estado do Rio de Janeiro tem um representante entre os 18 concorrentes selecionados pela comissão julgadora. A Cooperativa Agropecuária de Macuco está concorrendo na categoria Fidelização, com o projeto ‘Cooperado tem Valor’.

Ao longo de sua existência, a Cooperativa Agropecuária de Macuco sempre trabalhou a valorização do cooperado. Atualmente, ela é uma das instituições mais sólidas do segmento no estado do Rio de Janeiro.

Em 2016, 221 cooperativas de todo o Brasil concorreram ao SomosCoop. As inscrições contabilizaram 349 projetos em seis categorias: Comunicação e Difusão do Cooperativismo, Cooperativa Cidadã, Desenvolvimento Sustentável, Fidelização, Inovação e Tecnologia e Intercooperação. 

De cara nova, o prêmio é um reconhecimento à criatividade das cooperativas brasileiras e, principalmente, aos bons resultados obtidos por elas. 

Com esta iniciativa, se reforça o papel das cooperativas – um modelo de negócio competitivo, gerador de renda e também de felicidade, que se preocupa com o econômico, sem se esquecer do social.

X Expo-Macuco apresenta parte técnica à altura das tradições (Edição 1374)

  • PDF

Durante a X Exposição Agropecuária, realizada no Parque de Exposições Edgar Rodrigues Luterbach (Macuco Rural Park), de 15 a 18 de setembro, Macuco confirmou sua vocação rural com uma parte técnica forte e organizada no primeiro evento agropecuário da cidade após a sanção do Governo do Estado, que, pela Lei 7.410/2016, declarou Macuco como a ‘Capital do Leite’ no estado do Rio de Janeiro, após reivindicação do prefeito Félix Lengruber e iniciativa da deputada Martha Rocha.

Abrangendo exposição e julgamento de animais, a feira macuquense se sobressaiu pela presença de animais com excelente padrão genético, ótima capacidade reprodutiva e de produção de carne e leite. A pista de julgamentos foi reconhecida por juízes e proprietários rurais como uma das mais fortes do ano, com destaque para a raça gir leiteiro, responsável pelo crescimento da produção de leite em todo o país.

O secretário de Agricultura de Macuco, João Batista Oliveira, mobilizou pecuaristas locais, já que a feira rural agrega valores à produção e aumenta a lucratividade e a popularidade do município, aproveitando a insígnia de ‘Capital do Leite’. 

– Isso foi confirmado pela presença de uma forte representante da pecuária macuquense. A Fazenda Casa Branca, da Volta do Umbigo, ratificou a força genética obtendo 100% de aproveitamento no concurso leiteiro. Resultado excepcional – comemora Batista.


O 47º Concurso Leiteiro

Sob olhares atentos de pecuaristas, patrocinado e realizado pela Cooperativa de Macuco, outro evento bastante badalado foi o 47º Concurso Leiteiro, competição tradicional e muito concorrida e que, mais uma vez, integrou a programação específica da feira. O evento reuniu animais de grande produtividade, de proprietários rurais oriundos de todas as regiões do estado do Rio de Janeiro, ratificando sua tradição.

Sete categorias foram disputadas e o vice-presidente da Cooperativa de Macuco, Thadeu Erthal, que entregou os prêmios aos vencedores, destacou que a disputa foi acirrada. Confira os resultados finais, com o nome das vacas vencedoras, fazenda e município de origem, respectivos proprietários e produção ao término do 47º Concurso Leiteiro: Vaca Geral, Madona – Fazenda Beira Rio – Macaé – Lacerda Oliveira – 162,010 kg; Vaca 35 kg – Barbie – Fazenda Vista Verde – Santa Maria Madalena – Pedro Paulo Rocha – 105,24 kg; Vaca 30 kg – Ana Paula – Fazenda Santa Edwiges – Cordeiro – Pablo Badini – 89,760 kg; Vaca 25 kg – Maizena – Fazenda Bonança – Trajano de Moraes – Rodrigo Souza – 75,280 kg; Novilha 4 dentes/Cria da Casa – Comenda – Fazenda Casa Branca – Macuco – Gir e Girolando Morada Nova – 121,320 kg; Novilha 2 dentes/Cria da Casa – Condessa – Fazenda Casa Branca – Macuco – Gir e Girolando Morada Nova – 102,480 kg; Novilha Geral – Andorinha – Fazenda Bom Jesus – Cantagalo – Volmer Santos – 107,770 kg.

Prefeitura de Nova Friburgo é contra construção de hidrelétricas no Rio Macaé (Edição 1374)

  • PDF

A possibilidade da construção de três pequenas usinas hidrelétricas em trechos do Rio Macaé, que margeia a RJ-142 (que liga Nova Friburgo a Casimiro de Abreu), assusta e preocupa os friburguenses. A PCH Rio Bonito, PCH Rio Macaé e PCH Casimiro de Abreu seriam construídas ao longo de cerca de 15 km do Rio Macaé, da altura do Poço Feio em diante.

Cada PCH seria composta de uma barragem para represar as águas do rio para criar um lago que abasteceria dutos de grande diâmetro que ficariam dentro de uma galeria subterrânea a ser escavada e dinamitada, na medida de quatro metros por quatro metros. Essa galeria teria a extensão de cerca de quatro quilômetros e a água seria captada por uma unidade geradora de energia, sendo daí transmitida por torres em área a ser desmatada para esse fim.

Como cada PCH teria a extensão de cinco quilômetros, seriam 15 km de represas, galerias subterrâneas, dutos, centrais geradoras e torres de transmissão. Esta captação corresponderia a cerca de 50% do volume da água do rio, possivelmente em período anterior ao da atual estiagem, que dura anos e que vem secando várias nascentes. O projeto poderia causar um grande impacto destrutivo ao ambiente.

As águas do Rio Macaé brotam em uma nascente próximo ao Pico do Tinguá, na Área de Proteção Ambiental (APA) de Macaé de Cima, um dos maiores trechos de Mata Atlântica preservada do estado do Rio. 

O curso do rio tem cerca de 136 km, corta a serra em direção ao mar, e tem grande importância para a indústria petrolífera e a geração de energia termoelétrica, a produção de alimentos e o abastecimento de milhares. 

Apesar da responsabilidade do licenciamento não ser do município, Alexandre Sanglard, secretário de Meio Ambiente, fala sobre a possibilidade de concretização do projeto.

– Na verdade, esse projeto não compete à Secretaria Municipal de Meio Ambiente. É uma concessão do Governo Federal e o que rege a legislação ambiental é de competência de um órgão do estado: o Inea. Sendo assim, não temos o poder de licenciamento, mas o posicionamento da Prefeitura é contrário à construção dessas PCHs por se tratar de uma área de grande interesse ambiental e turístico. Uma intervenção desse porte feita em uma área de proteção ambiental é muito delicado. No momento, não temos nada de concreto, apenas prospecções. Ainda não fomos procurados oficialmente por nenhum órgão do Governo Federal nem do Estado. A fase ainda é bem embrionária. A população também deve mostrar a insatisfação e futuramente podemos recorrer às esferas estadual e federal para mostrar a nossa insatisfação – disse Sanglard.

Participantes de caminhada plantam árvores e recolhem lixo de rio (Edição 1374)

  • PDF

Na manhã do último dia 18 de setembro, a Elas Ecomodas realizou a sua 2ª EcoCaminhada. Desta vez, o local escolhido para o desenvolvimento da iniciativa foi o Parque Municipal Juarez Frotté, em Cascatinha, Nova Friburgo. Cerca de 16 adultos e mais duas crianças saíram de frente do Viveiro Educandário Elas Preservando, instalado dentro do parque. 

Antes do início do percurso, aconteceu uma roda de conversa e breve apresentação entre os participantes. Outras pessoas se juntaram ao grupo durante a caminhada ecológica.

Nesta ocasião, e em comemoração ao Dia da Árvore, que foi lembrado no dia 21, foram plantadas 15 mudas nativas da Mata Atlântica em local específico e próximo ao rio que banha o parque. 

Entre as árvores estavam ipês, aroeiras, imbaúbas, pitangas, quaresmas e outras. Uma equipe da Agenda 21 de Nova Friburgo participou da iniciativa ambiental.

O grupo subiu até a segunda cachoeira do parque, onde aconteceu um descanso e apreciação da natureza local. Alguns, inclusive, aproveitaram o dia ensolarado para tomar banho. 

Vale lembrar que algumas pessoas que estiveram presentes na EcoCaminhada da Elas Ecomodas ainda não tinham entrado no parque municipal.

Na volta da cachoeira, o grupo desceu recolhendo os resíduos deixados pelos visitantes no parque, que vem se tornando um local muito procurado pelos friburguenses e turistas. 

Cerca de 30 kg de ‘lixo’ foram recolhidos entre os participantes. Muitas garrafas de vidro, plásticos, latas de alumínio, e até um aparelho de rádio foi recolhido de dentro do rio.

O secretário de Turismo de Nova Friburgo, Nauro Grehs, e o vereador Gustavo Barroso estiveram presentes, representando Executivo e Legislativo, e parabenizaram a Elas Ecomodas pela realização do evento.

Pgina 2 de 18

Área exclusiva - Login

Notícias completas e versão digital exclusivas para assinantes

Informativo JR

Cadastre-se e fique bem informado