Noticias

MP-RJ quer ações preventivas em rodovias

  • PDF

O Departamento de Estradas de Rodagem do Estado do Rio de Janeiro (DER-RJ) está analisando as medidas que serão tomadas em atendimento à recomendação do Ministério Público Estadual quanto à adoção de ações preventivas nas rodovias da região serrana fluminense.

O promotor André Dickstein disse à Agência Brasil que a recomendação foi fundamentada em estudos feitos pelo Serviço Geológico do estado (DRM-RJ) e determina que o órgão responsável pelas rodovias estaduais adote medidas que minimizem os riscos de deslizamentos de terra decorrentes da enxurrada registrada em janeiro deste ano, que devastou nove municípios serranos.

“Por causa dessa catástrofe climática, abriram-se várias feridas nas encostas. E hoje, uma chuva forte já servirá para ocasionar novos deslizamentos. Diante dessa situação, é preciso adotar medidas de minimização de riscos, para proteção da população”, disse o promotor. As medidas preventivas referem-se, em especial, às rodovias RJ-130 (Teresópolis-Nova Friburgo) e RJ-150 (Nova Friburgo-Bom Jardim).

Dickstein declarou que o ideal seria a contenção das encostas. Reconheceu, entretanto, que como as medidas apresentam elevado custo e são de longo prazo, não há mais tempo hábil de serem feitas antes do período das chuvas, que começa em outubro próximo. “Então, não sendo possível a contenção das encostas, é preciso adotar medidas de minimização dos riscos, recomendadas pelo Serviço Geológico do Rio de Janeiro”.

O documento, encaminhado ao DER-RJ pelos promotores das 1ª e 2ª promotorias de Justiça de Tutela Coletiva de Nova Friburgo, define o prazo de dez dias para que o órgão informe as medidas que serão executadas e o cronograma de implantação. O prazo expira no dia 19 deste mês.

Adicionar Comentario

Confecções empregam mais de 25 mil na região

  • PDF


Um dos setores que mais empregam na região, sem dúvida é o têxtil, com destaque para as confecções de moda íntima. Atualmente, são mais de 25 mil pessoas empregadas nos municípios que fazem parte do Polo de Moda Íntima de Nova Friburgo e Região, que engloba, além de Nova Friburgo, os municípios de Cantagalo (incluindo o distrito de Santa Rita da Floresta), Cordeiro, Bom Jardim, Macuco e Duas Barras.

A informação foi passada a cerca de 50 estudantes do 9º ano do ensino fundamental das quatro escolas de Cantagalo que participam do projeto ‘Despertar’, promovido pela Lafarge, controladora da fábrica de cimento Mauá, em parceria com as secretarias municipais de Educação de Cantagalo, Cordeiro e Macuco, das quais duas da rede municipal – Elestar Caetano Mendes, de Euclidelândia, terceiro distrito, e Cel. Manoel Marcelino de Paula, de São Sebastião do Paraíba, quarto distrito –, uma da rede estadual – Dr. Francisco Leite Teixeira, de Santa Rita da Floresta, segundo distrito – e uma da rede particular – Colégio Euclides da Cunha, do Centro da cidade.

Quarta-feira, 21 de setembro, no auditório do Ciep 277 - João Nicolau Filho, foi realizada a palestra de setembro, que abordou o setor têxtil. O palestrante convidado foi o consultor de empresas Rosemberg Mafort Leite, especialista na área técnica de confecção de moda íntima. Ele também destacou que o mercado ainda é muito carente de mão de obra, especialmente de costureiras. “Apesar dos cursos que vêm sendo ministrados nas cidades envolvidas, a oferta de vagas é bem superior à oferta de profissionais”, disse, esclarecendo aos alunos que a região está cheia de oportunidades na área, tanto para quem quer trabalhar com confecção quanto para aqueles que pensam em se tornar empresário do ramo.

O projeto ‘Despertar’, que teve início em março, terá duração de dez meses, com um encontro por mês em cada um dos três municípios – Cantagalo, Cordeiro e Macuco. O principal objetivo é despertar o interesse justamente nas classes onde se encontram os jovens que precisam começar a pensar no que vão ser daqui a poucos anos. “A proposta, como diz o próprio projeto, é despertar os jovens para suas vocações pessoal e profissional, levando em consideração as oportunidades atuais do mercado de trabalho na própria região”, explicou a professora Luíza Fontão, da Secretaria de Educação de Cantagalo, e que integra a comissão da Lafarge para gerenciamento do projeto.

De acordo com o palestrante, o setor de confecção tem muito a oferecer aos jovens em áreas como desenvolvimento de produtos, produção, recursos humanos, financeira e técnicas como estilismo ou modelismo, costura, entre outras. “O importante é mostrar que este, como outros setores, oferecem oportunidades de trabalho e crescimento profissional, bastando que se qualifique, que se prepare para o mercado”, destacou o palestrante.

Durante a explanação, Rosemberg Mafort Leite também falou um pouco da história do setor têxtil da região, que teve início em Nova Friburgo com a implantação da Fábrica Filó, que começou a operar em 1925.

Na década de 1970, a Filó teve suas ações vendidas para a alemã Triumph International, uma empresa transnacional com filiais em todos os continentes, extinguindo, em 2000, com a linha praia, dispensando 400 postos de trabalho. “Cheguei a trabalhar um bom tempo na Triumph, onde aprendi muito”, disse o palestrante, como que motivando os alunos com o seu exemplo. Inclusive, a Triumph International de Nova Friburgo é, segundo Rosemberg Leite, a única do grupo alemão nas Américas, apesar de a empresa ser uma das maiores do mundo e contar com fábricas e centros distribuidores (filiais e ou  representantes) em 125 países.


Adicionar Comentario

Noite de autógrafos marca lançamento do segundo livro de Cássia Ravena

  • PDF

 

Contando com apoio da Secretaria de Educação, a professora e escritora Cássia Ravena Mulin de Assis Medel lançou, na última sexta-feira, 23 de setembro, na sede da Sociedade Musical 15 de Novembro, em Cantagalo, o segundo livro de sua carreira como escritora – Educação Infantil: da Construção do Ambiente às Práticas Pedagógicas’ –, lançado pela Editora Vozes (com custo no mercado de R$ 29), uma das maiores do país. Em setembro, Cássia Ravena esteve participando da Bienal do Livro do Rio.

Cássia Ravena, que nasceu em Bom Jardim, mas foi registrada e sempre viveu em Cantagalo, conta que deu início à sua carreira de escritora em 2006. “Escrevia artigos sobre educação, que foram e ainda são publicados em sites na internet no Brasil, México, Espanha e Portugal”, diz. No último levantamento realizado, a autora contava com artigos publicados em mais de 65 sites e blogs.

O livro, de acordo com a escritora, “tem como objetivo levar às instituições de ensino que possuem a Educação Infantil e aos profissionais que atuam na área a convicção de que é possível realizar trabalho de qualidade com crianças de 0 a 6 anos, obtendo-se resultados produtivos e positivos, sendo desenvolvido de maneira organizada e prazerosa”. Ela explica que, no trabalho, aborda “desde o espaço físico, isto é, o ambiente adequado para o desenvolvimento do trabalho realizado com as crianças, até as práticas pedagógicas, incluindo trabalho com cantinhos de aprendizagem, motricidade para o desenvolvimento corporal”, entre outras coisas.

Para profissionais do setor, e por isso o livro já entrou em várias listas de sugestões bibliográficas, principalmente de concursos públicos pelo país, o que faz a diferença no trabalho de Cássia Ravena é o fato de ela não se prender apenas a questões teóricas, mas incluir sugestões práticas que podem, facilmente, ser utilizadas em salas de aula de Educação Infantil, muitas vezes utilizando a criatividade. Isso também é fruto da experiência da professora, que também já foi sócia-proprietária, junto ao marido, José Antônio Medel Sepúlveda, e à mãe, a também professora Maria Marlena Mulin de Assis, de um jardim-escola, que funcionou por dez anos, no Centro de Cantagalo.

 

Adicionar Comentario

Nova escola técnica será criada em Cantagalo para atender a região

  • PDF


O município de Cantagalo ganhará, em 2012, mais uma oportunidade para a formação qualificada de mão de obra. Trata-se da Escola Técnica de Ensino Médio Integrado, que será instalada através de um convênio que será assinado entre as três fábricas de cimento do Polo Cimenteiro de Cantagalo, a Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP) e a Secretaria Estadual de Educação (Seeduc).

Diretor de Relações Institucionais da ABCP, Mário William Esper disse que o objetivo será a formação de mão de obra qualificada por um período de três anos. “Ainda não posso antecipar detalhes, já que ainda estamos na fase de acertos, mas esperamos assinar esse convênio logo”, anunciou, acrescentando que os profissionais capacitados pela escola poderão atuar não só nas indústrias de cimento, mas nas empresas prestadoras de serviços e na construção civil de maneira geral. “A intenção é incentivar a qualificação da mão de obra e criar novas oportunidades para esses jovens em prol do desenvolvimento da região”, explicou Mário William Esper.

Em breve, a indústria cimenteira, o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) e as prefeituras de Cantagalo, Cordeiro e Macuco irão firmar uma parceria que visa unificar os dados referentes à qualidade do ar e ao meio ambiente dos três municípios, fazendo, inclusive, com que essas informações cheguem à população. No total, são três estações, cada uma montada por uma das fábricas de cimento do polo – Votorantim, Lafarge e Holcim. As unidades de monitoramento começaram a ser instaladas ano passado. A partir de outubro, os dados colhidos serão disponibilizados em tempo real, através do site do Inea – www.inea.rj.gov.br –, e de forma integrada, conforme a ABCP.

Nessa área, o convênio pretende dar sequência ao que já vem sendo feito em relação ao coprocessamento de resíduos industriais nos fornos de cimento. Ou seja, os restos de outros tipos de indústrias, que seriam jogados na natureza, com alto grau de poluição e contaminação, são destruídos nos fornos a mais 1,8 mil graus, fazendo parte da composição do cimento sem alterar a qualidade do produto ou oferecer riscos à saúde.

A partir de agora, conforme o novo convênio, as prefeituras de Cantagalo, Cordeiro e Macuco vão participar de forma mais direta do controle do coprocessamento, incluindo a capacitação dos agentes de saúde dentro da área de toxicologia. Em contrapartida, as secretarias municipais de Saúde deverão disponibilizar seus indicadores de saúde através do programa Estratégia de Saúde da Família (ESF). Com o conhecimento periódico desses dados, poderá ser elaborada uma análise mais detalhada para uma melhor base de qualidade de vida.

Para isso, foi lançado o livro ‘Boas Práticas: Controle de Saúde dos Trabalhadores com Atividades em Coprocessamento de Resíduos em Fornos de Cimento’, um estudo inédito, compilado pelos pesquisadores Satoshi Kitamura e Sérgio de Lucca, da Universidade de Campinas (Unicamp). O prefeito de Cantagalo, Guga de Paula (PP), recebeu um exemplar das mãos de Mário William Esper, da ABCP, que também informou que todo material que destinado às fábricas de cimento para a destruição nos fornos, como forma de combustível alternativo, já chegam com as devidas fichas de segurança e emergência, obedecendo a padrões internacionais. Nelas, estão as instruções sobre como agir com segurança no transporte e em caso de acidente com qualquer dos produtos.

Em discurso, o prefeito Guga de Paula destacou a relação existente hoje entre as fábricas de cimento, as prefeituras e a comunidade. “Desde que assumi, em 2005, sempre cobrei uma maior aproximação das indústrias conosco, e isso está acontecendo agora. O avanço nessa interação é enorme. No entanto, Guga de Paula também criticou a pouca autonomia dada aos gerentes das fábricas. “Mesmo que eles queiram, muitas vezes não conseguem resolver muitos problemas, pois falta-lhes autonomia para decidir”, disse o prefeito.

Guga de Paula também lembrou a referência do município na área de coleta e tratamento do lixo urbano, servindo de modelo para vários municípios do país, principalmente agora, com a instituição da Política Nacional de Resíduos Sólidos.

Durante o discurso, o prefeito reforçou, ainda, a parceria que a Prefeitura mantém com a Lafarge e que levou Cantagalo a ser o primeiro município do Brasil a coprocessar resíduos urbanos, com eliminação total, em breve, do aterro sanitário.


Adicionar Comentario

Quinze bancas distribuem o JORNAL DA REGIÃO em Friburgo

  • PDF



Desde a sua fundação, a direção do JORNAL DA REGIÃO sempre manteve um critério muito rigoroso quanto a circulação. No início, foram sete municípios atendidos: Cantagalo, Cordeiro, Bom Jardim, Duas Barras, Carmo, São Sebastião do Alto e Trajano de Moraes. Depois, com a emancipação, Macuco também passou a constar no expediente.

Para ler a notícia completa, faça seu login






Área exclusiva - Login

Notícias completas e versão digital exclusivas para assinantes

Informativo JR

Cadastre-se e fique bem informado