Noticias

Atleta de arco e flecha recebe apoio da Secretaria de Esportes em Nova Friburgo

  • PDF

A jovem Françoise Villeneuve Chevrant, de 17 anos, é atleta de tiro com arco e está morando em Nova Friburgo há 11 meses. Natural de São Gonçalo, ela procurou a Secretaria Municipal de Esportes em busca apoio para realizar seus treinos. Recebida pelo secretário Waldemir Caetano, Françoise deixou a reunião com dois espaços liberados para iniciar sua preparação e vai representar a cidade serrana nas competições.

A esportista de alto rendimento é uma das promessas do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e da Seleção Brasileira de Tiro com Arco. Ela é considerada uma das três melhores atletas brasileiras da categoria juvenil na modalidade arco-olímpico. Françoise fez parte da Seleção Brasileira que participou do Campeonato Sulamericano de 2016, na Argentina e, em sua carreira, já contabiliza 19 medalhas em competições nacionais e internacionais, como a Copa Rio.

Em 2018, depois de se recuperar de uma lesão, a atleta voltou a treinar. Hoje, seu principal objetivo é participar de seletivas para pontuar e integrar a seleção que representará o Brasil no Campeonato Mundial de Tiro com Arco 2019 e Olimpíadas de Tóquio, em 2020. Para isso, ela precisa intensificar os treinamentos, já que seu próximo compromisso é o evento Vegas Shoot, que reunirá cerca de quatro mil atletas nos Estados Unidos, em fevereiro deste ano.

Para o secretário de Esportes, o incentivo, a dedicação e o treino são fundamentais para o bom rendimento dos atletas.

 “Por orientação do prefeito Renato Bravo, a gente tem sempre a porta aberta para os atletas que nos procuram em busca de apoio. E nós conseguimos parcerias importantes para Françoise buscar seus resultados. Ela agora poderá treinar no Roqueano Social Clube e no nosso Ginásio Adhemar Combat (Olaria). Assim, ela poderá realizar sua rotina diária de seis horas de treino sem precisar ir a outro município para isso”, comemorou o secretário.



Adicionar Comentario

Consórcio tenta nova licença ambiental para construção de hidrelétrica

  • PDF

Expirado o prazo (5 anos) da Licença Ambiental de Instalação n. 954/2013, expedida pelo IBAMA em 29/07/2013 para o início da implantação da UHE Itaocara I, a Usina Hidrelétrica Itaocara S.A., responsável pelo empreendimento, ingressou junto ao IBAMA com um novo processo de licenciamento ambiental. O número do processo é 02001.014891/2018-34.

Nesta nova etapa serão atualizados os dados e informações apresentados no Estudo de Impacto Ambiental anterior, dentre os quais estão especialmente:

  • Estudos de infraestrutura, equipamentos urbanos e serviços públicos nos Municípios abrangidos pelo projeto;
  • Rol de organizações/entidades da sociedade civil com atuação na área de abrangência do empreendimento;
  • Programas, planos e projetos em fase de estudo, licenciamento ou implantação na região de abrangência do empreendimento;
  • Levantamento/Atualização de dados dos Meios Físico, Biótico e Socioeconômico.


Durante esta nova etapa colaboradores uniformizados e identificados da UHE Itaocara I percorrerão as áreas abrangidas pelo empreendimento e suas adjacências, promovendo a atualização de dados e prestando informações quanto ao novo processo de licenciamento.

Os estudos para a implantação da UHE Itaocara I tiveram início na década de 80 e em 1999 foi iniciado o primeiro processo de licenciamento ambiental do empreendimento, o qual acabou arquivado em 2006.

Em 2008 foi instaurado um novo processo de licenciamento ambiental (02001.000175/2008-06). E nesse processo em 2010 foi apresentado ao IBAMA o Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental (EIA/RIMA).

Em 2011, após modificação estrutural do projeto, foi expedida pelo IBAMA para a UHE Itaocara I a Licença Prévia n. 428/2011.

Em 2012 o empreendedor apresentou ao IBAMA o Projeto Básico Ambiental – PBA, contendo 43 programas socioambientais para fins de mitigação/compensação dos possíveis impactos do empreendimento.

Em 2013, atendidas as determinações impostas na Licença Prévia n. 428/2011, o IBAMA expediu para a UHE Itaocara I a Licença de Instalação n. 954/2013, com prazo de validade de 5 (cinco) anos (de 29/07/2013 a 29/07/2018).

Desde 2013 foram desenvolvidas diversas ações para atendimento das condicionantes da Licença de Instalação. Mais de 50% das condicionantes socioambientais foram executadas.

No início de 2018, considerando o prazo de validade da Licença de Instalação n. 954/2013 (até 29/07/2018), foi requerido ao IBAMA a renovação/prorrogação do prazo de validade da Licença de Instalação, o que foi indeferido.

Em 25/05/2018 foi aberto um novo processo de Licenciamento Ambiental para a UHE Itaocara I (02001.014891/2018-34).

Não deixe de visitar a página da UHE Itaocara I, www.uheitaocara.com.br, que está recheada de informações sobre os passos desse empreendimento, inclusive sob os aspectos regulatórios e econômico-financeiros.



Adicionar Comentario

Novo secretário de Agricultura assume cargo prometendo aumentar produção no Estado

  • PDF



A cerimônia de posse do novo secretário de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento do Estado do Rio de Janeiro, Eduardo Lopes, foi realizada no dia 16 de janeiro no auditório da Universidade Federal Fluminense (UFF). Na ocasião, também tomaram posse os subsecretários Ramon de Paula Neves e Aguinaldo Balom.

O vice-prefeito Jorge Luiz Diniz e o secretário municipal de Agricultura de Trajano de Moraes, foram representando o prefeito Rodrigo Viana, que não pode ir devido a agenda de compromissos em cidades na Região Serrana. Na abertura da solenidade, o governador Wilson Witzel reforçou seu compromisso com o desenvolvimento do agronegócio no estado – inclusive em relação ao agroturismo – e defendeu o diálogo aberto com as entidades representativas do setor e da sociedade civil.

Em seu discurso, o novo secretário de Agricultura disse que o objetivo do governo será o de aumentar a produção agrícola para R$ 66 bilhões ao ano, o que poderá atingir 10% do PIB estadual. Hoje a produção total é de cerca de R$ 18 bilhões, correspondendo a 3% do PIB.

Lopes anunciou investimentos na integração das cadeias produtivas de alimentos, com o apoio de técnicas modernas de distribuição e logística, e garantiu que os pequenos agricultores terão atenção especial em sua gestão. “Vamos dobrar o volume de crédito rural aplicado nos dois primeiros anos de governo”, ressaltou.

Presente do evento, o diretor de assuntos jurídicos e legislativos da Sociedade Nacional de Agricultura (SNA), Frederico Price Grechi, destacou o compromisso de Witzel com diversas entidades do setor, entre elas, a Comissão de Direito Agrário e Urbanismo do Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB), a qual preside, e informou que, no âmbito governamental, serão realizadas, a partir de fevereiro, reuniões descentralizadas no interior do estado.

Também compareceram à cerimônia o reitor da UFF, Antonio Cláudio Lucas da Nóbrega, além de prefeitos de municípios fluminenses e representantes de órgãos do setor agropecuário e pesqueiro.



Adicionar Comentario

Romaria que saiu de Barra Mansa dia 11 chega a São Sebastião do Paraíba dia 20, durante os festejos

  • PDF

Realizada há mais de 20 anos, a Romaria Montada de São Sebastião chega a mais uma edição. Marcada por tradições familiares e devoção ao santo, a romaria tem um percurso oficial de 400 km, em cidades às margens do Rio Paraíba do Sul. Os romeiros saem de Barra Mansa, no Sul do Rio, e seguem até São Sebastião do Paraíba, distrito de Cantagalo.

O trajeto até Cantagalo é feito em 10 dias. Alguns deles saem de outras cidades fluminenses e até de outros estados. O grupo passa por várias cidades do Rio e de Minas até chegarem ao distrito cantagalense, como Valença, Rio das Flores, Paraíba do Sul, Chiador, Sapucaia, Carmo, entre outras. Este ano, a romaria deve chegar com 400 cavaleiros ao destino final.

A montaria já é tradição na vida de Carlos Elias Curty, de 64 anos. “É uma tradição na minha família, que é de origem Suíça como grande parte das famílias de Cantagalo, Friburgo e essa região. Na Suíça, a família Curty já lidava com animais e vindo para o Brasil não foi diferente. Primeiro porque era o meio de transporte mais utilizado”, garante Carlos Curty.

Carlos conta que o distrito de Cantagalo é sua terra natal, entretanto o êxodo rural, na década de 60, e problemas de saúde na família o levaram a deixar São Sebastião do Paraíba. “Fazendo uma romaria para Aparecida, um conterrâneo meu, o José Rosa, disse que há 38 anos não ia até São Sebastião do Paraíba mas, o amigo queria ir a cavalo e foi o combinado. Eles escolheram o dia de São Sebastião porque é o dia da festa do distrito e a família de Carlos sempre participou dos festejos. Quando chegamos lá encontramos uma comunidade preocupada devido a uma represa que seria construída em Itaocara e que iria inundar toda aquela região. Falamos com a representante da igreja e ela nos disse que não tínhamos ideia de quem tinha mandado a gente ali. Naquele ano (1995) não teria mais festa porque não tinha nem mesmo as pessoas para participar da procissão. Então, tomados por uma profunda emoção, decidimos de acatar essa missão de fazer essa romaria que realmente tem animado muito o povo”, comenta.

“Esse ano estamos homenageando os 200 anos da imigração suíça para o Brasil”, relata. 


Adicionar Comentario

Justiça bloqueia bens de ex-governadores e de deputados

  • PDF


Deputado Marco Antônio Cabral; Hudson Braga; e Christino Áureo


A juíza Roseli Nalin, da 15ª Vara de Fazenda Pública do Rio de Janeiro, determinou o bloqueio e indisponibilidade de bens de seis políticos, entre os quais os ex-governadores Sérgio Cabral e Luiz Fernando Pezão e o ex-presidente da Assembleia Legislativa do Rio Jorge Picciani por suspeita de improbidade administrativa. 

A decisão partiu de um pedido do Ministério Público estadual, que tinha ajuizado em dezembro uma ação civil pública contra dez envolvidos em irregularidades em doações de campanha do então governador Luiz Fernando Pezão, do ex-governador Sérgio Cabral e de deputados estaduais em troca da concessão de benefícios fiscais e financeiros, que teriam financiado o grupo político.

Na decisão, a juíza Roseli Nalin escreveu que “através da utilização indevida da máquina estatal os réus beneficiaram ao arrepio da lei, diversas sociedades empresariais com incentivos fiscais e financeiros em troca de propina, sendo que parte desses recursos ilícitos foi utilizada em proveito dos réus, para financiar a campanha majoritária do MDB ao governo do estado (chapa Pezão/Dornelles), bem como do então candidato a deputado federal Marco Antônio Cabral, pelo mesmo partido”, disse.

A magistrada disse na decisão que houve financiamento ilícito de campanha do então deputado estadual Chistino Áureo, por meio do diretório nacional do PSD e pagamentos indevidos ao PDT, todos relativos às eleições de 2014. 

Nas contas bancárias, Pezão teve bloqueados R$ 31 milhões; Sérgio Cabral Filho, R$ 33 milhões; Jorge Picciani, R$ 40 milhões; Hudson Braga, R$ 31 milhões; Christino Áureo da Silva, R$ 12 milhões e o deputado federal Marco Antônio Cabral, R$ 12 milhões.



Jorge Picciani, Rogério Cabral e Luiz Fernando Pezão

Adicionar Comentario

Pgina 7 de 399




Área exclusiva - Login

Notícias completas e versão digital exclusivas para assinantes

Informativo JR

Cadastre-se e fique bem informado