Maratona dos Cafés de Mountain Bike percorre a extinta Estrada de Ferro Leopoldina

  • PDF

“Inovador, surpreendente e desafiador”, assim Marcos Zaniboni classificou a primeira Maratona dos Cafés de Mountain Bike pela antiga e extinta Estrada de Ferro Leopoldina, um forte elemento turístico, social e cultural. Os bikers pedalaram por aproximadamente 100 km, partindo da Estação do Paquequer (divisa de RJ/MG) passando pelas cidades do Carmo, Sumidouro e terminando na Estação de Riograndina, em Nova Friburgo, já no percurso reduzido partiram da Estação de Murineli. 

Nas intercessões das estradas de terra com vias urbanas a guarda municipal das três cidades deram total cobertura, com batedores e ambulância. Estações como Paquequer, Bacerlar, Barra do São Francisco, Barão de Aquino, Murineli, Mariana e a de Riograndina estavam nos holofotes das câmeras dos bikers. A maratona mudou a rotina dos moradores que vibraram com a passagem dos bikers. Em Murineli (Sumidouro) um evento a parte, exposição de bicicletas antigas.

Equipe que completou o pedal de 100 km: Marcos Zaniboni, João Vitor, Leandro Asth, Zayne, Marcelo, Cristóvão, Nenel, Duzão, Perla, Tânea, Ricardo, Gustavo, Ingrid, Wagner, Sabrina, Marquinhos, Ailton, Leandro Perru, Letícia, Rosalvo, Elisângela, Luiza, Leandro Abreu, José Luis, Ronny, Wladia, Sabrina, Paulo, Mixlea, Leonardo e João Paulo.

Equipe que completou o pedal de 45 km: Mary Elizabeth, Alessandra, Ramila, Roberta, Pedro e Widsson.

Devido ao sucesso repercutido, Marcos Zaniboni idealizador do projeto, comenta que a Maratona com certeza, vai fazer parte do calendário eclético das cidades envolvidas no trajeto se tornando tradição.





Adicione essa página em sua rede social
Artigos Relacionados:

blog comments powered by Disqus

Área exclusiva - Login

Notícias completas e versão digital exclusivas para assinantes

Informativo JR

Cadastre-se e fique bem informado