Geral

Loteamento na entrada da cidade de Itaocara gera polêmica nas redes sociais

  • PDF

Uma grande polêmica gerou nas redes sociais com as obras de construção de um loteamento na chegada de Itaocara, no sentido Laranjais. É que o proprietário das terras começou a realizar terraplenagem do terreno próximo a rodovia e do "Castelinho", onde já funcionou uma usina de cana na região.

Alguns defendem que o proprietário tem o direito, desde que esteja com as autorizações  legais para fazer o loteamento, principalmente licença ambiental do Instituto Estadual do Ambiente (INEA), de realizar o investimento, pois será também um progresso para a região.

Mário Luiz Monteiro afirmou nas redes sociais que o "castelinho" vai ser preservado, no resto não tem o que comentar ou reclamar, pois o terreno é particular e os proprietários estão loteando, direito deles!!

Já outros, criticam tal ação, pois coloca em risco a possibilidade de que o prédio histórico seja até derrubado. "Infelizmente o homem nunca vai aprender a viver em harmonia com a Natureza. Destroem tudo como cupim na madeira", argumentou um internauta.

Já Thaís Alves, defende a preservação do local. "Nem sabia que era propriedade privada aí no Castelinho. Isso não pode ser tombado, de alguma forma? Como patrimônio histórico da cidade? Talvez vocês consigam entrar com ação popular. Não interessa que seja uma propriedade privada. É uma perda muito grande!", afirmou 

A fotógrafa Elisabete Carvalho questiona: "Que seja área particular, lógico que eles tem esse direito, porém meu coração fica arrasado pois jamais teremos essa imagem: o sol refletindo na água do lago a serra e a natureza. Veremos cimentos, construções, onde irá abafar toda beleza. Essa foto foi feita em um pós Natal que teve um significado grande para mim" argumenta.


Adicionar Comentario

Bruno Palma participa da Expomusic em São Paulo

  • PDF

O jovem músico cantagalense Bruno Palma, em entrevista exclusiva ao Jornal da Região, conta a paixão pela música. Começou a tocar violão aos 8 anos de idade. É guitarrista, mas toca também contrabaixo e trombone. Já tocou na Sociedade Musical 15 de Novembro de Cantagalo.

É embaixador de várias marcas de equipamentos musicais, e recentemente participou da Expomusic, uma Feira Internacional da Música, em São Paulo. Hoje, integra um Trio Instrumental.

Jornal da Região (JR) - Quando começou sua carreira de músico, e com quantos anos e qual instrumento começou a tocar?    

Bruno Palma (BP) - Bem primeiramente gostaria de agradecer ao Jornal da Região por este convite e por estar sempre prestigiando este trabalho musical que venho realizando. Comecei aos 8 anos de idade no violão, tocando na Igreja Católica em Grupos e Missas.  Alguns anos depois tomei a guitarra como meu principal instrumento, apesar de também tocar contrabaixo e trombone, este último toquei por algum tempo em nossa banda XV de novembro. Passei ao longo de minha carreira na música por diversas bandas , variados estilos musicais e hoje tenho a alegria de ter meu Trio Instrumental , com a participação de Luan Feijó na Bateria e Nill Monteiro no Contrabaixo.

JR - Você é músico e tem um trabalho com uma empresa. Explique sobre este trabalho? 

BP - Posso dizer que este trabalho (Endorser), é um tipo de parceria desenvolvida por grandes marcas, onde as mesmas escolhem alguns artistas como seus embaixadores. Hoje tenho a alegria de ter o apoio de 7 grandes empresas do meio musical, sendo a maioria de nível internacional. Isso começou em 2011 para 2012, com a Santo Angelo, após me tornar vencedor do Concurso Cultural Vinheta Santo Angelo, que escolheu o tema oficial da marca naquele período, e desde então venho trabalhando constantemente com eles, auxiliando no desenvolvimento de novos produtos, auxiliando no relacionamento com o público final, realizando eventos e muito mais. Hoje além da Santo Angelo (Cabos e Acessórios), estão comigo a Ibanez (Guitarra), Laney (Amplificador), D’Addario (Cordas), Edifier (Monitores Estúdio), Waldman(Pedais) e Gruvgear (Abafadores e Cases).                                                                

JR - Como foi e o que é o evento Expomusic 2017 que participou em São Paulo recentemente?   

BP - A Expomusic é um dos maiores eventos profissionais da música no mundo, Feira Internacional da Música, Áudio, Iluminação e Acessórios que aconteceu de 4 a 8 de outubro no Anhembi, em São Paulo. A Expomusic é uma Feira que reúne negócios e música, movimentando milhões de dólares no setor musical de instrumentos e também com muito entretenimento  ofereceu mais de 400 horas de shows, entre programação oficial e atrações promovidas pelos expositores em seus estandes.

Para mim já é o 7°ano participando e me apresentando em alguns stands na Feira, uma alegria enorme poder representar Cantagalo no cenário nacional da música por onde passam tantos artistas reconhecidos internacionalmente e este ano também tive uma alegria extra que foi  receber destaque da organização da feira em suas chamadas promocionais me colocando como uma das principais atrações a estarem se apresentando por lá, fruto de alguns anos de trabalho e dedicação. 


Adicionar Comentario

Ciep 280 de Carmo inova com sala de artes temática

  • PDF

O Ciep 280 de Carmo está com um projeto de ampliar o conhecimento das artes para todos seus alunos, um projeto criado pelas diretoras Elaine Gaspar e Eva Rocha. 

A ornamentação temática e criação das pinturas ficou por conta de Luciano Huguenin, que também ensinará técnicas de desenho e pintura para os alunos.   Geralmente, as salas de aula das escolas públicas são todas iguais, usadas para todas as outras matérias, criando um ambiente homogêneo, monocromático  para todas elas. 

“Por exemplo, as aulas de humanas ocorrem no mesmo ambiente das aulas de exatas. Aulas de arte na mesma sala de aula onde são dadas aulas de matemática, ou outras matérias. Com isso, os alunos não tem estímulos extras para seu aprendizado. Com uma sala específica para essa finalidade, há muito mais possibilidades na assimilação dos conteúdos. Ornamentar a sala com decoração temática, com muito mais estimulo visual,  possibilita mais incentivo para o aluno desenvolver suas atividades”, afirma Luciano.

 Luciano Huguenin expôs na sala uma parte de cada movimento artístico e pintores famosos, desde o renascimento até a contemporaniedade. Na porta tem um desenho do rosto de Leonardo da Vinci, uma cópia do esboço que ele mesmo fez há mais 500 anos. Por que colocar o Leonardo da Vinci na porta? Porque foi ele que abriu as portas para o grande renascimento das artes, sendo um grande nome da cultura artística ocidental. Tudo começou com ele. Também há nas paredes da sala várias reproduções dos esboços dele e de Miguel Angelo, todos desenhados por Luciano. O teto foi uma homenagem ao pintor espanhol Juan Miró. As colunas foram pintadas ao estilo de um quadro de Jackson Pollock. Também há homenagens a Picasso, Van Gogh, Mondrian, Monet, Frida Kahlo, Andy Warhol e outros. Todos eles representados em algum lugar da sala. Uma grande obra da sala é uma reprodução de Luciano do quadro  Monalisa, feita toda a tinta à óleo sobre parede, no tamanho de 3 metros de altura. Esse quadro é um grande símbolo da cultura ocidental, o maior legado de Leonardo da Vinci para a humanidade. Os alunos precisam ter contato muito próximo com essas obras, para valorizarem toda a trajetória das artes durante a história. A implementação desse projeto da sala temática de artes será um grande estimulo para despertar os alunos do Ciep 280 para o infinito mundo das artes.

No fundo da sala encontra-se uma parte da pintura da Capela Sistina, A Criação de Adão, com o dedo de Adão econtrando-se com  o dedo de Deus. Essa pintura tem muitos significados, sendo o encontro com a parte humana e a parte divina, presente em todos nós.



Adicionar Comentario

Conteúdo dos jornais do interior são destacados em Congresso no Rio

  • PDF

A Associação dos Diretores de Jornais do Interior do Estado do Rio de Janeiro, realizou o seu XVI Congresso, nos dias 13, 14 e 15 de outubro, na Barra da Tijuca. Paralelamente, aconteceu o Encontro Nacional das Adjoris. 

O evento contou com a participação de veículos de comunicação. - Não posso deixar de agradecer e enaltecer os esforços de todos que, de forma direta ou indireta, contribuíram para o engrandecimento desse congresso, como o deputado estadual Dica, o secretário Estadual de Cultura do Estado do Rio de Janeiro André Lazaroni, o terceiro vice-Presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro André Ceciliano, o vereador do Rio de Janeiro Otoni de Paula Junior, além do deputado Federal Luiz Carlos Ramos do Chapéu, representado por Luiz Cadorna e de Rodrigo Melo do Nascimento, conselheiro Substituto, em exercício e atual Ouvidor, do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro - disse Paulo Cesar Caldeira, atual presidente da Adjori-RJ.

As atrações artísticas ficaram a cargo da Banda Brazilian Piper – que se destaca entre as maiores bandas de gaiteiros de fole do Estado. O ponto alto ficou por conta do instrumentista, arranjador e cantor Allyrio Mello, um dos pioneiros do violino elétrico wireless no país.

Participaram do Encontro Nacional das Adjoris, representantes dos municípios de Santa Catarina, São Paulo, Sergipe, Espírito Santo, Rio Grande do Sul e do Paraná, além do Rio de Janeiro. O Jornal da Região esteve representado no evento pelo editor Célio Figueiredo e a colunista e diretora Isanete de Souza Figueiredo.

O futuro do jornalismo impresso e o uso da internet nos dias atuais foi muito debatido durante o congresso. O conteúdo jornalístico dos jornais do interior foi enaltecido pelo presidente de honra da Adjori, Miguel Gobby. “Os grandes jornais estão com muitas dificuldades para manter circulação, mas os jornais do interior, com seu conteúdo local, consegue sobreviver a crise”, garantiu.

Já o atual presidente da entidade, Elízio Siqueira defende que nas pequenas cidades “os jornais do interior, são os maiores veículos de comunicação”, afirmou o jornalista e empresário que é dono do Jornal União.


Adicionar Comentario

Empresa de Nova Friburgo é uma das vencedoras do prêmio estadual Rio Produtivo

  • PDF

No dia 19 de outubro a farmácia Fórmula Exata, de Nova Friburgo, foi uma das vencedoras do prêmio estadual ‘Rio Produtivo 2017 – Melhores Casos de Sucesso’. O evento de premiação aconteceu no Instituto Dannemann Siemsen, em Botafogo, na Capital Fluminense. A empresa foi considerada uma das melhores em relação a iniciativas de gestão e inovação que resultaram na melhoria significativa de produtividade. As outras vencedoras foram: Angu do Gomes, do Rio de janeiro e Hélio Hortifruti, de Volta Redonda.

Para o administrador Vinícius Thurler, representante da Fórmula Exata, a premiação vem para coroar o esforço de toda equipe de trabalho e dos proprietários da farmácia, que investiram tempo e muito esforço para torná-la o que é hoje: uma empresa referência em gestão, qualidade de produtos e prestação de serviço. “Estou feliz de conquistarmos esse prêmio. Isso mostra que estamos no caminho certo na busca por uma gestão que melhora a produtividade e gera resultados muito positivos. É uma prova de que através de investimento em gestão e inovação podemos aprimorar nossos processos internos e nosso atendimento aos clientes, nos tornando uma empresa cada vez melhor e mais bem estabelecida no mercado”, comenta.

Entre as iniciativas de inovação que geraram aumento de 30% na produtividade da Farmácia Fórmula Exata em pouco mais de um ano, estão: adesão ao programa de inovação e tecnologia Sebraetec, melhoria da Gestão do Estoque, mudança do lay-out interno, treinamento e ambientação de pessoal, investimento em softwares e utilização de ferramentas virtuais para potencializar seu negócio.

Para Luiz Borges, analista do Sebrae/RJ responsável pelo evento Rio Produtivo, o evento reuniu empresas que podem servir de exemplo para outros empreendimentos no estado, por justamente buscarem soluçoes que promovem a melhoria de sua produtividade. “Todos os nove finalistas apresentaram propostas e iniciativas que podem servir de norteador para outras empresas, já que todas elas passaram praticamente pelos mesmos processos até encontrarem o caminho ideal para sua gestão e melhoria de resultados internos e de mercado”, ressaltou. 

O Rio Produtivo faz parte do 4º Fórum de Produtividade do Sebrae/RJ que foi realizado em cinco regiões do estado do Rio de janeiro. Em cada cidade onde ocorreu uma etapa do evento (Teresópolis, Rio de janeiro, Campos dos Goytacazes, Cabo Frio e Volta Redonda), empresas apresentaram seus cases de inovação e produtividade. 

As primeiras colocadas de cada etapa (cinco ao todo) e as quatro melhores segundas colocadas tornaram-se as finalistas (nove ao todo) do prêmio ‘Rio Produtivo 2017 – Melhores Casos de Sucesso’. 


Adicionar Comentario

Pestalozzi de Cantagalo com nova diretoria

  • PDF

A Associação Pestalozzi de Cantagalo, fundada em 21 de abril de 1973 passou, no último dia 19 de agosto, por um processo para eleição de sua nova diretoria. Com o falecimento do Sr. Lúcio Gomes Bon, que presidiu a entidade por 42 anos, assumiu a presidência Vladimir Pereira Araújo, que esteve no cargo até esta data e abriu o processo eletivo baseado no estatuto da entidade.

Neste dia foi eleita a nova diretoria para o próximo triênio, no período de 19/08/2017 até 19/08/2020, tendo como presidente atual o professor Gildomar Norberto Bard da Silveira.


A nova diretoria assume com o compromisso de administrar a entidade em meio à crise financeira que se instalou no nosso Estado do Rio de Janeiro. A grande mantenedora da entidade, a FIA (Fundação para a Infância e Adolescência),  não vem fazendo repasses de verbas e com isso houve redução no atendimento à população. Hoje a Pestalozzi de Cantagalo sobrevive com repasse de R$ 3.000,00 da Prefeitura Municipal e R$ 5.400,00 do governo federal, mas muito em função da contribuição financeira dos associados e demais doações, pois apenas com a folha de pagamento de funcionários e profissionais específicos, o custo gira em torno de R$ 12.500,00. Atende mesmo com essa redução, em sua escola a 48 alunos e em sua clínica, em torno de 100 pacientes.

A nova diretoria, dentre outras iniciativas, pretende dar maior visibilidade à entidade em Cantagalo e tornar mais aberto e acessível seu espaço.

Para tanto, conclama a todos que se associem à instituição e ajudem dessa forma a manter suas portas abertas e prestando esse grande serviço de utilidade pública a muitas crianças e jovens especiais de nossa região.   

NOVA DIRETORIA (2017/2020)

Gildomar Norberto B. da Silveira - Presidente; Rosangela Maria Jardim Gardelo - 1º Vice-Presidente; Dinamar da Silva Mattos - 2º Vice-Presidente; Andrea Teresinha Ramos Reis - 1º Secretária; Marília Teixeira A. Japor - 2ª Secretária; Erenita P. de Almeida - 1ª Tesoureira; Daniela V. Pacheco - 2ª Tesoureira; Antônio Renato da V. Costa - Assessor Jurídico; Rosy de P. Coelho do Couto - Relações Públicas; Antonio Nelson Oliveira - Conselho Fiscal Efetivo; Graziela Erthal Lutterbach - Conselho Fiscal Efetivo; Paulo Roberto M. Peixoto - Conselho Fiscal Efetivo; Rita Márcia J. Daflon Gama - Suplente; Fernanda Pinto de Moraes - Suplente; e Fernanda de Avelar Torres - Suplente.


Adicionar Comentario

Professora cobra providências sobre Casa Euclides da Cunha

  • PDF

Mais de um século depois de sua morte, o escritor fluminense, finalmente ganha o reconhecimento da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, que lhe outorgou a Medalha Tiradentes, a mesma que já foi entregue a personalidades como Paulo Freire e Bento XVI.

"Euclides há muito merecia estar dentre os contemplados da mais alta comenda do Estado do Rio, dedicada a pessoas que contribuíram com seu trabalho para a causa pública em domínios fluminenses. Por provocação nossa, do projeto "100 Anos Sem Euclides" (Anélia Pietrani, Luiz Fernando Conde Sangenis e Anabelle Loivos), o professor Waldeck Carneiro sugeriu o acolhimento do processo na Assembleia em 2016, e João Bôsco Cardoso topou agendar a entrega na Câmara de Vereadores de Cantagalo, durante as comemorações dos 160 anos do município", informou a professora Anabelle Loivos.

O mais importante fruto do evento, que contou com a participação da família de Euclides da Cunha, foi a pauta lançada pela professora Anabelle Loivos para a estruturação de políticas públicas de cultura e educação patrimonial na cidade, que teve o imediato acolhimento de dois deputados estaduais presentes - Waldeck Carneiro e Wanderson Nogueira. 

Eis as palavras ditas pela professora Anabelle Loivos Considera durante a solenidade na Câmara Municipal: "Quando as grandes secas de 1879-1880, 1889-1890, 1900-1901 flamejavam sobre os sertões adustos, e as cidades do litoral se enchiam em poucas semanas de uma população adventícia de famintos assombrosos, devorados das febres e das bexigas – a preocupação exclusiva dos poderes públicos consistia no libertá-las quanto antes daquelas invasões de bárbaros moribundos que infestavam o Brasil. Abarrotavam-se, às carreiras, os vapores, com aqueles fardos agitantes consignados à morte. Mandavam-nos para a Amazônia – vastíssima, despovoada, quase ignota – o que equivalia a expatriá-los dentro da própria pátria. A multidão martirizada, perdidos todos os direitos, rotos os laços da família, que se fracionava no tumulto dos embarques acelerados, partia para aquelas bandas levando uma carta de prego para o desconhecido; e ia, com os seus famintos, os seus febrentos e os seus variolosos, em condições de malignar e corromper as localidades mais salubres do mundo. Mas feita a tarefa expurgatória, não se curava mais dela. Cessava a intervenção governamental. Nunca, até aos nossos dias, a acompanhou um só agente oficial, ou um médico. Os banidos levavam a missão dolorosíssima e única de desaparecerem...


E não desapareceram." ("Um clima caluniado", in: À margem da história. cf. CUNHA, 2009, v. 1, p. 159)

Quando acabarem as secas que vieram crestar de imbecilidade e retrocesso o chão do nosso país, da nossa cidade, esperamos encontrar crianças leitoras de Euclides para dizer não a tudo isso. Mas que leitores de Euclides e da poesia que sobrevém às secas estamos preparando, nessa terra de galos, luvas, cafés e concreto?

É tempo de escutar o canto de outros galos. Galos que antes, que com seus cantos de galo fizeram romper a manhã.

Que Euclides deixe de ser busto e cresça arbusto. Que deixe de ser sombra e vire alumbramento. Que permaneça incômodo e palavreiro, fazendo cismar, abrindo caminhos. E que esse Sertão das Novas Minas de Macacu olhe pro seu filho não de soslaio, mas com máximo respeito e apreço.

Pela reabertura imediata da Casa de Euclides da Cunha; pelo tombamento da Casa de Amélia Tomás; pelo acolhimento do Ponto de Cultura "Os serões do seu Euclides" pelas políticas públicas de cultura; pela continuação das obras do Centro de Cultura Amélia Tomás; pela reestruturação da biblioteca Acácio Ferreira Dias e do sistema de bibliotecas públicas nos distritos; pela instituição do Museu do Trem em Euclidelândia. Pela reativação do Pró-memória de Cantagalo.

Euclides vive, apesar dos soterramentos cotidianos de sua memória, na terra mesma que o embalou, rebento doce e eterno. Euclides vive. Está nas páginas escritas a bico de pena e assinadas (sem temer) por esse caboclo, misto de celta, tapuia e grego. Viva Euclides!"

Adicionar Comentario

Medalha Tiradentes é entregue à família de Euclides da Cunha

  • PDF

O dia em que Cantagalo comemorou os seus 160 anos de elevação à categoria de cidade ficou marcado na história. Em sessão solene realizada na Câmara Municipal de Cantagalo no dia 02 de outubro, a família do escritor cantagalense Euclides da Cunha, recebeu a maior condecoração da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, a Medalha Tiradentes.

Tal honraria é concedida a personalidades nacionais ou estrangeiras que, de qualquer forma, tenham serviços prestados ao Estado do Rio de Janeiro, ao Brasil ou à Humanidade. A homenagem foi entregue à trineta de Euclides da Cunha, a educadora Camila Cunha, pelas mãos do deputado estadual Waldeck Carneiro, autor da proposição.

Segundo o deputado, o oferecimento da medalha e o seu respectivo diploma "Post Mortem" ao escritor Euclides da Cunha se deu pela ocasião de seu sesquicentenário, celebrado no ano passado. “Aproveitando tal data e, também, os festejos pela ocasião dos 160 anos da elevação de Cantagalo à categoria de cidade, a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro reconhece o legado, a obra e a contribuição inapagável de Euclides da Cunha, não só para a literatura, mas para o Brasil”, ressaltou Carneiro.

Representando os vereadores de Cantagalo, o vereador professor João Bôsco, destacou em seu discurso o legado deixado pelo escritor cantagalense. “Afirmar que a obra de Euclides e, principalmente “Os Sertões”, é um divisor de águas na literatura brasileira é constatar o óbvio. Além de um incomparável escritor, Euclides foi um apaixonado pelo Brasil e pelos brasileiros. Sua obra explica isso. As causas que defendeu, a barbárie que denunciou, os caminhos que percorreu, comprovam inequivocamente esse fato”, afirmou Bôsco.

A educadora Camila Cunha, trineta de Euclides da Cunha, agradeceu a honraria recebida e destacou a importância de levar o legado do escritor aos cidadãos cantagalenses. “É preciso levar Euclides para as pessoas de Cantagalo, impulsionar o movimento euclidiano cada vez mais e fazer as pessoas conhecerem e aplaudirem Euclides da Cunha nas suas rotinas. Euclides da Cunha precisa ser lido e discutido, tanto o Euclides quanto as questões sociais do nosso Brasil”, salientou Camila Cunha.


Adicionar Comentario

Pgina 1 de 395

Área exclusiva - Login

Notícias completas e versão digital exclusivas para assinantes

Informativo JR

Cadastre-se e fique bem informado