Geral

Empresários, artistas, entidades, instituições e poder público promovem revitalização da Praça do Suspiro

  • PDF



Evento é consequência do Urban Hacking, iniciativa realizada em junho pelo Sebrae que tem como proposta deixar legado de transformação urbana para Nova Friburgo

No dia 25 de setembro (terça-feira), a Praça do Suspiro, em Nova Friburgo, será o cenário da inauguração de revitalizações que resultam da união de artistas, empresários, administração municipal, entidades e instituições cujo interesse é o de promover a melhoria dos espaços públicos e da qualidade de vida dos habitantes locais. A iniciativa é decorrente do Urban Hacking, evento realizado no dia 24 de junho, pelo Sebrae/RJ, que visa a intervenção dos espaços públicos para proporcionar maior interatividade e integração entre turistas e moradores, com a cidade.

A cerimônia, que é aberta ao público em geral, acontecerá a partir das 17h30 e contará com a inauguração dos seguintes itens na Praça do Suspiro:
- Luz da Cruz no Morro do Teleférico;
- Iluminação da Fonte do Suspiro e da Praça dos Trovadores;
- Painel de Mosaicos: “Multiplicidade de Encantos e Tradições: Florindo Nova Friburgo”
- Jardim e Painel com NF.

Vale lembrar que, durante a realização do Urban Hacking, em junho, na Praça do Suspiro, algumas ações de melhoria já haviam sido tomadas, entre as quais: a revitalização dos jardins da praça, a colocação de bancos de madeira e o parque infantil.

De acordo com Fernanda Gripp, coordenadora regional do Sebrae/RJ, a ideia de realizar o Urban Hacking em Nova Friburgo faz parte de um projeto ainda maior, que é o Destinos Turísticos Inteligentes (DTI), cujo objetivo é alavancar o setor de Turismo de algumas regiões do Estado do Rio de Janeiro. “Em julho de 2017, o Sebrae/RJ fez o lançamento do DTI e o município de Nova Friburgo foi contemplado para implementar o projeto no estado. Desde então, diversas ações estão sendo desenvolvidas por grupos de trabalho compostos por empresários que fazem parte da cadeia do Turismo, parceiros, lideranças locais e o poder público. Dentre as ações desenvolvidas no âmbito do DTI, podemos destacar o Urban Hacking, realizado em junho deste ano, e que desenvolveu atividades de lazer, cultura, economia criativa e entretenimento, promovendo ao mesmo tempo algumas mudanças na Praça do Suspiro, local escolhido por ter um grande fluxo de turistas, da população local e que estava carente de uma revitalização dos jardins e dos demais espaços”, explica.




Ainda segundo Fernanda Gripp, os grupos de trabalho do projeto Destinos Turísticos Inteligentes estão divididos em quatro grandes eixos: Governança, Tecnologia, Experiência e Sustentabilidade, envolvendo aproximadamente 60 pessoas atuantes nas ações previstas.

Somente através da parceria dos empresários do entorno da Praça do Suspiro com o poder público, artistas locais e diversas instituições da cidade, é que foi possível desenvolver um projeto de revitalização do local.

A revitalização também ganhou outra parceira importante a Associação Comercial Industrial e Agrícola de Nova Friburgo (ACIANF), que adotou a Praça do Suspiro junto a Prefeitura Municipal para dar continuidade das ações do projeto: “Vamos Florir Nova Friburgo”, coordenado pela entidade.

Além do Sebrae/RJ e ACIANF, também colaboram com as iniciativas de revitalização da Praça do Suspiro o SESC/Nova Friburgo, os artistas do Mosaicos Portella, a empresa Teleférico do Suspiro, a Secretaria de Serviços Públicos da Prefeitura Municipal de Nova Friburgo, entre outros.



Adicionar Comentario

Formação para professores do ensino médio integral com ênfase em empreendedorismo

  • PDF

No dia 28 de agosto de 2018, (quarta-feira), a UNIVERSEEDUC promoveu o curso de Formação para Professores do Ensino Médio Integral com ênfase em Empreendedorismo. O evento foi realizado pelos professores formadores: Jallinne Berriel, Isabel Cristina Rohem, Fábia Rohem, Iara Ferreira, Cláudia Lessa e Anselmo Biasse que fazem parte da equipe do Polo Avançado de Formação (PAF) de Itaocara/RJ.

A formação ocorreu em duas escolas da região, o Colégio Estadual Almirante Barão de Teffé, em Santo Antônio de Pádua/RJ e o Colégio Estadual Deodato Linhares em Miracema/RJ, as unidades escolares pertencem à Regional Noroeste Fluminense da SEEDUC/RJ com sede em Itaperuna/RJ.

Os formadores Jallinne, Cláudia e Anselmo com os professores no C.E Almirante Barão de Teffé.

O encontro teve como objetivo contribuir para a consolidação do aprimoramento das metodologias e práticas de formação do Programa de Fomento à Educação Integral com Ênfase em Empreendedorismo aplicado ao mundo do trabalho.



Adicionar Comentario

Representante de Macuco vence Concurso Rainha Exposição 2018

  • PDF



O tradicional concurso da Rainha da Exposição de Macuco, realizado no dia 7 de setembro, superou a expectativa em público. Organizado pelo promoter e diretor de Turismo Maurício Góes, o evento reuniu representantes de seis municípios da região; Macuco, Cordeiro, Bom Jardim, Sumidouro, Duas Barras e Trajano de Moraes.

O corpo de jurados escolheu a representante do município de Macuco, Karina Souza rainha da Exposição de Macuco 2018. Ela conquistou 294 votos dos jurados.

O diretor de turismo, Maurício Góes enfatizou sua satisfação na realização do concurso.

“Manter esta tradição é um orgulho para mim e equipe. Agradeço em especial ao prefeito Bruno Boaretto pelo fundamental apoio e também a toda minha equipe, um agradecimento especial ao Edwandro, parceiro na organização”, concluiu.




O resultado final do concurso foi o seguinte: primeira colocada, Karina Souza, de Macuco, com 294 pontos. A primeira princesa foi Maria Vitória, do município de Duas as Barras, com 293 pontos. A segunda princesa foi Pietra Emmerick, da cidade de Bom Jardim, com 278 pontos.

Pela contagem de pontos, dá para perceber que a vitória de Karina foi apertada, pois a diferença foi de apenas um ponto em relação a segunda colocada, a representante de Duas Barras, Maria Vitoria, que teve 293 pontos.



Adicionar Comentario

Criador em Trajano de Moraes está produzindo 40 dúzias de ovos por dia

  • PDF



O produtor rural e criador de galinhas, José Macharete, proprietário de um sítio em Ponte de Zinco, às margens do Rio Macabu, no município de Trajano de Moraes tem mais de 800 galinhas para produção de ovos.

Só para ter uma idéia da sua criação de galinhas, elas já chegaram a produzir 40 dúzias  de ovos por dia.

O professor Nilton Riguetti, que esteve visitando a sua propriedade, ficou encantando com o trabalho profissional e a grande produção comercial do negócio. “Ele também produz a ração que as galinhas comem e vende até o esterco”, informou.

A comercialização de ovos é para toda a região.  No dia da visita que Nilton Riguetti fez ao sítio a venda foi muito grande. “Só hoje vendeu 105 dúzias”, informou Nilton Riguetti. Está vendendo a dúzia de ovos caipira por 8,00, e o esterco sai a R$ 0,30 o kg.

José Macharete, já foi secretário Municipal de Agricultura e presidente da Associação de Moradores de Maria Mendonça. Ele já está iniciando a criação de codornas, também com o objetivo de vender ovos.

Na sua propriedade ele precisa sempre do apoio de duas ou três pessoas para todo o serviço do sítio. A micro empresa já está registrada nos órgãos competentes. Após a coleta, os ovos passam por higienização, antes se serem embalados para venda.

José Macharete disse que “iniciou a criação de galinhas porque já estava cansado de ficar parado e precisava iniciar alguma nova atividade”.



Adicionar Comentario

Rio Rural: exemplo de desenvolvimento sustentável

  • PDF

Nesta sexta-feira, 17, o programa Rio Rural idealizado pelo deputado Christino Áureo foi selecionado pela FAO (braço da ONU para alimentação e agricultura) como uma das 12 iniciativas mais inovadoras para o desenvolvimento rural sustentável dentre 242 projetos concorrentes da América Latina e Caribe. Este foi o único programa selecionado do país.

A iniciativa, implantada pelo governo do Estado quando Christino estava a frente da pasta da Agricultura, está presente em 78 municípios do estado e já investiu R$ 600 milhões em agricultura sustentável. Na ocasião o deputado comemorou o acontecimento e destacou o trabalho das equipes envolvidas no sucesso do programa.

"É um dia muito especial para nós, pois ser escolhido como exemplo por um órgão de tanta credibilidade como a FAO é muito importante para garantir a continuidade do programa que já atendeu a 50 mil famílias de pequenos produtores que precisam deste recurso para produzir de forma sustentável. É importante que as equipes da Emater-RJ e da Superintendência de Desenvolvimento Rural tenham orgulho desse trabalho que desenvolvemos juntos e que apesar dos percalços, vamos continuar lutando pela sua manutenção", avaliou o deputado.

Mesmo quando deixou a pasta da Agricultura, Christino continuou a buscar recursos para a ação. O Rio Rural foi o único programa que o Banco Mundial manteve no Estado durante a crise que afetou o governo, graças à intervenção do deputado e a organização das equipes que mantiveram atuaram de forma transparente e participativa.

Só neste ano, o programa investiu R$ 50 milhões em projetos que beneficiam diretamente o produtor, ou em projetos coletivos, que atendem associações e cooperativas. A Cooperativa Agropecuária Nossa Senhora do Amparo, em Barra Mansa, por exemplo, recebeu recursos que permitiram a reestruturação da planta industrial da unidade, que reúne 130 cooperados e tem capacidade de produção de 13 mil litros/dia. O apoio do Rio Rural também permitiu à cooperativa relançar a marca “Garça Brança”, que já foi  referência em laticínios na Região.

Já em Valença, na microbacia de Santa Isabel, 53 produtores familiares receberam recursos na ordem de R$ 319 mil, investidos maciçamente na melhoria da produção leiteira associada com ações ambientais como a proteção de nascentes. No município o total investido pelo programa soma R$ 878 mil.



Adicionar Comentario

Maria Eduarda Oliveira: a rainha da Exposição de Duas Barras

  • PDF



Curiosamente este ano, três ‘Marias’ foram eleitas no Concurso da Rainha da Expo-Duas Barras 2018, que ocorreu entre os dias 29 de agosto a 2 de setembro, no Parque de Exposição da Cooperativa Agropecuária de Duas Barras.

Pelo segundo ano consecutivo Keyth Ângelo da empresa Ângelo D’Cor e seu irmão Felipe Ângelo, foram os responsáveis pela organização do concurso da rainha, que contou com a participação dos jurados Andreza Farias, Cristiane Faria, Isadora Massena, Lailla Hair, Letícia Závoli e Jessika Lima. 

Participaram da disputa deste ano um total de onze candidatas, dentre as quais: Alice Chermout; Maria Luise; Mariana Paes; Maria Eduarda Alvin; Kamilly Barrias; Joana Alonso; Maria Vitória; Maria Eduarda; Patrícia do Nascimento; Giannya Cypriano e Letícia Coutinho.

A rainha eleita foi Maria Eduarda Oliveira com 242 votos, 1ª princesa, Maria Eduarda Araújo Alvim, com 241 votos; e 2ª Princesa: Maria Vitória Paes, com 239 votos.

Coube a rainha eleita no ano passado Isabela Hernandes, entregar a coroa e a faixa, a nova rainha Maria Eduarda, que foi homenageada pelo atual presidente da Cooperativa Luiz Eduardo.





Adicionar Comentario

Jornais e revistas são deixados em salas de escolas da rede pública para incentivar leitura dos alunos

  • PDF



O governo de São Paulo de 2011 a 2014, gastou R$ 28 milhões do orçamento estadual para comprar milhares de exemplares das revistas e jornais Folha de S.Paulo, Estado de S.Paulo, Veja (Editora Abril), IstoÉ (Editora Três) e Época (Editora Globo). As compras fazem parte de um programa de formação de docentes. Em novembro de 2015, só com a Folha e o Estadão, foram contratadas as compras de milhares de edições impressas diárias até 2017.

O governo fez uso do programa “Salas de Leitura”, voltado para a formação de docentes. É que os jornais e revistas seriam deixados em salas de professores de escolas da rede pública, para incentivar a leitura. Só em 2013, o Estado comprou 5.200 assinaturas do Estadão por R$ 1.554.800; outras 5.200 assinaturas da Folha pelo mesmo valor; e 5.200 assinaturas da Veja por R$ 669.240, perfazendo R$ 3,8 milhões.

A justificativa para as compras, conforme o documento oficial: “A FDE é responsável pela distribuição às escolas estaduais dos jornais Folha de São Paulo e Estado de São Paulo e das revistas Veja, IstoÉ e Época, com investimento de R$ 28 milhões, para formação e informação dos educadores.”

No estado de Santa Catarina, para contribuir com o processo pedagógico, promover a cidadania e a inclusão social por intermédio de leitura e escrita, as escolas da rede estadual contam com o Projeto Jornal na Escola, desenvolvido pela Secretaria de Estado de Educação em parceria com o Grupo RBS.

Todas as escolas participam do programa e recebem edições diárias dos jornais A Notícia e Diário Catarinense que são utilizados em várias atividades planejadas pelos professores. Além do incentivo ao hábito de leitura e à formação de escritores, busca-se aprimorar a capacidade de expressão, desenvolver o espírito crítico por meio do conhecimento e da reflexão acerca das notícias locais, do país e do mundo. 

O Jornal na Escola é visto pelas escolas como um recurso pedagógico que vem acrescentar no conteúdo programático do professor, um recurso que é formador de opinião, que traz temas da atualidade que o livro didático ainda não traz.

O jornal escolar se tornou um importante instrumento de ensino-aprendizagem de linguagem em muitos países, desde a experiência seminal de Freinet (1974), iniciada em 1924. Em termos do ensino de linguagem, o trabalho com o jornal ganhou novos contornos e maior relevância com a renovação do currículo e das metodologias de ensino operada pelos Parâmetros Curriculares Nacionais. 

Um jornal como recurso didático possibilita o trabalho com diversos textos, além de despertar nos alunos habilidades como pesquisar, produzir, criar, criticar, interpretar, discernir, corrigir, dentre outras.

Como fonte primária de informação, o jornal pode ser considerado um dos mais importantes instrumentos de comunicação entre alunos e professores, escola e sociedade.



Adicionar Comentario

Centro-Norte é a 2º região que mais gerou empregos no estado do Rio de Janeiro

  • PDF

A região Centro-Norte Fluminense é a segunda que mais gerou empregos em 2018 no estado do Rio de Janeiro.  É o que revela a nova edição da série de vídeos Retratos Regionais- Cenário Econômico, com palestras online sobre a conjuntura econômica. Nelas, especialistas da Firjan analisam dados sobre todas as regiões do estado, além dos cenários econômicos internacional e do Brasil.

A geração de empregos se deve ao desempenho das indústrias da transformação e da construção, com destaque para os seguimentos do vestuário, bebidas, construções de edifícios e obras de infraestrutura. Sendo assim a região fechou os primeiros seis meses do ano com saldo positivo de 695 postos criados contra um resultado de 7.002 negativos do estado do Rio de Janeiro. Destaque para Nova Friburgo, que foi o 5º município que mais gerou vagas no estado, com saldo acumulado positivo de 593 vagas no 1º semestre.

A região Centro-Norte também reúne os empresários mais otimistas do estado. É o que mostra a pesquisa Sondagem Industrial realizada pela Federação, que mostra que os empresários estão de olho no mercado externo, colocando expectativas na exportação (62,5 pontos). “Buscar outros mercados é uma opção que a indústria tem quando a conjuntura local não está atendendo a demanda”, explicou o William Figueiredo, coordenador de estudos econômicos da Firjan. Lembrando que pontos abaixo de 50 indicam queda ou pessimismo e acima aumento ou otimismo.

O Centro-Norte abrange as cidades de Bom Jardim, Cachoeiras de Macacu, Cantagalo, Carmo, Cordeiro, Duas Barras, Macuco, Nova Friburgo, Santa Maria Madalena, São Sebastião do Alto, Sumidouro e Trajano de Moraes.

Junho registra queda na produção

O mês de junho foi mais difícil para o empresariado, pois a produção industrial caiu e o nível de estoques aumentou no Centro-Norte Fluminense. Quanto a situação financeira da região, empresários ainda reclamam da dificuldade de acesso ao crédito e da baixa margem de lucro.

Com a atividade econômica ainda oscilante, a utilização da capacidade instalada das indústrias do Centro-Norte caiu no mês de junho, ficando em 63,5%, o que significa que mais de um terço do parque industrial da região não está sendo utilizado. O dado está abaixo da média histórica, que é de 68%.

Na pesquisa, os empresários acusam que entre os principais entraves enfrentados pela indústria foram a elevada carga tributária, demanda interna insuficiente e a falta de capital de giro.

As palestras abrangendo todas as regiões fluminenses estão disponíveis no YouTube pelo endereço https://www.youtube.com/sistemafirjan.



Adicionar Comentario

Pgina 4 de 419

Área exclusiva - Login

Notícias completas e versão digital exclusivas para assinantes

Informativo JR

Cadastre-se e fique bem informado