Nova escola técnica será criada em Cantagalo para atender a região

  • PDF


O município de Cantagalo ganhará, em 2012, mais uma oportunidade para a formação qualificada de mão de obra. Trata-se da Escola Técnica de Ensino Médio Integrado, que será instalada através de um convênio que será assinado entre as três fábricas de cimento do Polo Cimenteiro de Cantagalo, a Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP) e a Secretaria Estadual de Educação (Seeduc).

Diretor de Relações Institucionais da ABCP, Mário William Esper disse que o objetivo será a formação de mão de obra qualificada por um período de três anos. “Ainda não posso antecipar detalhes, já que ainda estamos na fase de acertos, mas esperamos assinar esse convênio logo”, anunciou, acrescentando que os profissionais capacitados pela escola poderão atuar não só nas indústrias de cimento, mas nas empresas prestadoras de serviços e na construção civil de maneira geral. “A intenção é incentivar a qualificação da mão de obra e criar novas oportunidades para esses jovens em prol do desenvolvimento da região”, explicou Mário William Esper.

Em breve, a indústria cimenteira, o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) e as prefeituras de Cantagalo, Cordeiro e Macuco irão firmar uma parceria que visa unificar os dados referentes à qualidade do ar e ao meio ambiente dos três municípios, fazendo, inclusive, com que essas informações cheguem à população. No total, são três estações, cada uma montada por uma das fábricas de cimento do polo – Votorantim, Lafarge e Holcim. As unidades de monitoramento começaram a ser instaladas ano passado. A partir de outubro, os dados colhidos serão disponibilizados em tempo real, através do site do Inea – www.inea.rj.gov.br –, e de forma integrada, conforme a ABCP.

Nessa área, o convênio pretende dar sequência ao que já vem sendo feito em relação ao coprocessamento de resíduos industriais nos fornos de cimento. Ou seja, os restos de outros tipos de indústrias, que seriam jogados na natureza, com alto grau de poluição e contaminação, são destruídos nos fornos a mais 1,8 mil graus, fazendo parte da composição do cimento sem alterar a qualidade do produto ou oferecer riscos à saúde.

A partir de agora, conforme o novo convênio, as prefeituras de Cantagalo, Cordeiro e Macuco vão participar de forma mais direta do controle do coprocessamento, incluindo a capacitação dos agentes de saúde dentro da área de toxicologia. Em contrapartida, as secretarias municipais de Saúde deverão disponibilizar seus indicadores de saúde através do programa Estratégia de Saúde da Família (ESF). Com o conhecimento periódico desses dados, poderá ser elaborada uma análise mais detalhada para uma melhor base de qualidade de vida.

Para isso, foi lançado o livro ‘Boas Práticas: Controle de Saúde dos Trabalhadores com Atividades em Coprocessamento de Resíduos em Fornos de Cimento’, um estudo inédito, compilado pelos pesquisadores Satoshi Kitamura e Sérgio de Lucca, da Universidade de Campinas (Unicamp). O prefeito de Cantagalo, Guga de Paula (PP), recebeu um exemplar das mãos de Mário William Esper, da ABCP, que também informou que todo material que destinado às fábricas de cimento para a destruição nos fornos, como forma de combustível alternativo, já chegam com as devidas fichas de segurança e emergência, obedecendo a padrões internacionais. Nelas, estão as instruções sobre como agir com segurança no transporte e em caso de acidente com qualquer dos produtos.

Em discurso, o prefeito Guga de Paula destacou a relação existente hoje entre as fábricas de cimento, as prefeituras e a comunidade. “Desde que assumi, em 2005, sempre cobrei uma maior aproximação das indústrias conosco, e isso está acontecendo agora. O avanço nessa interação é enorme. No entanto, Guga de Paula também criticou a pouca autonomia dada aos gerentes das fábricas. “Mesmo que eles queiram, muitas vezes não conseguem resolver muitos problemas, pois falta-lhes autonomia para decidir”, disse o prefeito.

Guga de Paula também lembrou a referência do município na área de coleta e tratamento do lixo urbano, servindo de modelo para vários municípios do país, principalmente agora, com a instituição da Política Nacional de Resíduos Sólidos.

Durante o discurso, o prefeito reforçou, ainda, a parceria que a Prefeitura mantém com a Lafarge e que levou Cantagalo a ser o primeiro município do Brasil a coprocessar resíduos urbanos, com eliminação total, em breve, do aterro sanitário.




Adicione essa página em sua rede social
Artigos Relacionados:

blog comments powered by Disqus

Área exclusiva - Login

Notícias completas e versão digital exclusivas para assinantes

Informativo JR

Cadastre-se e fique bem informado