O nadador olímpico e atleta pan-americano Luiz Lima visita a região serrana

  • PDF

O atleta e comentarista Luiz Lima prestigiou a abertura da Fevest, em Nova Friburgo, no dia 04 de julho.

No dia 5, estará em Bom Jardim para palestrar em colégios e academias.

Após o almoço, Luiz Lima estará presente em Macuco, Cordeiro (OAB), Cantagalo (Fazenda Gamela e Porão), ministrando palestra de encontros com profissionais de educação física; e na sexta-feira, dia 6 de julho, pela manhã, segue para Carmo e Sumidouro, com os mesmos objetivos.

Na parte da tarde, Luiz palestra para vereadores na Câmara Municipal de Macuco e, na sexta-feira, segue para Carmo e Sumidouro, onde palestra para profissionais de educação física. 

Luiz Lima é um dos maiores fundistas do Brasil. 

Por muitos anos foi atleta profissional de natação, participando de Pan Americanos, Mundiais e das Olimpíadas de Atlanta e Sydney, nas provas de 400, 800 e 1500 metros. Foi recordista Brasileiro e sul-americano destas provas por vários anos, além de pentacampeão da Travessia dos Fortes e tricampeão da Travessia dos Bravos. 

Também foi Secretário Nacional de Esportes de Alto Rendimento entre 2016 e 2017, e hoje é técnico da mais importante equipe de águas abertas do país e comentarista da SporTV.

Através do desafio que venceu em 2008, a travessia do Leme ao Pontal, no Rio de Janeiro, onde nadou 35 km à noite, sem parar, durante 8 horas, Luiz Lima aborda na palestra Do Leme ao Pontal, de forma leve e descontraída, os ensinamentos preciosos que colheu em sua trajetória, além de abordar sobre fragilidades, incertezas, inteligência emocional e objetivos.

Luiz Lima é educador físico e coordenador de grandes eventos esportivos. 

Esteve à frente da Secretaria Nacional de Esportes de Alto Rendimento, entre junho de 2016 e junho de 2017. 

Durante o período em que foi secretário, por sua postura crítica, era descrito pelos colegas do Ministério como um homem "reaça, sonhador e ativista". 

Como secretário, Luiz Lima apontou uma série de falhas na forma como o esporte é conduzido no país, condenou a falta de democracia nas confederações e Comitê Olímpico do Brasil (COB) e deixou clara a insatisfação com a falta de planejamento e os gastos exorbitantes da pasta.





Adicione essa página em sua rede social
Artigos Relacionados:

blog comments powered by Disqus

Área exclusiva - Login

Notícias completas e versão digital exclusivas para assinantes

Informativo JR

Cadastre-se e fique bem informado