Roberto Robadey continua no comando dos Bombeiros

  • PDF



O cantagalense coronel Roberto Robadey Júnior tomou posse para dar continuidade aos trabalhos na secretaria, em cerimônia realizada no Palácio Guanabara. Foi o único nome dos governos Luiz Fernando Pezão/Francisco Dornelles, no período de cinco meses (12 de setembro de 2017 a 17 de fevereiro de 2018) que permanece no cargo, definido pelo governador empossado Wilson José Witzel. Durante a Intervenção Federal no Estado do Rio de Janeiro, Roberto Robadey também permaneceu no cargo de 17 de fevereiro de 2018 a 31 de dezembro de 2018.

A transmissão de cargos dos novos secretários foi comandada pelo próprio governador. No caso de Robadey, a passagem foi simbólica, uma vez que ele era o secretário de Defesa Civil do governo anterior. O mesmo simbolismo foi aplicado em sua continuação no comando do Corpo de Bombeiros.

Sobre a posse, o coronel publicou em suas redes sociais uma mensagem de agradecimento: “Mais uma vez agradeço à confiança do governador Wilson José Witzel e aos heróis da SEDEC/CBMERJ que possibilitam uma boa gestão e a continuidade do trabalho”.

O nome de Robadey foi confirmado pelo governador eleito no dia 14 de novembro de 2018. Na ocasião, o coronel, que é natural de Cantagalo, mas tem em seu histórico profissional uma grande atuação na serra, inclusive como secretário municipal de Defesa Civil de Nova Friburgo em 2011, quando a cidade sofreu a maior catástrofe climática de sua história, afirmou que sua intenção era dar continuidade ao trabalho de prevenção e planejamento, que estava sendo realizado na Secretaria de Estado de Defesa Civil.

“O governador quer fazer um trabalho habitacional voltado para pessoas em áreas de risco. Fizemos um estudo sobre essa questão, hoje temos cerca de 45 mil famílias em áreas de risco no Estado e, com esse levantamento, enquanto não temos uma solução definitiva, trabalhamos com o sistema de gestão, avisando previamente essas pessoas quando devem deixar suas casas para buscar uma área segura”, detalhou Robadey.

Sobre a solução definitiva que está sendo considerada pela nova gestão, ele destacou: “A intenção do novo governo é construir novas unidades habitacionais para realocar as famílias em áreas de risco. Claro que isso não é algo que seja feito rapidamente, mas existe essa vontade, pois essa seria a solução ideal. Enquanto isso não acontece, vamos continuar trabalhando na coleta e distribuição de informações sobre quais são essas áreas, quantas pessoas vivem nela, para diminuir o estado de risco”, concluiu Robadey.





Adicione essa página em sua rede social
Artigos Relacionados:

blog comments powered by Disqus

Área exclusiva - Login

Notícias completas e versão digital exclusivas para assinantes

Informativo JR

Cadastre-se e fique bem informado