Política

Guga de Paula: “O município não tem dívidas”

  • PDF



Numa entrevista exclusiva ao Jornal da Região, o atual prefeito de Cantagalo, Guga de Paula faz um balanço deste dois anos de governo, sua pretensão de ser candidato pela quarta vez


Jornal da Região (JR) – Qual o balanço que você faz destes primeiros dois anos e dois meses de governo?

Guga de Paula (GP) – Inicialmente, gostaria de cumprimentar a todos os leitores do JORNAL DA REGIÃO, especialmente aos munícipes de Cantagalo.

Sem dúvida, os primeiros dois anos de governo foram muito difíceis, muitas dificuldades financeiras, muitas contas para pagar e muita coisa para arrumar. Tenho certeza que ainda faltam algumas coisas para acertar, como a limpeza urbana, por exemplo, mas o cidadão cantagalense pode ter a convicção de que estamos empenhados em resolver cada problema do município.

As dificuldades com mão de obra são grandes, muitas aposentadorias nos últimos anos, mas, em breve, estaremos chamando os aprovados no concurso que está sendo realizado, o que contribuirá muito na prestação de serviços públicos.


JR – Hoje, a Prefeitura de Cantagalo não tem dívidas. Conseguiu pagar todas?

GP – Não, o município não tem dívidas. Atualmente, o município de Cantagalo consegue arcar com todos os seus compromissos financeiros correntes, tendo quitado todos os compromissos que estavam pendentes.

Não posso deixar de destacar que, em todos os 26 meses do atual mandato, o servidor municipal recebeu seu salário dentro do mês trabalhado, bem como o 13º salário, 14º e o ticket-alimentação sempre em dia.


JR – Você tem afirmado que os servidores serão sempre prioridade. Como conseguiu antecipar os pagamentos dos salários dos servidores municipais? E a questão do aumento salarial?

GP – Reafirmo que os servidores são prioridade. O atual governo tem a preocupação de pagar o servidor de forma antecipada, pois isto faz com que o servidor trabalhe sem a preocupação se vai receber ou não e pode desempenhar melhor suas funções, prestando um melhor serviço público, além de propiciar um maior aquecimento da economia local.

Quanto ao aumento salarial, é uma pretensão nossa, mas, para isto, precisamos continuar a baixar o índice da folha de pagamento e ter uma maior confiança no avanço das receitas, pois de nada adianta aumentar o salário e não conseguir pagá-lo.


JR – Já inaugurou algumas obras e tem previsão de entrega de outras. Fale sobre estas inaugurações.

GP – Fizemos e estamos fazendo obras importantes em Cantagalo: Construímos um Posto de Saúde no bairro Novo Horizonte, reformamos postos de saúde em Boa Sorte, Santa Rita da Floresta e São José, implantamos academia da saúde em Santa Rita da Floresta, realizamos obras de infraestrutura e asfaltamento em todo o bairro Morada da Sol, praças em São Sebastião do Paraíba, muro de contenção na Rua Vereador Francisco Eugênio Vieira, no Centro, e na entrada do Loteamento Vila Bella. Ainda temos obras na iminência de inaugurar, como o Laboratório Citopatológico, as Praças dos bairros Quinta dos Lontras e São Pedro, Centro Cultural, Estação Ferroviária de Euclidelândia, asfaltamento e infraestrutura do bairro Novo Horizonte, além de muitas outras que virão.

Estou confiante de que todas as obras realizadas e em realização serão de grande utilidade para o nosso município e trazem imenso desenvolvimento para todas as localidades de Cantagalo.


JR – Como tem sido o relacionamento de seu governo com os vereadores do município? Ainda tem a maioria na Câmara Municipal?

GP – Tenho um bom relacionamento com pelo menos 9 vereadores. Acredito que a democracia impõe independência e tenho certeza de que os vereadores possuem compromisso com o município. Com certeza, existem algumas divergências entre posicionamentos e opiniões, mas, no fim, reafirmo que acredito e espero que todos possuam compromisso com Cantagalo.




JR – E o novo governador do Estado? Como espera se relaciona com Wilson Witzel?

GP – Eu ainda não conheço o governador. Espero ter um bom relacionamento, afinal, os homens e mulheres públicos que têm compromisso com a população precisam estar juntos e imbuídos em efetivar as políticas públicas da melhor maneira possível, pois a eleição acaba com a apuração das urnas.


JR – Em 2020, completam-se 50 anos que as indústrias de cimento começaram a funcionar no município. A Cimento Alvorada, hoje CRH Brasil, foi a primeira a começar a produzir cimento na região. Qual sua avaliação sobre a importância destas fábricas para Cantagalo?

GP – São de imensa importância. Cantagalo é a capital estadual do cimento e 3º maior polo do Brasil neste ramo. É um nicho industrial que gera receitas para o município e emprega muitas famílias há décadas. Sempre fui e sempre serei um defensor das cimenteiras.


JR – Qual sua avaliação sobre o novo governo federal, que anunciou mais Brasil do que Brasília, demonstrando interesse em repassar mais recursos para os municípios?

GP – Ainda é muito cedo para falar do novo governo. As medidas prometidas ainda estão em fase de implantação. Precisamos aguardar um pouco mais para avaliar. Acredito apenas que os filhos do presidente deveriam ter mais cautela ao se manifestarem, pois algumas afirmativas têm gerado algum mal-estar desnecessário. Mas, quanto ao governo, ainda é cedo para formar uma opinião. Acerca da promessa de mais apoio aos municípios, é uma expectativa que espero seja cumprida, afinal de contas, a vida acontece nos municípios, que, ao longo tempo, viram suas receitas caírem, enquanto suas obrigações só aumentam.


JR – Cantagalo completou 205 anos de emancipação político-administrativa no último dia 9 de março. Qual sua mensagem ao povo de Cantagalo e o que a população pode esperar de sua administração?

GP – Gostaria de parabenizar todos os cantagalenses, tanto os aqui nascidos quanto os que escolheram viver aqui, e dizer que meu compromisso sempre foi e sempre será o de servir ao povo que me elegeu. Reitero meu juramento pela honestidade e seriedade com a administração pública e meu amor por Cantagalo.


JR – Já declarou que será candidato à reeleição. Se for reeleito, será o único prefeito com quatro mandatos em Cantagalo e um dos políticos que mais venceu eleição na região. O que significa isso para sua vida profissional e pessoal?

GP – Ser prefeito de Cantagalo é uma honra inexplicável. Ter sido o único prefeito reeleito da história e, depois de quatro anos, eleito novamente, foi fruto de trabalho sério e de muita luta e paixão por este município. Essa questão de um quarto mandato fica a critério do povo e ele saberá decidir quando chegar o momento.



Adicionar Comentario

Luciano Batatinha e Maria Helena fazem um balanço de sua administração

  • PDF

Em entrevista ao Programa Espaço Aberto, na Rádio 94 FM, o prefeito de Cordeiro, Luciano Batatinha, acompanhado da vice-prefeita Maria Helena e do chefe de Gabinete Fabrício Barros, falou resumidamente sobre as principais ações do Governo Municipal.


Infraestrutura nos bairros

No primeiro tema abordado, Batatinha e Helena relembraram a entrega do calçamento no bairro Pirazzo, que há 16 anos era aguardado pelos moradores. “Estivemos lá na campanha visitando as residências e retornamos agora, não para pedir voto, mas para cumprir a promessa que assumimos com a comunidade”, disse Luciano, com a vice-prefeita confirmando que duas outras localidades serão contempladas com obras de infraestrutura: Buraco Quente e Morada do Poeta. “Os serviços serão iniciados após a conclusão dos processos licitatórios, mantendo nosso compromisso com a transparência nos atos de administração”, explicou Maria Helena.


Salários atrasados de 2016

Embora permaneçam empenhados em saldar definitivamente a dívida herdada da administração anterior – que deixou de pagar aos servidores os salários de dezembro e 13º de 2016 –, Luciano e Maria Helena deram uma excelente notícia ao Funcionalismo Municipal. Nesta sexta-feira, 15, serão pagos os salários de dezembro de 2016 a mais 100 servidores da ativa que ganham até R$ 1.687,81. Aposentados e pensionistas receberão integralmente os salários de dezembro e 13º pendentes desde o fim de 2016.


Contas de 2017 são aprovadas pelo TCE

Outro motivo que levou o prefeito a elogiar seus comandados, especialmente a equipe de finanças, foi a aprovação, pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE/RJ), das contas do Exercício Financeiro de 2017. O contentamento é maior, segundo Batatinha, porque ele encontrou a Prefeitura de Cordeiro em estado caótico em janeiro de 2017. A administração que o antecedeu teve inclusive as contas do Exercício 2016 reprovadas pelo TCE/RJ. “Divido essa vitória com todos integrantes do Governo Municipal. Competência, responsabilidade e comprometimento”, resumiu Luciano.


Reerguendo o Instituto de Pensão

O tom nas palavras do prefeito durante a entrevista ficou áspero ao falar sobre o Instituto de Pensão, Aposentadoria e Benefícios do Município de Cordeiro (IPAMC). Informações da direção da instituição confirmam que a atual Administração Municipal encontrou uma dívida astronômica na entidade, no valor de R$ 198.325.379,42.

Com diplomacia, os gestores atuais conseguiram o parcelamento da dívida, que será quitada em 35 anos, ou seja, R$ 5.666.439,41 por ano. “Não se pode ignorar um assunto tão sério. Quem tanto contribuiu para Cordeiro precisa ter garantida sua aposentadoria”, esbravejou o prefeito. Além do aporte mensal no valor de R$ 700 mil, a Prefeitura de Cordeiro ainda repassa mensalmente cerca de R$ 436 mil referente ao citado parcelamento, totalizando um repasse mensal de mais de R$ 1 milhão ao IPAMC.


Proximidade com a população

Luciano e Maria Helena também não pouparam elogios ao ‘Mutirão Partiu Cordeiro’, cujas edições já foram realizadas no Sumaré e Lavrinhas e no dia 23 acontecerá no Retiro Poético, mantendo uma relação de proximidade com a comunidade. Com ações de combate ao mosquito Aedes Aegypti, transmissor de doenças como Dengue, Zika Vírus e Chikungunya, o evento ainda oferta vacinação contra Febre Amarela; Testes Rápidos; orientações sobre Doenças Sexualmente Transmissíveis; Aferição de Glicemia Capilar e Pressão Arterial; Palestra sobre Higiene Bucal; e Serviços da Sala do Empreendedor, entre outras atividades.


Carnaval 2019 promete ser animado

Para encerrar a entrevista com o astral elevado, o secretário interino de Turismo, Fabrício Barros, confirmou a programação do Carnaval 2019, cujas atrações serão concentradas na Avenida Raul Veiga, na Praça Coronel Antônio Pinto, no centro da Cidade Exposição. “Será um carnaval para as famílias, com segurança e muita animação. Teremos atrações todos os dias, das 16 horas até duas da manhã, quando estaremos encerrando a programação por orientação da Polícia Militar”, disse.

Além do retorno dos blocos à passarela do samba – este ano serão onze agremiações de embalo agitando a galera, incluindo as animadas concentrações –, haverá todos os dias a apresentação da bandinha de metais e a participação de DJs. Também estão programados nove shows noturnos e quatro matinês com banho de espuma para a garotada, uma novidade, já que antes ocorriam apenas duas matinês. “Convido cordeirenses e visitantes a se unirem e curtir essa festa popular em clima de paz e harmonia. Teremos um excelente carnaval”, concluiu Luciano Batatinha.



Adicionar Comentario

Prefeitura de Trajano e ITERJ iniciam regularização fundiária

  • PDF



A prefeitura de Trajano de Moraes, através da Secretaria Municipal de Habitação em Parceria com o ITERJ – Instituto de Terras e Cartografia do Estado do Rio de Janeiro realizou na Fundação João de Moraes Martins, localizada no morro do Pinheiro em Visconde de Imbé a primeira reunião pública para orientar os moradores de como será o processo de regularização dos imóveis. Cerca de 60 famílias compareceram e tomaram conhecimento da ação.

O secretário municipal de Habitação, Cláudio Moraes, abriu a reunião explicando que além dessa localidade em Visconde de Imbé, os trabalhos englobarão nesta primeira etapa, a localidade de Barra dos Passos e posteriormente o distrito de Tapera e o bairro da Represa. Esteve também na reunião Kiara Cosme, diretora de cadastro e cartografia do ITERJ, entre outros.  “Esse é o primeiro passo no processo para que as pessoas que aqui estão possam ter o título de propriedade da casa onde residem. Tudo aquilo que a prefeitura de Trajano de Moraes puder e tiver que fazer para que isso aconteça será feito”, explicou Cláudio.

Essa primeira reunião segue um cronograma traçado pelo prefeito Rodrigo Viana, onde foi assinado recentemente o termo de cooperação técnica que celebra o ITERJ – Instituto de Terras e Cartografia do Estado do Rio de Janeiro e o município de Trajano de Moraes, visando desta forma o desenvolvimento de ações conjuntas e harmônicas de regularização fundiária de interesse social.

O prefeito Rodrigo Viana, avaliou como positivo esse primeiro passo. “Esse processo não é rápido, demanda muito trabalho onde iremos efetuar o mapeamento dessas áreas, imóvel por imóvel, o cadastramento das famílias, o levantamento imobiliário e todos os processos legais necessários para que cada um receba o seu título de propriedade. Vale destacar que o morador não terá custo nenhum, ou seja, será tudo por conta da prefeitura”, informou o prefeito Rodrigo Viana.

O trabalho teve início no dia 12 de fevereiro, quando a primeira equipe realizou uma palestra de como ocorrerá às medições e delimitações dos imóveis. “Assim que terminarmos a primeira fase, finalizando o mapa e os dados de todos os imóveis, iniciaremos em seguida o levantamento topográfico que será feito pelo município, onde todas as moradias serão demarcadas e em seguida o cadastramento de cada família”, explicou o secretário Cláudio Moraes.

Ao todo serão beneficiadas cerca de 700 famílias no município inteiro. A estimativa prévia do ITERJ e prefeitura é que sejam regularizados todos esses imóveis. “Nós sabemos que a regularização fundiária é muito necessária para o município, já que temos vários moradores que estão com suas propriedades sem regularização e essa situação causa temor e angústia a eles. Estamos trabalhando muito para proporcionar uma estrutura cada vez melhor para a população da nossa cidade”, comentou o secretário.



Adicionar Comentario

Deputado apresenta projeto em defesa da mulher

  • PDF



O Deputado Federal Luiz Lima (PSL - RJ) protocolou o Projeto de Lei 510/2019 - que permite o divórcio ou o rompimento da união estável nos casos previstos na lei 11.340, de 7 de agosto de 2006, a pedido da mulher que for vítima de violência doméstica. 

Todos os dias, milhares de mulheres sofrem diversos tipos de violência no Brasil. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o número de assassinatos no país chega a 4,8 para cada 100 mil mulheres. Em 2017 foram 4.473 homicídios, um aumento de 6,5% em relação a 2016. Isso significa que uma mulher é assassinada a cada duas horas no Brasil. E, em muitos casos, a agressão parte do próprio companheiro.

"O nosso objetivo é agilizar os trâmites legais para que o divórcio seja decretado com celeridade a partir da comprovação da agressão, preservando as vítimas e seus filhos. Sou filho de uma mulher maravilhosa, casado com uma mulher incrível e pai de uma adolescente de 13 anos, que está se tornando a cada dia uma grande mulher. Sou grato por ter essas mulheres em minha vida. O que não quero para elas, eu não quero pra nenhuma outra. Não podemos aceitar qualquer tipo de agressão contra mulheres."



Adicionar Comentario

Deputado André Ceciliano é eleito presidente da Alerj

  • PDF

O deputado André Ceciliano (PT) foi eleito, no dia 2 de fevereiro, o novo presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) para um mandato de dois anos. Com 49 votos favoráveis, sete contrários e oito abstenções, dos 64 votos possíveis, a chapa única “Arrumação”, liderada por Ceciliano, foi escolhida para conduzir os trabalhos da Casa. A sessão foi presidida pelo parlamentar da atual legislatura com o maior número de mandatos, deputado Carlos Minc (PSB). Na ocasião, também foram eleitos os outros doze integrantes da Mesa Diretora da Alerj. 

Ceciliano já vinha exercendo a presidência de forma interina desde novembro de 2017. Após ser eleito, o deputado agradeceu aos parlamentares e prometeu ser um presidente de todos. “Agradeço aos colegas parlamentares que confiaram em minha capacidade para continuar conduzindo os trabalhos com transparência, priorizando o diálogo, respeitando as diferenças ideológicas e, acima de tudo, garantindo autonomia aos deputados para exercerem seus mandatos em toda a sua plenitude”, disse. O presidente lembrou que enfrentou no cargo uma grande crise política e econômica, mas, sob sua condução, a Alerj aprovou pautas importantes para ajudar o Estado a superar as adversidades.

Ceciliano também informou que algumas providências já haviam sido tomadas quando ele era presidente interino, como a redução da possibilidade dos desmembramentos de cargos dos gabinetes, de até 63 para no máximo 40, e a substituição do auxílio alimentação dos funcionários depositado em conta pelo tíquete-refeição. 

O novo presidente ainda anunciou novas medidas que serão implementadas pela Alerj. “A sociedade exige mais transparência. Por isso, vamos dar continuidade ao aperfeiçoamento do acesso a todas as informações internas da Casa, através do Portal da Transparência. Também vamos implantar o Parlamento Digital, um conjunto de ferramentas necessárias para que possamos praticar uma política moderna, com a população sugerindo projetos e opinando sobre as matérias que tramitam na Casa”, prometeu o parlamentar.

O deputado também informou que vai permitir que as audiências públicas sejam transmitidas pela Internet, com um sistema que permitirá interação com os internautas, tendo como base a experiência do Laboratório Hacker da Câmara Federal, e também colocará a TV Alerj em canal aberto ainda este ano. “Precisamos mostrar aos cidadãos que a Alerj faz positivamente diferença na vida deles”, concluiu. 


Abaixo, a composição da nova Mesa Diretora da Alerj:


Presidente: André Ceciliano (PT) 
1º Vice-presidente: Jair Bittencourt (PP)
2º Vice-presidente: Renato Cozzolino (PRP)
3º Vice-presidente: Tia Ju (PRB)
4º Vice-presidente: Filipe Soares (DEM)
1º Secretário da Mesa: Marcos Muller (PHS)
2º Secretário: Samuel Malafaia (DEM)
3º Secretário: Marina (PMB)
4º Secretário: Chico Machado (PSD)
1º vogal: Franciane Motta (MDB)
2º vogal: Dr. Deodalto (DEM)
3º vogal: Valdecy da Saúde (PHS)
4º vogal: Márcio Canella (MDB)



Adicionar Comentario

Vereadora anuncia que vai renunciar o cargo

  • PDF

A vereadora mais votada em 2016 do município de Francisco Beltrão, no estado do Paraná anunciou através das redes sociais, que vai renunciar o cargo. Franciele Schmitz (PSDB) conquistou 1.783 votos e estava em seu primeiro mandato. “Foram dois anos que fiz o que me cabia enquanto função. Apresentei 11 projetos de lei; fiz pedidos e requerimentos ao executivo que representavam o desejo da população; briguei, discuti, fiscalizei, orientei. Mas ser vereador é muito mais que isso, é entender o jogo de poder e muitas vezes acatar situações e ordens contra sua vontade, é intermediar necessidades tendo a certeza que poderia ser feito mais, é perceber que muitas vezes o motivo e as consequências de algum acontecimento não é somente aquilo que você vê”, escreveu a vereadora nas redes sociais para justificar a decisão.

“Qual a função de vereador? Legislar, fiscalizar e representar? Foram dois anos que fiz o que me cabia enquanto função. A minha política sempre foi pautada nos bons princípios, principalmente na ética, honestidade, olhar o outro – entender o que é o melhor para a população. Sempre dei foco nas ideias e assim no benefício das pessoas. Exercer um cargo público exige de nós muita disciplina moral. Sou fruto de uma nova geração de políticos que busca combinar: o compromisso contínuo com o discernimento moral, a humildade no próprio comprometimento e a disponibilidade interior para emitir juízos mais elevados. Se é um sonho para alguns, para mim, NÃO”, afirmou.

A vereadora critica os políticos: “Não sou mestre em articulação e nunca tive a intenção de ser. Fui a vereadora mais votada, destaque por dois anos consecutivos mas como nunca gostei de “empurrar as coisas com a barriga”, nunca gostei de não estar por inteiro nos lugares ou estar (como muitos políticos) somente pensando na verba mensal. Desta forma encerro aqui minha trajetória política”, afirmou.

Ela pretende assinar a carta de renúncia e na primeira sessão ordinária do ano o pedido é expresso de maneira formal a Mesa Diretora da Câmara Municipal de Francisco Beltrão.

“Agradeço a confiança dos beltronenses e peço desculpas aos meus eleitores! Ressalto que foram muitos os motivos que me fizeram tomar essa decisão, no entanto, não foi uma decisão precipitada. Talvez no dia da minha posse eu já começava a descobrir que estava no lugar errado. Tentei, tenham certeza, por inúmera vezes me adaptar, porém essa não seria eu, não seria a Franciele – vereadora comprometida com tudo e todos. Digeri tão bem toda essa trajetória que hoje renuncio ao mandato em paz”, concluiu Franciele Schmitz.



Adicionar Comentario

Políticos de Cordeiro e de Macuco comemoram vitória de Chico Machado para a Alerj

  • PDF



O Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Rio de Janeiro (TRE-RJ) confirmou no dia 24 de janeiro, que o ex-vereador de Macaé, Chico Machado (PSD), ficará com uma das cadeiras da Assembleia Legislativa do Estado (Alerj) na legislatura 2019-2022.

O resultado veio após uma retotalização dos votos para deputado estadual nas Eleições 2018 que colocou o candidato do PSD na lista de eleitos, no lugar de Pedro Ricardo (PSL), que ficou como suplente.

Realizado na sede do TRE-RJ, o procedimento foi determinado por decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que deferiu a candidatura de Felipe Peixoto (PSD), cujos votos não haviam sido computados devido ao indeferimento de seu registro no primeiro grau.

Com a decisão da Corte Superior Eleitoral, que tornou válidos os votos de Felipe Peixoto, que se tornou suplente, e provocou a redistribuição das vagas entre os partidos ou coligações.

Na região, dois políticos comemoraram a vitória e entrada de Chico Machado na Assembléia Legislativa.

O atual prefeito de Macuco, Bruno Boaretto, que apoiou sua candidatura a Alerj, comemorou nas redes sociais.

"Quero comunicar oficialmente à população de Macuco que o nosso deputado Estadual Chico Machado foi confirmado hoje pelo TRE como deputado Estadual eleito. Deixo aqui mais uma vez meu agradecimento a todos os amigos que fizeram do Chico Machado o deputado Estadual mais votado da história de Macuco e o deputado estadual que teve o maior percentual de votos em uma cidade nessa eleição. Podem ter certeza que nossa força se renova dentro da Alerj e muitas portas se abrirão no governo do Estado. E pra você que debochou pelo fato do Chico Machado não ter entrado logo após os primeiros resultados da eleição, você teve meu silêncio como resposta e terá sempre, até porque só respondo meus adversários com trabalho em prol do povo de Macuco e sempre com a certeza de que mais cedo ou mais tarde é Deus quem aponta a estrela que tem que brilhar", desabafou Bruno Boaretto.

Em Cordeiro, o empresário Leonan Melhorance, que foi candidato a prefeito nas últimas eleições municipais, também comemorou a entrada de Chico Machado na Assembléia Legislativa afirmando: "Deputado apoiado por Leonan em Cordeiro toma posse na Alerj".

Em seu facebook, o deputado deixou uma mensagem: "Inicia hoje, a 12ª legislatura da ALERJ. Junto com outros 69 deputados, acabo de tomar posse como deputado Estadual do Rio de Janeiro. Com a certeza que trabalharemos sem cessar, para recuperação e melhoria do nosso estado. Mais uma vez, agradeço a todos que abraçaram o nosso projeto. A todos que contribuem para um interior fortalecido", afirmou Chico Machado.



Adicionar Comentario

Deputados comentam expectativas para o mandato

  • PDF

No dia 1 de fevereiro, 64 deputados estaduais tomaram posse na Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). Com a cerimônia, se inicia a 12º legislatura do Parlamento fluminense que vai até 2022. Dos 64 deputados que tomaram posse, 12 são mulheres e 52 homens, que representam 26 partidos políticos. Veja o que disse cada parlamentar quanto à expectativa para essa legislatura.


Alana Passos (PSL):

“Estamos aqui para trabalhar e assim o faremos. Vou trabalhar pela segurança e pela conservação dos valores da família. Tudo voltado para o bem-estar da população.”


Alexandre Freitas (Novo):

“A gente viu que houve uma renovação na Alerj e eu acredito que os deputados vão escutar esse pedido de mudança que a Casa precisa ter. A gente quer defender um sistema tributário muito mais fácil e a Segurança Pública da forma como ela merece, olhando para o cidadão e não trabalhando de forma corporativa.”


Alexandre Knoploch (PSL):

“Foi uma renovação muito boa e o que a gente espera é trazer os anseios da sociedade para a pauta da Casa. A população quer um estado mais próspero, menos corrupto e que veja melhor os anseios do povo. A nossa pauta será a segurança pública e a geração de emprego. Nós não podemos mais perder sequer uma vida de policial no Estado do Rio de Janeiro e tampouco de um cidadão. A população precisa de paz para prosperar.”


Anderson Moraes (PSL):

"A promessa é combater o gasto excessivo da máquina pública. Essa é a minha proposta e do PSL. A gente acredita que com a economia vamos conseguir trazer um bem comum para a população, assim conseguindo realizar, de fato, o que a população precisa."


André Ceciliano (PT):

“O estado ainda tem um déficit de R$ 8 bilhões neste ano de 2019. A Assembleia precisa ter tranquilidade e responsabilidade para que possamos votar coisa importantes para melhorar a arrecadação, a máquina pública, os serviços de saúde, segurança e educação.”


Bebeto (Pode):

“Vou continuar pautando meu trabalho em total transparência e honestidade. Focarei nas áreas de Educação, Saúde, Esporte.”


Bruno Dauaire (PRP):

“A gente quer ajudar o Estado do Rio de Janeiro a sair da crise. Eu acho que esse novo governo impulsiona os parlamentares a isso. Nosso objetivo durante a legislatura é ajudar a reconstruir o estado e gerar empregos.”


Carlos Macedo (PRB):

“Nós sempre trabalhamos pelo Meio Ambiente, pela Saúde e pela Educação. Não podemos abandonar esses temas, porque acho que são essenciais para a sociedade. Também estamos abraçando a bandeira do agronegócio, do produtor rural, da agropecuária, da piscicultura. Temos que buscar políticas que gerem emprego e renda o mais rápido possível. Isso consequentemente vai movimentar a nossa economia. Nossa maior vocação sempre foi a riqueza que vem no nosso solo.”


Carlos Minc (PSB):

“A Alerj pode ajudar o estado aprovando leis estimulando o emprego e o trabalho, combatendo a violência, que acaba inclusive inibindo a atividade econômica. Por exemplo, melhorar as condições de trabalho dos policiais é uma forma muito mais efetiva para evitar a morte dos agentes. E na questão do meio ambiente, uma das primeiras medidas da comissão do Cumpra-se será fazer cumprir uma lei de prevenção de acidentes em barragens.”


Chicão Bulhões (Novo):

“Estou muito feliz por fazer parte de uma Assembleia tão renovada, de vir com essa pegada de renovação trazendo os princípios e valores do partido Novo, que elegeu seus primeiros deputados estaduais da história. Estou muito orgulhoso e animado para começar os trabalhos”.


Chico Machado (PSD):

“Eu sou de Macaé e represento o norte e noroeste do estado. Temos alguns desafios, como o transporte aquaviário e a produção agrícola. Temos a expectativa de, em conjunto com os outros deputados e o governador, resgatar a imagem do nosso estado e do interior.”


Coronel Salema (PSL):

“Tenho 33 anos no serviço público, mas o mandato como deputado será algo muito diferente do que já fiz. No entanto, com certeza, será um local bom para trabalhar. Nós temos a maior bancada da Casa e vamos trabalhar para o estado. Fui eleito pela minha atuação à frente da Polícia Militar e, com certeza, esse grupo terá uma atenção especial no meu mandato.”


Dani Monteiro (PSol):

"A legislatura começa com muita força, muita vontade de fazer uma nova política, uma renovação de fato. Essa renovação vem pelos braços da juventude que quer construir perspectiva, que quer educação, que quer gerar emprego e renda, que quer saúde e fomento à cultura. Então são essas as nossas principais pautas para a Alerj, construir perspectiva e futuro para a juventude."


Danniel Librelon (PRB):

“A prioridade do mandato que recebemos é trazer voz à população. As pessoas que conhecem um pouco da nossa história, da nossa trajetória, sabe a importância que damos a cada voto que recebemos para cumprir essa missão. É um dia muito marcante na nossa vida. Buscarei o melhor para o nosso estado.”


Delegada Martha Rocha (PDT):

“Eu acho que o segundo mandato aumenta nossa responsabilidade. Nós continuamos mantendo compromisso com o povo do Estado do Rio de Janeiro, que é o dono do nosso mandato; e vamos continuar trilhando os mesmos caminhos: ajudar o estado a vencer a grave crise na segurança pública, que ainda se encontra; a recuperação da situação financeira; tornar o estado empreendedor, de boas perspectivas. A Alerj tem grandes desafios para os próximos quatro anos.”


Delegado Carlos Augusto (PSD):

“Estou deputado, mas sou funcionário do estado, delegado de polícia. Minha esperança é que o Estado tenha o equilíbrio das contas públicas e seja capaz de prover nas áreas de Segurança Pública, Educação e Saúde.”


Dionísio Lins (PP):

"Todos que acompanharam as mudanças verificam que feliz daquele que Deus iluminou e voltou para essa Casa, porque o povo fez justiça e quer a justiça. Eu entendo que essa nova legislatura deverá ter um trabalho mais focado em defender o interesse do cidadão sobretudo. Eu tenho uma expectativa grande que essa nova legislatura será amparada na defesa daquilo que o povo deu de resposta nas urnas."


Dr. Deodalto (DEM):

“Minha prioridade continuará sendo lutar pela saúde do nosso estado. Como médico, não poderia ser diferente. Espero que seja um mandato melhor que o passado, com mais recursos, para melhorar os investimentos no Rio de Janeiro.”


Dr. Serginho (PSL):

Esperamos, realmente, conseguir realizar aquilo tudo que apresentamos como plataforma na nossa campanha. Estamos aqui para contribuir com o governador Wilson, a melhor forma para reerguermos nosso Estado do Rio de janeiro, fazer com que a economia fique forte e para avançarmos inclusive com o fortalecimento da Região dos Lagos, nossa base eleitoral”.


Eliomar Coelho (PSol):

“Nós somos um mandato de luta, de resistência. Vamos seguir lutando pelas pautas exigidas pela sociedade, de transformação, de melhoria de vida das pessoas, criando políticas públicas voltadas para os mais necessitados. As perspectivas são boas, apesar de passarmos por tempos de nevoeiro e trovoadas. Somos muito bons no enfrentamento das turbulências.”


Enfermeira Rejane (PCdoB):

“Continuo acreditando que devemos representar o povo com ética e responsabilidade e reafirmo a minha luta pelos trabalhadores e por justiça social. Esse é meu papel na Casa. Precisamos escutar mais e falar menos para seguir representando aqueles que nos colocaram aqui.”


Fábio Silva (DEM):

“As expectativas para a legislatura são as melhores possíveis. Já estamos, graças a Deus e àqueles que confiaram o voto a mim, no nosso quinto mandato. Queremos agora fazer um mandato ainda melhor que o último. Vamos desarquivar os projetos que acabaram arquivados por causa da mudança de legislatura e buscar a aprovação. São mais de 200 projetos de minha autoria.”


Filipe Soares (DEM):

“Quero passar mais quatro anos trabalhando cada vez mais pelo povo do Estado do Rio de Janeiro. Trabalharei a favor da família por menos impostos, mais liberdade e mais poder de compra para a população do Rio de Janeiro.”


Filippe Poubel (PSL):

“A população clamava por mudança, por renovação. Vou combater todas as pautas que queiram desgastar, acabar, denegrir a instituição família. A Alerj tem hoje um grande compromisso com o governador de lutar pela segurança pública. Vamos estar alinhados com o governo nas pautas positivas que venham trazer melhoria para a população.”


Flavio Serafini (PSol):

“Nos últimos dez anos, o Estado do Rio foi o que mais perdeu matrículas na rede pública estadual e tem o maior índice de jovens sem estudo ou trabalho. Essa mistura explica a explosão da crise social e queremos lutar contra isso, ampliando os direitos dessa população, para que a nossa juventude sonhe com o futuro.”


Franciane Motta (MDB):

“Espero que corra tudo bem e que a gente consiga avançar na melhoria do Estado do Rio de Janeiro, principalmente no interior.”


Gil Vianna (PSL):

"Em primeiro lugar, a vontade de trabalhar é muito grande. A perspectiva é muito boa. Sou de Campos de Goytacazes e tem muito a se fazer lá. Vamos trabalhar bastante. Nós do PSL acreditamos muito na mudança e que a mudança vem acontecendo de fato. É o que o brasileiro, que os fluminenses esperam, é a mudança de fato."


Giovani Ratinho (PTC):

“Eu desejo que essa nova legislatura seja em prol do nosso estado que enfrenta dificuldades e precisa melhorar.”


Gustavo Schmidt (PSL):

“A Casa tem uma missão muito importante de ajudar o governo a resgatar a economia do estado, voltar a gerar empregos, melhorar a segurança, trazer novos investimentos. A gente tem boas pautas e muito trabalho pela frente para conseguir colocar o Rio nos trilhos.”


Gustavo Tutuca (MDB):

“Precisamos continuar o processo de recuperação do nosso estado. Esta Casa colaborou muito no último mandato para que o estado saísse da situação em que se encontrava e eu tenho certeza que com novos deputados chegando e trazendo novas ideias, vamos avançar e colocar o Rio de Janeiro no lugar de onde nunca deveria ter saído.”


Jair Bittencourt (PP):

“As experiências dos últimos quatro anos serviram para melhorar e a população tem uma expectativa enorme. O estado está retomando o crescimento e a Alerj deve participar disso. Todos os deputados devem trabalhar pelo desenvolvimento de todo o estado e tenho certeza que esta Casa irá contribuir muito.”


João Peixoto (DC):

“Eu continuo no mesmo propósito: lutar pelo interior por meio da Comissão de Agricultura. Eu me vejo aqui, em 2019, igual no meu primeiro mandato na Alerj, iniciado em 1995.”


Jorge Felippe Neto (PSD):

"A expectativa é continuar o trabalho de recomposição do Estado do Rio de Janeiro. Acho que é um governo muito mais empolgado, muito mais trabalhador, com muito mais vontade de realizar e de mudar que o anterior. Isso vai ser fundamental para a retomada do estado. Eu só espero colaborar com a população, manter a independência do nosso mandato e também do Parlamento como o poder que é para que a gente consiga reconstruir o estado."


Léo Vieira (PRTB):

“O estado ficou muito atrelado aos royalties do petróleo. Precisamos desenvolver outros segmentos da economia para que o Rio de Janeiro não passe pelo aperto que passou nos últimos anos. Vamos focar na geração de emprego para ajudar o governo Witzel a desenvolver o estado.”


Lucinha (PSDB):

“Nós temos que primeiro reorganizar as contas do estado para que haja uma arrecadação que consiga cobrir a folha de pagamento e os investimento em Saúde, Educação e Transporte. Vou continuar lutando por esse estado, em especial pela minha região, e quero lembrar aos novos deputados que precisamos unir forças para melhorar o Rio.”


Luiz Paulo (PSDB):

“Sabemos que o ano de 2019 será muito difícil. O déficit do orçamento, isto é, a diferença entre despesa e receita, está na ordem de R$ 8 bilhões. Então, nós temos que unir esforços em favor do Estado do Rio de Janeiro para aumentar a nossa arrecadação combatendo duramente a sonegação, se livrando de benefícios fiscais perniciosos e, também, fazendo gestões com autoridades ao Governo Federal reivindicando nossos direitos.”


Marcelo Cabeleireiro (DC):

“A situação atual requer muito trabalho tendo em vista os problemas financeiros do Estado do Rio de Janeiro. A gente vem para somar, levar melhoria para o povo do estado e dar transparência na coisa pública. Vou trabalhar por todos os municípios do estado, mas a Região Sul Fluminense terá muito a minha atenção.”


Marcelo do Seu Dino (PSL):

“Nossa expectativa é de mudar o Estado do Rio de Janeiro. Fazer uma legislatura realmente voltada para o povo, com tudo diferente que a população está acostumada a ver ao longo das últimas décadas. Meu foco é na família, no transporte e no combate às covardias que acontecem com as pessoas.”


Marcio Canella (MDB):

“Minha base maior é a Baixada Fluminense e a nossa principal bandeira será a Segurança Pública, principalmente, nas regiões de Belford Roxo, Duque de Caxias e Queimados. Essas áreas estão sofrendo muito com a violência. Essa será a nossa bandeira.”


Márcio Gualberto (PSL):

“As minhas expectativas para o mandato são as melhores possíveis. A sociedade deseja uma grande mudança e espera demais de nós, políticos. Fomos eleitos por uma população cheia de desejos e faremos de tudo para retribuir essa confiança.”


Márcio Pacheco (PSC):

“Primeiro é uma alegria muito grande ser reconduzido ao meu terceiro mandato como deputado estadual. Tenho o compromisso de ser líder do governo. Há uma expectativa muito grande: a Alerj precisa ajudar o governo a recuperar a credibilidade não só da sua capacidade financeira, mas a de atrair investimento. Muitos projetos vão passar pela Assembleia. É claro que isso nos anima e também nos traz muita responsabilidade.”


Marcos Muller (PHS):

“Estamos atravessando um momento difícil. Vivemos um momento vexatório para a política do nosso país. Várias lideranças políticas presas no nosso país. É um tempo de mudar, de fazer muita reflexão e de mudar. Todos os poderes têm que trabalhar em sintonia para o melhor desenvolvimento da população.”


Marina (PMB):

“A gente vem vivendo um momento muito difícil no nosso estado. A expectativa é muito grande. Vamos trabalhar muito, com honestidade. Vou me empenhar ao máximo e dar o meu melhor. As mulheres estão ganhando cada dia ainda mais espaço e a presença feminina no Parlamento é muito boa para a política.”


Max Lemos (MDB):

“Estou muito feliz de estar aqui. Fui vereador e duas vezes prefeito. A minha expectativa é ajudar a Assembleia Legislativa a fazer um pacto entre as instituições para recuperar o Rio de Janeiro.”


Mônica Francisco (PSol):

"A expectativa é fazer um trabalho que seja coerente com as pautas do PSol, com a bancada do partido que chega coesa nessa Casa, que são as bandeiras de luta da minha vida, dos meus 30 anos de trajetória na defesa dos direitos humanos e das políticas públicas para as mulheres. Principalmente para as mulheres negras que são as que têm a sua vida mais precarizada no Estado do Rio de Janeiro. Então, a expectativa é chegar com muita responsabilidade, entendendo os limites e as possibilidades da institucionalidade."


Pedro Brazão (PR):

“A expectativa é muito boa com o nosso governador que, realmente, quer melhorar o Rio de Janeiro, para acabar com a violência. Eu acho que os deputados novos juntamente com os antigos vão realizar um bom trabalho com a graça de Deus.”


Renan Ferreirinha (PSB):

“Eu espero uma nova página na história do Rio de Janeiro e que possamos restaurar a confiança do povo no Poder Legislativo, que, infelizmente, se perdeu bastante. A pauta central da minha vida é a educação. Minha mãe e minha tia são professoras, e acredito que isso deva ser central no projeto do que queremos para o estado.”


Renata Souza (PSol):

“Será uma Alerj polarizada. Então, precisamos fazer um bom trabalho, republicano e que tenha a cara do povo. É disso que precisamos: que esta Casa trabalhe pelo bem comum. Será a nossa maior conquista!”


Renato Cozzolino (PRP):

“Serão quatro anos de muito trabalho. Vou pautar meu mandato nas áreas da juventude e das pessoas com deficiência. Sou do município de Magé, que é muito carente e precisa ser visto com outros olhos. Teremos um novo mandato, com novas conquistas.”


Renato Zaca (PSL):

"A expectativa é a melhor possível: fazer uma legislatura com transparência, muita tranquilidade, ver projetos para o povo. Isso é que vai melhorar a sociedade fluminense. Meu pensamento é somar, ajudar com o que o povo precisar. Os pares que precisarem de mim também podem contar comigo. Estou aqui para aprender muita coisa."


Rodrigo Amorim (PSL):

“Acho que o papel dos deputados hoje é restabelecer a autoestima e o respeito pelo Parlamento fluminense. Estamos imbuídos de promover essa mudança e promover discussões temáticas aqui dentro. Essa é uma Casa de embates ideológicos em prol da população do Rio e a gente precisa devolver essa função para o Parlamento do Rio de Janeiro.”


Rodrigo Bacellar (SD):

“Estamos vindo para um cenário crítico, mas eu me sinto muito preparado para este novo desafio que é recuperar o Estado do Rio de Janeiro. Precisamos recuperar a capacidade fiscal do nosso estado para que o Rio de Janeiro deslanche novamente.”


Rosane Felix (PSD):

“Eu estou muito otimista. As expectativas são as melhores possíveis. Estamos atuando em um novo cenário na política. Durante minha campanha falei muito sobre renovação e chegou um momento muito importante para mim e meus colegas. Acredito que vamos conseguir implementar uma nova cultura na sociedade e na administração pública. Estou aqui para lutar contra a corrupção.”


Rosenverg Reis (MDB):

“Nessa legislatura, iremos trabalhar muito mais, principalmente na área da saúde para a Baixada Fluminense. Esse será um dos principais pontos da nossa atuação, junto ao desenvolvimento econômico e à geração de empregos.”


Samuel Malafaia (DEM):

“A expectativa é muito positiva. Temos um presidente patriota e um novo governador. Vamos fazer a nossa parte. Vamos fazer com que essa Casa seja respeitada. Vamos fazer tudo de forma cristalina e transparente. Vou priorizar a área da educação no meu mandato. A população de baixa renda precisa ter o apoio do governo.”


Subtenente Bernardo (PROS):

“Vamos lutar contra a corrupção e vamos fazer uma boa política. Meu voto será sempre à favor da população.”


Thiago Pampolha (PDT):

“Estou muito animado. Acho que é um novo momento no Rio de Janeiro. A sociedade espera desta Casa uma atitude mais enérgica de fiscalização do governo para poder entendermos os novos sinais que a população deu.”


Tia Ju (PRB):

“A gente fica feliz de voltar para dar continuidade às pautas que sempre defendemos: infância e juventude, mulher, idoso e negro. Continuaremos levantando essa bandeira . Pretendemos alavancar mais projetos e deliberações que sejam de melhorias para o nosso estado porque a gente quer ver muito ver o Rio de Janeiro voltar a sorrir.”


Val Ceasa (Patri):

“O quadro político está muito defasado e a gente tem que mudar esse ambiente tão pesado que é a política.”


Valdecy da Saúde (PHS):

“O Rio vive um momento muito complexo, onde atravessamos a pior crise ética, moral, financeira e política do estado. Quero ampliar a minha luta pela saúde, que sempre foi minha pauta depois de três mandatos como vereador em São João de Meriti.”


Vandro Família (SD):

“É um prazer e um privilégio fazer parte dessa Casa. Estou na esperança de dias melhores para o Rio de Janeiro e espero trabalhar muito na área da Segurança Pública, já que também sou policial militar.”


Waldeck Carneiro (PT):

"A expectativa é que o Rio de Janeiro saia do buraco em que enfiaram nosso estado. É muito importante que a gente consiga ter políticas que incluam socialmente os mais pobres, que gerem trabalho e renda e que atraiam investimentos para o Estado do Rio de Janeiro. Para isso, é preciso enfrentar a política irresponsável de isenção tributária, combater a sonegação e cobrar dos grandes diretores. É muito importante que a Assembleia Legislativa cumpra seu papel fiscalizador, também propondo legislações que ajudem o Estado do Rio de Janeiro a se desenvolver, e sobretudo se desenvolver com inclusão, com igualdade e com justiça social."


Welberth Rezende (PPS):

“A expectativa é muito grande para esse novo mandato e pelo que podemos fazer pelo estado, em especial o município de Macaé. Queremos trabalhar a questão do turismo e a geração de emprego naquela região, que passa por uma crise muito grande em decorrência da dependência do petróleo. Queremos retomar o crescimento da região.”


Zeidan Lula (PT):

“Fico feliz pela eleição de várias mulheres, que estão aqui representando um bloco da bancada feminina, e, eu digo uma bancada feminista, de mulheres ativas e atuantes na política, símbolo da Marielle Franco.”



Adicionar Comentario

Pgina 2 de 196

Área exclusiva - Login

Notícias completas e versão digital exclusivas para assinantes

Informativo JR

Cadastre-se e fique bem informado